Está na mente! Paulo Campos quer mexer na cabeça dos atletas do Baeta

Campos tem conversa particular com Igor Soares

  Após a derrota do Tupynambás para a Caldense, no domingo, dia 17, por 3 a 0, em Poços de Caldas, pela décima e penúltima rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro, o técnico do Baeta, Paulo Campos identificou a questão psicológica como crucial em seu grupo.

  Agora, para tentar garantir a classificação para as quartas de final do Estadual, o treinador quer mexer com a mente de seus comandados para o confronto de quarta, dia 20, às 21h30 contra o Atlético, no Mário Helênio.

  “Vamos tentar reverter. Não é aspecto técnico, físico nem tático. Faremos um trabalho mental, de cabeça, visando um grande jogo contra o Atlético. Por que não pode? São 11 contra 11 e vamos buscar um bom resultado em Juiz de Fora, diante da nossa torcida”, deseja Campos.

Jogo imita campanha

  O treinador traçou um paralelo entre a derrota em Poços de Caldas e a campanha do Baeta no Mineiro 2019. “O Tupynambás, nas duas primeiras rodadas do campeonato, conseguiu seis pontos importantíssimos, depois teve uma queda. O que indica algo no psicológico. O primeiro tempo contra a Caldense foi como se fosse nossos seis pontos iniciais, e o segundo a goleada sofrida para o Boa em casa”, analisou o treinador, citando a derrota por 5 a 0 para o Boa Esporte na terceira rodada do Mineiro.

No páreo

Meia Ygor acredita que vaga na Série D é obrigação no Baeta

  Mas, apesar de saber do trabalho necessário antes do jogo decisivo de quarta, o treinador acredita que o Baeta está no páreo por uma das vagas na sequência do Estadual. “Mesmo com essa derrota para Caldense, pela qual temos que pedir desculpas, a classificação está em jogo ainda. Quem sabe Papai do Céu não está reservando uma grande vitória diante do Atlético? Vamos embora, não pode parar nunca”, disse Campos.

  O meia Ygor sabe da importância do confronto de quarta, e garante que o grupo está ciente da responsabilidade que tem com o clube. “Temos esse jogo de quarta, dificílimo contra o Atlético, para tentarmos conseguir um ou três pontos para assegurarmos a classificação. Vale também a vaga na Série D de 2020. O Tupynambás quer ter calendário cheio no próximo ano e temos a obrigação de dar isso ao clube”, definiu.

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos com entrevistas à Rádio Globo JF em Poços de Caldas

Fotos: Patrocínio Photo Studio/Tupynambás FC

 

 

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário