Chegou! Ex-Baeta, Gerson tenta salvar Tupi: “Você tem que ter isso aqui como sua vida”

Gérson Evaristo, o novo técnico do Tupi

  Confirmado no meio da tarde desta segunda, dia 4, pela assessoria do clube, o técnico Gérson Evaristo chegou para tentar livrar o Tupi da situação difícil que se encontra no Campeonato Mineiro. Mas essa não é a primeira vez do treinador em Juiz de Fora. Em 2016, ele comandou o Tupynambás na conquista do título da Segunda Divisão do Estadual.

   O novo comandante carijó chegou disposto a encarar o desafio de salvar o clube do rebaixamento no Estadual. “A vida é feita de desafios. Em todos os lugares que passamos, temos dificuldades. Aqui não seria diferente. Estamos aqui para trabalhar, para tentar sair da situação que o time se encontra. Podem esperar muito trabalho e dedicação”, garante Gérson.

Rei do Acesso

  Gérson Evaristo estava acertado com o Serranense para a disputa do Módulo II do Campeonato Mineiro, mas decidiu trocá-lo pelo Tupi. Com 54 anos, o treinador já passou por Ipatinga, Minas Boca, Mamoré, Social, Formiga, Guarani, Nacional de Muriaé, União Luziense e Democrata de Sete Lagoas, além do Baeta.

Evaristo conversa com o diretor de futebol Nicanor Pires

  A fama de Evaristo é grande em Minas Gerais, onde é conhecido com o Rei do Acesso. O treinador, além de levar o Baeta para o Módulo II em 2016, acumula em seu currículo também acessos com o Minas Boca para o Módulo II em 2011; com o Mamoré em 2014 para o Módulo I; e em 2015 com o Formiga para o Módulo II.

Maratona

  Evaristo já comandou seu primeiro e único treino no Carijó em Santa Terezinha. A atividade – fechada para a imprensa – começou logo após a entrevista coletiva do novo comandante alvinegro, e foi a única oportunidade do novo treinador ver seus comandados alvinegros em ação.

  Nesta terça, dia 5, o time embarca para Natal, onde enfrenta o Santa Cruz-RN, às 21h, pela primeira fase da Copa do Brasil, na quarta, dia 6. Na quinta, dia 7, viaja para Belo Horizonte, de onde segue para Divinópolis, local do embate com o Guarani, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro.

 Novo preparador físico. De novo!

  O Carijó também informou, nesta segunda-feira, o nome do terceiro preparador físico da temporada. Como o clube havia anunciado recentemente a troca de Tiago Melsert por Rodrigo Dias, com a chegada de Evaristo há um novo profissional na função.

  De acordo com o Tupi: Talles Warol tem 40 anos e estava no Serranense com Gerson. Já trabalhou no Vila Nova, de Goias, e Brasiliense. Em Minas Gerais, passou por Mamoré e Uberaba.

  Assim, a passagem de Rodrigo Dias por Santa Terezinha foi meteórica. Menos de uma semana.

  Confira abaixo os principais trechos da primeira coletiva do novo técnico do Tupi:

Troca do Serranense pelo Tupi

“Possibilidades. Essa aqui é uma equipe de primeira divisão, você está no cenário brasileiro com uma Copa do Brasil, uma Série D. Cara, você tem que ter isso aqui como sua vida. É uma oportunidade ímpar. Você está representando o Tupi, um time de camisa, de torcida, uma cidade como Juiz de Fora. Tem que colocar isso no coração e na mente e ir para cima dos caras. Isso que vou procurar falar para os atletas, usar de exemplo também. O Serranense tem uma estrutura fantástica, mas ainda é o Módulo II”

Depende deles

“A conversa é essa: colocar para fora o potencial que eles têm, se não, não estariam aqui. Se não tivessem potencial, ou algo a contribuir, não estaria disputando a primeira divisão do Mineiro, uma Copa do Brasil, uma Série D pelo Tupi, um clube dessa magnitude. Colocar na cabeça deles que só depende deles. Nós estamos aqui como coadjuvantes, eles são atores principais. Espero que entendam isso. Muitos jogadores queriam estar na situação que eles estão aqui. Mesmo sendo difícil. Só eles podem reverter esse cenário. Terão em mim e na comissão técnica o apoio total”

Pouco tempo

“Vamos ter muito pouco tempo, principalmente com essa partida da Copa do Brasil. Mas estamos bem municiados de material tanto da nossa equipe como dos adversários. Parabéns para o pessoal da análise. Estudaremos os oponentes para tentar armar melhor o time e buscar as vitórias. Temos consciência de que será uma semana puxada. Com viagem, retorno e já um confronto direto dentro da parte de baixo da tabela com o Guarani, no sábado. Mas a partir da semana que vem temos mais tempo para treinar”

Coletividade

“Com relação aos jogos, temos que tentar arrumar da melhor maneira possível uma coletividade. Você jogando na quarta e no sábado dá para você ter uma coletividade maior, principalmente para mim que estou chegando. É importante nós usarmos esses jogos para isso. Mas, óbvio, com resultados positivos”

Voltar aos trilhos

“Mineiro é uma competição muito curta, você não pode começar tão mal. Mas, se você olhar, mesmo dentro da dificuldade que o Tupi se encontra, ainda têm duas equipes abaixo de nós. Temos que ter a consciência de que temos que mudar. Se é a postura, vamos conversar e mudar a postura, o que for preciso para o carro voltar aos trilhos a gente vai ter que fazer”

Reforços?

“Primeiro, vou conhecer o grupo. Tem posição que só temos um atleta jogando, sem reposição. Isso é certo que precisa. Dentro do que a gente trabalha, vamos procurar jogadores que encaixem nesse perfil. Precisando, vamos sentar, analisar, porque não temos margem para erro. Havendo essa possibilidade de contratar, para que a gente possa buscar peças pontuais para encaixar no projeto”

Texto: Toque de Bola – Wallace Mattos

Fotos: Toque de Bola

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário