Igualdade no duelo dos Leões

  As equipes sub-15 e sub-17 do Tupynambás/UFJF empataram no último sábado, dia 01/06, com o Villa Nova, pela Segunda Divisão do Campeonato Mineiro de base. Na primeira partida do dia no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, os garotos mais novos do Leãozinho do Poço Rico ficaram no 1 a 1, com gols de Guilherme para os donos da casa e de Daniel Ferreira para os visitantes. No segundo jogo, o zero não saiu do placar.

Sub-15

Baeta e Villa Nova ficaram no empate por 1 a 1

  O sub-15 do Baeta não estava no seu melhor dia. Sem conseguir criar muitas chances de gol, a equipe mandante viu o Villa controlar a partida, mas pecar no momento de finalizar. Aos 20 minutos do primeiro tempo, em um lance raro de ataque bem sucedido, Guilherme cruzou e a bola, sem desviar em ninguém, enganou o goleiro adversário, morrendo no fundo da rede.

  Na segunda etapa, após início forte do Villa, o lateral esquerdo Gabriel Nacarate derrubou o atacante Matheus Xavier dentro da área aos 20 minutos e o árbitro marcou pênalti. Maestro da equipe, o camisa 10 Daniel bateu bem na bola e empatou a partida. Em busca da virada, o time de Nova Lima manteve a pressão, mas o jogo terminou mesmo em igualdade.

Os envolvidos

Empate foi um bom resultado, segundo a comissão

  Autor do gol do Baeta, Guilherme conversou com o Toque. “Nosso time cansou muito. São jogadores muito pequenos, com pouco físico. Nós fizemos o gol e relaxamos um pouco, o que deu chance pra eles chegarem no nosso gol”, comentou.

  Para o técnico da equipe sub-15 do Baeta, Vinícius Alves, seu time não jogou como gostaria. “Não conseguimos controlar e fazer o tipo de jogo que a gente tenta propor. Em dado momento, eles subiram as linhas de marcação e nós não conseguimos sair jogando curto. Passamos a tentar jogadas longas e perdemos tanto a primeira quanto a segunda bolas. Mesmo sendo em casa, eu considero um bom resultado pra gente, porque foram melhores que nós, principalmente no segundo tempo”, avaliou o treinador.

Sub-17

Sub-17 não saiu no zero no Mário Helênio

  No sub-17, uma partida diferente. Desde o início, as equipes buscaram o gol e criaram várias chances. No setor defensivo do Baeta, Igor Cesário se destacava. O jovem, ex-Cruzeiro, comandou o meio campo e a defesa alvirrubra, o que dificultou muito as ações do adversário. Em entrevista ao Toque de Bola, o jogador comentou sobre o empate e sobre a atuação individual.

  “Viemos com uma boa proposta para cá hoje de impor nosso ritmo o tempo todo. A equipe deles é qualificada. Infelizmente não conseguimos sair com a vitória e o empate, na minha opinião, foi um bom resultado. Trabalho muito no dia no dia para poder ter resultado nos jogos. Vamos seguir trabalhando para, no próximo jogo, sair com a vitória”, completou. 

A análise

Alvirrubro teve boas chances, mas não soube definir

  Sem tantos lances de perigo como na primeira etapa, a segunda metade do jogo não empolgou o torcedor presente no Estádio Mário Helênio. Ao Toque, o comandante Wanderley Tavares contou o que faltou para que o Baeta/UFJF vencesse a partida.

  “Mais uma vez nós controlamos bem o jogo. É frustrante não vencer em casa, ainda mais que viemos de uma vitória fora. Faltou tomar a decisão certa em alguns momentos, isso ainda não está legal. Falta a gente chegar no último momento do jogo e saber definir. Vai ser o foco do trabalho durante a semana para que possamos corrigir esse problema e a bola comece a entrar”, disse o técnico.

Texto: Toque de Bola

Fotos: Toque de Bola

Deixe seu comentário