08 maio 2018

Tupi e Baeta receberão da Prefeitura R$ 30 mil mensais cada um



Tupi estampa marca da Prefeitura na camisa e placas no Estádio

  Com o acesso do Tupynambás à elite do Campeonato Mineiro conquistado esse ano, Juiz de Fora passa a contar com dois times na Primeira Divisão do Estadual, algo que não ocorre desde 1987, quando Tupi e Sport disputaram a mesma competição.

  E a chegada do segundo integrante local ao patamar mais alto do futebol de Minas levantou a dúvida: como ficaria o repasse mensal da Prefeitura para dois times no mesmo torneio?

  Segundo informações da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), a Lei de Incentivo ao Futebol (Lei 11.427 – 14 de setembro de 2007), alterada depois por duas outras (Lei 12.489 – 28 de fevereiro de 2012 e Lei 12.618 – 6 de julho de 2012), garante que no próximo ano, durante o Campeonato Mineiro, cada uma das equipes receberá o valor de R$ 30 mil.

Atualmente, o Tupi recebe a quantia enquanto está nas disputas do Módulo I do Estadual e da Série C do Campeonato Brasileiro.

 

Como foi até hoje        

  Durante o ano de 2018, além de repassar R$ 30 mil mensais ao Tupi, a Prefeitura respondia por R$ 20 mil do orçamento mensal do Baeta. O montante também está previsto na Lei de Incentivo ao Futebol para times que disputem o Módulo II.

Assim, o Leão do Poço Rico terá um aumento de verba vinda do Executivo do município de R$ 10 mil mensais para a disputa da Primeira Divisão.

  Para que recebam os valores mensais, os clubes devem apresentar suas certidões negativas de débito municipais. De acordo com informações da SEL, somente quando há algum atraso com relação a esta exigência a Prefeitura não realiza o repasse.

 

Baeta também tem marca da Prefeitura no uniforme e placas

Outra condição exigida por Lei dos clubes é a colocação de placas de publicidade com divulgação da logo da administração municipal nas laterais, em frente ao meio de campo, paralelas ao alambrado do Estádio Radialista Mário Helênio.

  Além disso, apesar de não ser essa uma exigência legal, tanto Tupi como Tupynambás estampam no alto das costas de suas camisas de jogo a marca da Prefeitura, assim como fixam placas com a mesma atrás das linhas de fundo do campo.

 

Com ou sem base?

  Uma das exigências do texto original da Lei era a destinação de R$ 7,5 mil dos R$ 30 mil repassados mensalmente para a equipe de juniores. Mas na alteração feita através da Lei 12.489, 28 de fevereiro de 2012, derrubou essa condição.

  Segundo informações da SEL, o Executivo trabalha com a atual legislação, mas está em avaliação na Procuradoria Geral do Município uma Lei que prevê a exigência das categorias de base para que os clubes tenham acesso a essa verba.

Texto: Toque de Bola

Fotos: assessoria Tupi / flick oficial Tupynambás


Voltar

Deixe uma resposta

Notícias


18 out 2018
Superliga masculina 2018/2019: veja tabela, novidades e projeções

18 out 2018
Primeiro Tu-Tu! Times de JF na elite mineira se reúnem com a SEL

18 out 2018
Tupynambás: objetivo é manter-se na elite do Campeonato Mineiro

18 out 2018
Para trás e para a frente! Tupi ainda tem dívidas, mas já pensa em 2019

+ notícias

Toque de Bola

O primeiro portal exclusivo de esportes de Juiz de Fora cresceu rápido! Lançado oficialmente em janeiro de 2011, o Toque de Bola conquistou milhares de seguidores também nas redes sociais. Estamos no Instagram, no face, no Twitter. Informação dinâmica, com credibilidade e agilidade.


Acesse

error: Conteúdo protegido.