Será que dá? Tupi tenta sobreviver contra o Cruzeiro

No Mário Helênio, Tupi tenta sobreviver neste sábado 

  Vencer é pouco para definir o que tem que fazer o Tupi neste sábado, dia 16, a partir das 16h, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, pela décima e penúltima rodada do Campeonato Mineiro.

  A melhor definição do que precisa o Carijó diante do Cruzeiro é: um feito heroico. Se perder, o time de Juiz de Fora está rebaixado para o Módulo II de 2020. Mesmo empatando, a queda seria inevitável pelo critério do saldo de gols.

  Único resultado que mantém vivas as esperanças de, com combinação de resultados, o Tupi se salvar na última rodada do Estadual, a vitória sobre a Raposa é algo que nem o mais otimista alvinegro aposta suas economias. Mais: a missão ficou ainda mais improvável no meio da última semana, com a confirmação de que o time principal do Cruzeiro, que atua preferencialmente na Libertadores, vai a campo contra o Carijó.

 Fora de campo, o ambiente é o pior possível entre os torcedores do Tupi. Não apenas diante da iminente queda no Estadual mas da falta de perspectiva do departamento de futebol alvinegro.

  Clique aqui e veja reportagem com a manifestação dos torcedores

Muita qualidade

Vilar tenta segurar o time na elite

  Mas, segundo o técnico do Carijó, Beto Sousa, o fato de os titulares cruzeirenses serem os escolhidos para o confronto não muda muito sua já alta dificuldade. “A gente sabe que o Cruzeiro troca um pelo outro e sempre mantém o mesmo ritmo. É o favorito. Seria independente da fase que o Tupi está passando. Time A, B ou alternativo, só de estar jogando contra eles tem que ser uma motivação.”, destaca.

  O goleiro Vilar faz coro com seu comandante. “Independente de ser A ou B é o Cruzeiro que vem. Temos que respeitar dessa forma. Os atletas que virão nos enfrentar têm muita qualidade. Lógico que o jogo contra uma grande equipe atrai mais visibilidade, mas temos que pensar no nosso trabalho e respeitar o time que a gente defende”, diz o camisa 1.

Jogar leve

Beto Sousa quer atenção total dos atletas

  Apesar da péssima situação que o clube atravessa, com o iminente rebaixamento, a intenção de Beto é motivar seus atletas e fazer eles atuarem sem pressão extra. “Trabalhar o psicológico dos jogadores foi prioridade desde minha chegada. Fortalecer o futebol, que eles têm de melhor. Estão em uma fase ruim, mas são grandes jogadores. Se tronou muito difícil por ser o Cruzeiro. Sabemos que não dependemos somente de nós, mas a motivação e conversa com eles é sempre no sentido de tirar esse peso e jogarem leves”, explica.

  Um dos mais experientes do grupo, Vilar também prega o jogo leve. “Temos tentado passar tranquilidade para eles. Principalmente para quem tem pouco lastro de jogo. Jogar tranquilo, fazer o que fazem no treino e deixar esse tipo de pressão de lado. Temos consciência de que o momento não é bom, e a pressão vai existir. Se colocarmos para dentro de campo esse tipo de sentimento, as coisas não vão fluir mesmo”, acredita.

Atenção total

Classificação do Mineiro 2019

  Para o jogo contra o Cruzeiro, Beto faz mistério quanto à escalação, e diz que só no momento da partida vai definir seus titulares. Com relação ao time derrotado pelo Boa Esporte, por 4 a 1, na rodada anterior, o comandante alvinegro tem a volta de Afonso, após suspensão cumprida. O experiente jogador pode pintar na lateral-direita no lugar de Léo Felipe. Outra alternativa para a posição é o jovem Pablo.

  Mas, independente de quem entrar em campo, a orientação é estar atento todo o tempo. “Uma falta de atenção de milésimos pode nos levar a tomar o gol. Quero foco e atenção. Tomar um gol cedo, como foi em Varginha aos dez minutos, quebra uma estrutura toda de partida”, avalia Beto. “O nível de atenção tem que ser máximo. No Cruzeiro, são jogadores diferentes. A mínima oportunidade que eles tiverem, terão condições de definir e definir bem”, completa Vilar.

Ingressos e portões

  Os ingressos para Tupi x Cruzeiro custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) e estarão disponíveis a partir desta sexta, dia 15, na sede social do Tupi (Rua José Calil Ahouagi, 332, Centro), no posto de vendas da Liga de Futebol de Juiz de Fora  (Calçadão da Rua Halfeld, em frente ao Banco do Brasil) e na loja Torcedor Esporte Clube (Galeria Pio X, 8, loja 40), das 9h às 18h. No sábado,  a venda será das 8h às 13 h nesses pontos e nas bilheterias do Mário Helênio a partir das 15h.

A 10ª rodada do Mineiro

  Menores de 12 anos acompanhados dos responsáveis e devidamente documentados não pagam ingresso. A torcida do Tupi entrará pelo portão principal (Pórtico 1) do Mário Helênio, enquanto a do Cruzeiro terá acesso pela entrada do Bairro Dom Orione (Pórtico 3). A abertura do Estádio Municipal está prevista para às 15h.

Pontos de ônibus separados

  Serão disponibilizados ônibus especiais para transporte dos torcedores do Tupi, com saída da Avenida Presidente Itamar Franco, em frente à Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). Já a torcida do Cruzeiro poderá embarcar no ponto em frente à Reitoria da UFJF, na Rua Benjamin Constant.

  O último veículo sairá do estádio 40 minutos após o término do jogo. Artefatos pirotécnicos, fumaças e bebidas em vasilhames de vidro, latas e garrafas plásticas não serão permitidos dentro do Estádio Mário Helênio. Por questões de segurança, a entrada de torcedores uniformizados só será permitida no portão indicado para cada torcida.

TUPI x CRUZEIRO

Mário Helênio – 16h

Árbitro: Jeferson Antônio da Costa

Assistentes: Márcio Eustáquio Souza Santiago e Helen Aparecida Gonçalves Silva Araújo

Tupi: Vilar, Pablo (Afonso), Aislan, Gustavo Canela e Lucas Sampaio; Max Carrasco, Leandro Brasília, Baiano e Gabriel Tchó Tchó; Gabriel Costa e Romarinho. Técnico: Beto Sousa.

Cruzeiro: Fábio, Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Lucas Romero; Robinho, Rodriguinho e Rafinha; Fred. Técnico: Mano Menezes.

 

Texto: Toque de Bola

Fotos: Tupi e Toque de Boça

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário