Joga pela honra, Carijó!

Técnico e jogadores buscam terminar ano com dignidade

  Em situação complicada no grupo A14 da Série D do Campeonato Brasileiro, muito mais do que lutar por uma improvável classificação, o Tupi vai jogar por sua honra as duas últimas rodadas da primeira fase da competição.

  A começar pelo confronto deste sábado, dia 1º de junho, contra o Itaboraí, às 15h, no Estádio Alzirão, no Rio de Janeiro, o sentimento no Carijó é de jogar pela dignidade profissional, como diz o técnico Ademir Fonseca. “Honrar o trabalho. Temos um nome a zelar, o clube tem um nome a zelar. Todos vivem do futebol, então não podem ser relapsos. Não podemos nos preocupar com adversários. É nos preocupar conosco, porque a temporada do Tupi não é favorável. Precisa voltar a vencer jogos. E deixar na mão do Mestre.” 

Aquele 1% 

Classificação do grupo A14 da Série D

  Mesmo querendo não se preocupar com adversários e outros jogos, o técnico do Tupi sabe que, por conta da situação delicada que se meteu, o futuro do Carijó não está mais somente nos pés de seus próprios atletas. Uma vitória contra o Itaboraí no sábado ajuda o time juiz-forano imediatamente, mas pode prejudicar em relação ao cenário da última rodada do grupo. 

  “Vamos dizer que temos 1% de chance. Se ganharmos do Itaboraí, eles irão para Novo Horizonte sem chance nenhuma. Mas no futebol acontece de tudo. Nos dois jogos que faltam, a equipe tem que honrar as cores do clube, vencer e tentar terminar a competição com dignidade”, projeta Ademir.

Cumprir o dever

  O grupo de jogadores está afinado com seu comandante, como mostram as palavras do atacante Juninho. “Mesmo que a situação seja difícil, que a probabilidade de classificação seja pequena, temos que agradecer todos os dias a possibilidade de estarmos aqui podendo trabalhar. Não temos mais o que esperar. Se temos a chance de classificar, mesmo que mínima, devemos trabalhar forte até o fim. Cumprir com nosso contrato e fazer a nossa parte dentro de campo até o fim”, deseja o jogador.

Resultados e próximos jogos do grupo A14

  Para buscar a improvável classificação, o Carijó precisa romper uma sequência incômoda. O Tupi completou essa semana 300 dias sem vencer uma partida. Na última vez que saiu de campo com três pontos, o clube local bateu o Volta Redonda, no dia 4 de agosto de 2018, por 2 a 1, em Juiz de Fora, na penúltima rodada da Série C da qual foi rebaixado.

Melhorou

  Em busca da primeira vitória do Carijó em tanto tempo, Ademir acredita que o empate em 1 a 1 com o Novorizontino apontou um caminho. “Houve um acerto muito grande. Cleitinho jogou bem, Gabriel (Costa) entrou bem, a dupla de zaga e os volantes tiveram uma boa atuação. Mas isso não foi o suficiente para conseguirmos a vitória. Então, temos que produzir dai para mais nos dois próximos jogos”, deseja.

  Fonseca só permitiu o acesso da imprensa a um treinamento esta semana, e tem um problema por conta de uma torção de tornozelo do lateral-esquerdo Lucas Sampaio. Assim o Tupi deve entrar em campo com Vilar, Thiago Ryan, Adalberto, Arthur Sanches (Lucas Tavares) e Lucas Tavares (Lucas Sampaio); Max Carrasco, Marcel, Cleitinho e Hugo Rodrigues; Juninho e Ademilson.

Matemática

  Uma improvável, quase milagrosa, classificação do Tupi só vira com uma combinação certa de resultados dentro do grupo. Além de seus dois primeiros triunfos no ano, o Carijó precisa de duas derrotas do Novorizontino, que já tem os mesmos oito pontos que o Alvinegro poderia alcançar. 

  Assim, a decisão da vaga ficaria para o saldo de gols. A diferença atual é de seis gols em favor dos paulistas. Mas como eles teriam que perder pelo menos pela diferença mínima, o Tupi precisaria descontar desvantagem de quatro tentos. Somente assim os juiz-foranos terminariam em segundo lugar do grupo, podendo se classificar para a segunda fase da Série D. Se o Novorizontino fizer mais um ponto sequer, ou o Carijó empatar, perder ou não descontar o saldo nos dois jogos estantes, o Alvinegro de Santa Terezinha estará eliminado.

Tem mais

  Nem garantindo a segunda colocação do grupo A14 o Carijó estará automaticamente classificado para a sequência da Quarta Divisão. Isso porque, além dos 17 primeiros de cada chave, somente 15 dos 17 segundos colocados avançam. Atualmente, seis clubes que figuram em segundo lugar de seus grupos na Série D já têm oito pontos ou mais após quatro primeiras rodadas da competição.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Artes: Toque de Bola com informações da CBF

Fotos: Toque de Bola

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário