Lixo eletrônico

Dados do Global E-waste Monitor 2017, relatório internacional elaborado pela Universidade das Nações Unidas (UNU), revelam que o Brasil gerou um total de 1,5 milhão de toneladas de lixo eletrônico em 2016, ficando apenas atrás dos Estados Unidos, que produziram 6,3 milhões de toneladas de lixo eletrônico no mesmo período. Resumindo: somos o segundo maior gerador desse tipo de resíduo no mundo.

A geração de lixo eletrônico atingiu 44,7 milhões de toneladas em 2016, um aumento de 8% em relação ao ano anterior. A pesquisa mostra que apenas 20% dos resíduos eletrônicos descartados foram reciclados, a despeito do alto valor agregado dos materiais que compõem alguns equipamentos, como ouro, prata, cobre, platina, paládio e outros materiais recuperáveis.

Na edição deste ano do Ibitipoca Off Road, a E-Ambiental irá desenvolver um calendário extenso de atividades junto ao público de Juiz de Fora e Lima Duarte. A proposta da parceria é reforçar as ações do rallye com foco em sustentabilidade e meio ambiente, além de estimular a coleta de lixo eletrônico na sociedade. Um dos pontos altos do trabalho é a doação de computadores, construídos a partir de sucatas de lixo eletrônico, para a Associação dos Moradores e Amigos do Distrito de Conceição de Ibitipoca (AMAI). Os equipamentos serão usados nos cursos de informática da associação.

E-Ambiental: transformando sucata em histórias de vida

A E-Ambiental, com sede em Juiz de Fora, é uma empresa especializada na manufatura reversa de resíduos, buscando soluções para facilitar o acesso da sociedade ao descarte ambiental correto dos eletrônicos. A partir de campanhas e parcerias com ONGs, associações, instituições públicas e privadas, a empresa coleta de monitores a celulares, passando por brinquedos e até mesmo painéis digitais, realizando a triagem e destinando cada material para reutilização, reciclagem ou doação. Ou seja, reintroduzindo na cadeia produtiva de grandes empresas, materiais como alumínio, cobre, plástico, retirados de tevês, videogames, celulares, DVDs, etc. 

Em apenas três anos de existência, a E-Ambiental tem provocado uma revolução comportamental por onde passa. Entre suas atividades, projetos como a parceria com o Projeto Social de Ressocialização de Detentos, implantado no Sistema Prisional de JF (CERESP), onde o material eletrônico é desmontado e separado; e o projeto de Inclusão Digital que oferece, além de computadores montados com o lixo eletrônico coletado, cursos profissionalizantes em informática a jovens carentes; têm atraído a atenção de toda a sociedade. Outro destaque do trabalho desenvolvido pela empresa é o DISK COLETA que, por meio de agendamento feito por telefone, faz o recolhimento do lixo eletrônico depositado em ecopontos fixados estrategicamente em locais de fácil acesso.

Voltando ao relatório do Global E-waste Monitor 2017, o documento destaca que a geração de lixo eletrônico global deve aumentar em torno de 17%, e superar a marca de 50 milhões de toneladas por ano, até 2021. A E-Ambiental acredita que o que se compartilha, se multiplica. Focada nesta premissa, a empresa projeta um futuro mais limpo e sustentável, mas sabe que a caminhada é de recomeço a cada dia. Justamente porque precisa, inicialmente, ‎sensibilizar 563 mil juiz-foranos antes de conquistar os 213 milhões de brasileiros.

Então, fica o convite: faça parte desta ideia! Descarte seu lixo eletrônico corretamente!


Voltar
error: Conteúdo protegido.