Quartas do Mineiro! Tupynambás quer fazer história diante do Atlético em BH

Batea e Atlético se enfrenta novamente nas quartas

  Depois de cumprir os principais objetivos da lista formulada antes do início do Campeonato Mineiro 2019, mantendo-se na elite do futebol mineiro, garantindo calendário completo em 2020 e conquistando uma vaga nas quartas do Estadual, o Tupynambás quer continuar a fazer história.

  Para seguir a marcha marcante em sua volta à elite do futebol estadual, o Baeta terá que superar o Atlético na segunda fase da competição. Em jogo único, neste domingo, dia 24, em Belo Horizonte, as duas equipes disputam uma vaga na semifinal do Mineiro. Quem vencer, avança. Em caso de empate, a decisão vai para os pênaltis.

Festa de aniversário

  A partida começa às 16h, mas a festa já terá sido iniciada muito antes. Por conta do aniversário de 111 anos do Atlético, no dia 25 de março, a diretoria decidiu antecipar as comemorações, e a promessa é de Mineirão lotado e muita euforia dos atleticanos. Assim, a missão do Tupynambás é colocar água no chope alvinegro na capital.

Goleiro Renan Rinaldi quer parar o ataque atleticano

  “Claro que não temos bola de cristal. Teoricamente, é um jogo de Davi e Golias. O Atlético com o time principal, grandes jogadores, mais de 50 mil pessoas, véspera do aniversário, show antes da partida. Vai ser uma festa. E na hora que a bola rolar, o Tupynambás precisa, primeiro, jogar. Não podemos pensar em só marcar. Vamos buscar uma classificação inédita, como foi essa passagem para as quartas de final”, deseja o técnico do Baeta, Paulo Campos.

Preparado

  Se pretende voltar de Belo Horizonte com a classificação, o Baeta tem que pelo menos empatar para levar a decisão da vaga para os pênaltis. Assim, o responsável por garantir o resultados lá atrás e depois nas cobranças seria o camisa 1, Renan Rinaldi. “É um sonho que estou realizando. É o meu terceiro Mineiro, e a primeira vez que classifico para a segunda fase. A ideia é que eu trabalhe o menos possível, mas estou pronto se for acionado. Vamos tentar, no mínimo, um empate para buscar a classificação nos pênaltis. Este é um momento do batedor e do goleiro e tento ser mais eu”,  diz o arqueiro.

Marcel prega atenção a todo momento

  Para que o Baeta tenha chance de conseguir a classificação diante dos atleticanos, o volante Marcel prega atenção a todo momento. “Precisamos entrar mais ligados. Os jogos, em sua maioria, se definem nos primeiros 10, 15 minutos do primeiro e do segundo tempo. Então, é estar mais atentos para não levarmos gol nesses momentos. Pois sabemos da qualidade de nossa equipe e, se tirarmos o ímpeto do adversário, colocando a bola no chão, controlamos o jogo”, avalia.

Diferente

  Na partida única das quartas de final do Mineiro, o técnico Paulo Campos tem dois desfalques no meio de campo, além da ausência de Paulinho na lateral-direita. Pelo lado, Gustavo Crecci segue como titular, mas as escalação do meio é uma mistério. O comandante do Baeta realizou treino fechado para definir seus titulares. Ele tem que substituir o meia Geovani, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e o volante Leandro Salino, expulso na última quarta. A tendência é a escalação de um time mais leve e rápido nas saídas em transição de contra-ataque. Neste caso, Matheus Pimenta e Igor Soares são as principais opções. 

Ricardo Oliveira retorna no Atlético

  Se o Tupynambás vem diferente, o Atlético mais ainda. Nenhum dos jogadores que atuou contra o Baeta na vitória atleticana por 2 a 1 na última quarta será titular neste domingo. A mudança total nos atleticanos também tem efeito no Baeta. “Muda a maneira de interpretar o jogo. Mas não pode mudar nossa maneira de tentar controlar a partida. Sempre temos que jogar e tentar não deixar o adversário jogar. Sabemos da qualidade individual de cada um deles, e vamos tentar neutralizá-las”, pretende Campos. 

Volta e desfalque

  O técnico do Atlético, Levir Culpi, confirmou a equipe para a partida deste domingo com apenas duas mudanças com relação ao clássico com o América, vencido pelos atleticanos, por 3 a 2. No comando de ataque, Ricardo Oliveira, recuperado de uma virose, retorna na vaga de Alerrandro. Já o volante Adilson, com dores no joelho direito por conta de uma pancada, não joga. Jair formará dupla com Zé Welison na cabeça de área alvinegra.

ATLÉTICO X TUPYNAMBÁS  

Mineirão – 16h

Árbitro: Emerson de Almeira Ferreira

Assitentes: Ricardo Junio de Souza e Magno Arantes Lira

Atlético: Victor, Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison e Jair; Luan, Cazares e Terans; Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi

Tupynambás: Renan Rinaldi, Gustavo Crecci, Adriano, Felipe Gregory e Lucas Hipólito; Marcel, Léo Salino e Igor Soares;

 Matheus Pimenta, Núbio Flávio e Ademilson. Técnico: Paulo Campos  

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Patrocínio Photo Studio/Tupinambás FC; Bruno Cantini/Atlético

Deixe seu comentário