Vitória emoldurada em tristeza

Poucos foram se despedir do Tupi no domingo

  Os 17 pagantes presentes ao Estádio Mário Helênio, no domingo, dia 9, na última rodada da fase de grupos da Série D, despediram-se de forma melancólica do Tupi na temporada 2019.

  Apesar da vitória diante do Hercílio Luz, por 2 a 0, encerrando um jejum de 309 dias sem ganhar uma partida, a péssima temporada deixa um caminho incerto à frente. Sem divisão nacional ao menos nas duas próximas temporadas e no Módulo 2 do Campeonato Mineiro em 2020, o clube tem a arquibancada do último jogo como retrato fiel do momento que vive. Torcedores que apoiavam a equipe durante a partida discutiam com outros que não julgavam correto o incentivo e tornaram o clima quente no Mário Helênio.

Aprendizado e paixão

  Com otimismo no futuro, alguns torcedores viram como necessária a presença no estádio. Em entrevista ao Toque, Rogério Talha, sempre presente nos jogos, tratou a situação como uma lástima e se uniu aos demais no coro contra a diretoria. “É uma lástima tudo isso. Como torcedor do nosso Galo, eu achei importante vir até aqui. Relembrar os momentos de glória, os momentos das vitórias e, agora na derrota, que possamos aprender com isso. Espero que, no futuro, a gente tenha uma diretoria competente, atuante e que possa nos levar novamente a outras glórias.”

Vilar fez autocrítica e pregou mudança no clube

  Assim como Rogério, Tadeu Olivato prezou pela paixão ao clube para assistir a despedida do Galo da temporada. “A gente vem por causa da paixão pelo time, paixão pela cidade. Gosto de torcer pelos times daqui, independente da situação que estejam”, disse.

Pela honra

  Presente desde o início desse ciclo negativo, o goleiro Ricardo Vilar fechou em baixa uma passagem de grandes atuações com a camisa alvinegra. Em entrevista exclusiva ao Toque de Bola, Vilar lamentou deixar o Tupi em um momento difícil e disse torcer para que o clube se recupere do quadro atual.

  “A situação do clube está longe daquilo que tínhamos como objetivo para esse ano. Espero que as pessoas vejam o Vilar em seu desempenho individual. Lógico que, em números, não foi interessante, sou um cara consciente disso, mas não faltou trabalho e comprometimento. Espero que seja uma mudança para o clube, porque é necessária. É um clube grande, tradicional, que tem camisa e que não pode ficar na situação que se encontra no momento”, avalia o goleiro.

Vitória triste

Carijó terminou na lanterna do grupo da Série D 2019

  Sem o técnico Ademir Fonseca, vetado pelos médicos, o Carijó tinha Tarso Guarino como comandante. Após um primeiro tempo de futebol ruim, no qual o Tupi se limitou a arremates de fora da área, e o Hercílio Luz pouco ameaçou nos contra-ataques, a partida foi decidia na segunda etapa.

  Logo aos quatro minutos do segundo tempo, o Alvinegro abriu o placar com o atacante Washington, da base, pegou rebote do goleiro, fazendo 1 a 0. Atrás e com a classificação ameaçada, o Hercílio Luz se atirou e abriu para os contragolpes. Mas somente aos 44 minutos o Carijó matou o jogo. Com triangulação que teve Ademilson e Washington participando, Samuel Cazares, outra promessa do sub-20, bateu no cantinho esquerdo, finalizando a estranha vitória triste do Tupi em 2 a 0.

Texto: Toque de Bola

Fotos: Toque de Bola 

Deixe seu comentário