Tupi busca tirar lições da derrota em casa para o Voltaço

 

Tupi e Volta Redonda disputam jogo-treino em Santa Terezinha

 Um erro que acabaria determinando o resultado do jogo-treino (o gol do adversário, de cabeça, assinalado por Heitor, surgiu de uma cobrança de falta da intermediária) e tomadas de decisões equivocadas (embora esperadas, devido ao desentrosamento e a carga pesada de treinos físicos) 

  Foram estes, segundo o treinador do Tupi, Aílton Ferraz, os pecados capitais cometidos pela equipe alvinegra na derrota por 1 a 0 para o Volta Redonda, na tarde deste sábado, no estádio Salles Oliveira, em Santa Terezinha.

   A atividade contou com os times utilizando uniformes de treino e a imprensa teve o acesso liberado. Já os torcedores não puderam conferir o amistoso.

Melhor agora

Os descuidos da equipe local, no entanto, servirão para apontar os caminhos a serem percorridos até a estreia do Carijó no Campeonato Mineiro – pela tabela, domingo, dia 20, 11h, diante do Tombense, em Juiz de Fora. Pela segunda rodada, o compromisso é o esperado clássico diante do Tupynambás, numa quarta-feira, dia 23, às 20h, novamente no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.

Para o treinador, é melhor enfrentar equipes mais fortes nesta preparação, a correr o risco de se iludir com resultados diante de times amadores e/ou bem menos competitivas. 

  Confiança para a estreia

  “Nossa média de idade é muito baixa, mas estamos montando um time competitivo. Não tenham dúvida disso. Até a estreia, estaremos com um time formado, equipe forte, para fazer um campeonato não vamos dizer brilhante, mas que a gente consiga nosso objetivo: classificar-se entre os oito (primeiros colocados) e depois sim pensar em outras situações. Tenho certeza que vamos chegar com um bom time”, avaliou o comandante, em entrevista concedida após a atividade e disponibilizada pela assessoria de imprensa do clube.

“Iniciamos o jogo-treino muito bem, depois demos uma caída. Erramos numa situação que treinamos demais, bola parada, aérea. Vamos corrigir. No todo, foi bom”, relata. O técnico lamenta que a chuva na etapa final tenha impedido a prática de um futebol mais bem jogado: “No segundo tempo não dava para ter jogo (gramado prejudicado pela chuva forte), mas o time se comportou bem, lutando. Fisicamente, batalhou bastante. A parte tática não deu para evoluir muito porque no segundo tempo acabou, muita água, chutão para os dois lados…”.

Aílton Ferraz, do Tupi, conversa com treinador do Voltaço, Toninho Andrade

  Elogios ao Volta Redonda

  O Volta Redonda foi elogiado por Ferraz, que acredita ter submetido o grupo recém-formado a um bom teste: “Foi bom porque pegamos uma equipe forte, dá para ter uma ideia com quem podemos contar. Vi coragem, luta, batalha, entrega. Nem sempre vai ganhar. Por isso é bom enfrentar uma equipe qualificada. Tinha falado com eles (Volta Redonda) que o jogo teria que ser pela manhã (em função da possibilidade de chuva). Os garotos se comportaram bem mas num erro perderam o jogo.”

     Hora de corrigir

   Para os próximos jogos-treinos, a ideia é “ajustar muito mais a parte tática. As tomadas de decisões foram muito erradas. Falei para eles (jogadores) que isso é normal, temos treinado pela manhã e à tarde todo dia, sabia que a perna ia ficar presa. Esperávamos os erros, mas não tão gritantes. Vamos corrigir.”

  Sem muita mudança

   O resultado negativo não pode neste momento, na avaliação do trenador, mudar todo o desenho traçado para que a equipe mostre um futebol competitivo no Estadual: “A ideia é manter esse time (que iniciou), a não ser que tenha, por exemplo, em condições o Brasília. Vou mexer muito pouco. Temos que acreditar naquilo que a gente idealiza, para que possa ter sequência e estrear bem. Não adianta num jogo amistoso mudar toda a ideia que temos na cabeça. Estou muito tranquilo sobre isso. Foi um jogo parelho, diante de uma equipe muito forte que é o Volta Redonda. Estão de parabéns. Mesmo em cima de uma derrota, vamos tirar muitas coisas. Estamos no caminho certo. Às vezes você ganha jogos amistosos e isso acaba escondendo muitas coisas.  Deu uma clareza boa do que podemos fazer para o time estrear bem.”

 Villar lembra diferenças

  O goleiro Villar lembrou que, com a chuva, o campo não apresentou condições de se fazer um bom jogo tecnicamente, mas destacou a diferença entre as duas equipes: “Valeu por ser um primeiro desafio. Jogar contra uma equipe profissional. Nós temos uma equipe em formação, não dá para analisar somente o resultado. Tenho certeza que com o decorrer dos  treinamentos destas semanas, o time vai chegar mais encaixado.”

Formações iniciais

  A formação inicial do Tupi na atividade contou com Villar, Afonso, Diego Gomes, Aislan, Emerson; Nardine, Fábio Henrique e Hugo; Saulo, Gabriel Costa e Anderson Chubb.

  O argentino Ritacco, uma das novidades entre os alvinegros contratados para a temporada 2o19, não participou da atividade. 

    O próximo amistoso, se não houver alterações na programação inicial, será no sábado, 12, diante do Nacional de Muriaé, 16h, também em Santa Terezinha.

  O Voltaço iniciou o jogo com Douglas Borges; Luís Gustavo, Daniel Felipe, Heitor e Luiz Paulo; Bruno Barra, Bileu e Marcelo; Alysson, Wandinho e João Carlos. No decorrer da atividade, o técnico Toninho Andrade modificou toda a equipe.

  O triunfo do Volta Redonda marcou o quinto jogo-treino da pré-temporada do Esquadrão de Aço. Até o momento, a equipe venceu três, empatou um e perdeu um. A próxima partida será contra o Taubaté-SP, dia 9, às 15h30, em Vassouras.

 

Texto com informações das assessorias de Tupi e Volta Redonda e do jornalista Giovane Rezende (Rádio Catedral)

Fotos: Junior Ayupe/ Tupi FC

 

Deixe seu comentário