“Pautando” voo livre: “Deslumbrante! Quem voa não consegue explicar”

Túlio, na preparação do voo que fez especialmente para o Pautando o Esporte, no Morro do Cruzeiro, em Leopoldina

  Quer saber desde quando o leopoldinense Túlio Subira, hoje aos 23 anos, é (como ele mesmo se define) um apaixonado por voo livre?

  “Minha mãe conta que quando eu chegava na rampa, não queria sair de jeito nenhum. Ela tinha que levar caixa térmica com mamadeira de tão pequeno que eu era”.

  Paz e liberdade

    E como descrever? “O voo livre é difícil de explicar. É deslumbrante. Quem vê não entende e quem voa não consegue explicar. Tem situações maravilhosas. Sem motor, voando livre, você entrar numa nuvem e sair por cima dela, sentir a gota de água da nuvem no seu corpo, para mim isso não tem preço. Passar por cima da nuvem e ver a estradinha, os carros lá embaixo, é uma paz, uma liberdade maravilhosa.”

   Estes são alguns trechos da entrevista que Túlio, piloto e hoje reconhecido em todo o Brasil como técnico em manutenção de equipamentos de voo livre, concedeu ao “Pautando o Esporte”, programa sobre esporte local e regional que está sendo veiculado diariamente às 21h no canal 35 da TV aberta e também pode ser acessada no nosso Youtube.

 O Pautando

   O programa é uma parceria entre a Câmara Municipal de Juiz de Fora e o Projeto Basquetebol do Futuro, com produção do Portal Toque de Bola e apoio técnico da JF TV Câmara. Além da entrevista, feita na ampla oficina que ele montou em Leopoldina, o “Pautando” mostra imagens de um voo feito especialmente para o programa, no Morro do Cruzeiro, que já foi cenário de Campeonato Brasileiro.

 Todos os programas já exibidos podem ser acessados no Youtube do Toque de Bola.

 Assista, abaixo, a íntegra do programa

    Curiosidade que deu certo

     Ao contar sobre a imediata identificação com a modalidade, que herdou do pai e a trajetória, Túlio revela: da paixão surgiu a curiosidade, primeiro num parapente guiado por controle remoto, e da curiosidade, passo a passo, ele acabou se tornando hoje uma referência nacional no ajuste que proporciona ao equipamento de voo o equilíbrio necessário.

Túlio, na oficina, mostra como se faz a trimagem do equipamento de voo livre

    “Fui desenvolvendo essa parte, afinar e deixar o equipamento voando cada vez mais. Nisso os pilotos do Brasil inteiro começaram a voltar os olhos para mim antes das competições. A trimagem (afinação de equipamento) faz o equipamento voar no ângulo certinho. No Mundial (disputado recentemente em Baixo Guandu -ES), afinamos os instrumentos das equipes brasileira e australiana”, exemplifica.

   Para qualquer reparo

    Ele trabalha com a Flow Paragliders, empresa australiana e nessa oficina, na cidade da Zona da Mata mineira, atende a qualquer tipo de reparo de equipamentos.

   Outros temas

   Também são abordados na entrevista: o potencial do Morro do Cruzeiro para voltar a receber eventos da modalidade, como é o voo entre Leopoldina e Juiz de Fora, como foi a experiência no Nordeste de mais de 400 quilômetros “no ar”, a segurança, os riscos, o voo duplo, os pilotos que são referência no Brasil e a amizade e parceria entre os competidores.

Texto: Ivan Elias – Toque de Bola

Produção: Mônica Valentim – Misto Quente Comunicação

Fotos: Toque de Bola

Veja galeria de fotos da entrevista e dos bastidores do salto que Túlio fez especialmente  para o programa Pautando o Esporte

 

 

 

 

 

 

 

 

Este post tem um comentário

  1. Felipe Ribeiro

    Parabéns pela entrevista, atletas como Túlio merece destaque na mídia, o cara tem o dom como piloto, é sem dúvidas um dos melhores pilotos do Brasil.

Deixe seu comentário