Fut7: festa do DF! Galeria exclusiva!

  Ambos os títulos do Campeonato Brasileiro de Futebol de 7, disputados no último feriado prolongado no Centro de Futebol Zico Juiz de Fora, ficaram com equipes do Distrito Federal.

Ceilândia e Nativa levaram as taças para o DF 

  No feminino, vitória do Nativa, por 2 a 1, na decisão contra as paulistas do Ômega (veja os instantes finais e a comemoração das campeãs). No masculino, o Ceilândia venceu nos shoot outs – quando o atleta vai em direção ao gol, partir de uma marca distante 5m do centro de campo e tendo só o goleiro como oponente – após empatar em 5 a 5 com Biritiba Mirim, também de São Paulo, no tempo normal (acompanhe as cobranças decisivas e a festa dos campeões).

Dia de Ratinho

  Na primeira decisão do domingo, dia 23, o nome do jogo foi Ratinho, do Ceilândia. Depois de sua equipe começar atrás no placar, o jogador do Distrito Federal virou o jogo ainda no primeiro tempo, marcando duas vezes. Os paulistas correram atrás e tomaram novamente a frente do marcador, em 5 a 4 (marcavam os gols até este momento Lecheva, Rafael (2), Sopa (2) pelo Biritiba; e Lucas (2) e Ratinho (2) para o Ceilândia).

Ratinho se prepara para o shoot out no qual fez 5 a 5

  Emtão, a estrela de Ratinho brilhou ainda mais. Após levar a decisão para os shoot outs na último lance do tempo normal, o principal nome do Ceilândia foi exigido de forma diferente: o goleiro Wender cometeu pênalti em Sopa, do Bitiriba, na cobrança do shoot out decisivo e foi excluído. Sem arqueiro reserva, Ratinho foi para o gol e defendeu a cobrança da penalidade, feita por Wellington, dando o título ao time do Distrito Federal, com 4 a 3 nas cobranças decisivas.

Completou a dobradinha

  A segunda decisão do domingo colocou novamente frente a frente um time de São Paulo e outro do Distrito Federal. As meninas da capital brasileira tiveram atuação firme no primeiro tempo, abrindo o placar logo no começo do jogo, com Taty chutando de longe. Ainda a na primeira etapa, as garotas de Brasília ampliaram, com Gilmara.

Final feminina foi decidida no tempo normal

  Perdendo a invencibilidade na competição logo na final, o Ômega partiu para cima e conseguiu diminuir no início segundo tempo, com Jessica, de cabeça. A partir daí, a pressão foi toda das paulistas, mas graças à forte marcação do Nativa e à grande atuação da goleira Catarina, o segundo troféu do dia foi também para o Distrito Federal. 

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Toque de Bola

Deixe seu comentário