Alex Nascif conta ao Toque de Bola como é o curso de treinador da CBF

 

Alex na sala de aula dos treinadores

   É numa “sala de aula” com lições teóricas e práticas que o treinador sub-17 do Futebol da UFJF está buscando conhecimentos para o aperfeiçoamento profissional. Alex Nascif, 30 anos, que voltou a Juiz de Fora nesta temporada, decidiu investir na carreira de treinador tendo por base o curso Licença A promovido, em várias etapas, pela CBF. Entre os professores, está Lars Isecke, ex-treinador das seleções de base da Alemanha e hoje coordenador das seleções chinesas. O curso ainda prevê estágio de 50 horas em um clube profissional.

  O Toque de Bola conversou na tarde desta segunda-feira, dia 5, com Nascif, que contou detalhes da experiência que vivencia para consolidar sua trajetória num mercado bastante competitivo.

Toque de Bola: Pode nos contar um pouco sobre o curso que está fazendo na CBF?

Alex Nascif: “Estou fazendo a Licença A da CBF Academy. Os cursos CBF se iniciaram em 2009, não com o nome de cursos CBF, mas de treinadores de futebol. Iniciou-se na PUC Minas, com Mauricio Marques, Osvaldo Torres e Ricardo Drubscky. Hoje a CBF Academy tem cinco licenças de treinador (S-Social, C- Escolas de Futebol, B- Categoria de Base, A- Profissional e Pro- Competições Internacionais). Cada licença tem seu critério de inclusão. Fiz a licença B em 2015 e agora o primeiro modulo da licença A. Além das licenças de treinadores, tem cursos de preparação física, goleiros, análise de desempenho, gestão técnica e outros. A expectativa da CBF é que até 2020 se tenha a exigência da licença para trabalhar no futebol, como já ocorre na Europa. O segundo módulo será em fevereiro de 2019.”

Toque de  Bola: E como são os trabalhos, as avaliações?

Lars Isecke, alemão, ex-treinador das seleções de base da Alemanha e hoje coordenador das seleções chinesas, é professor de Alex Nascif no curso da CBF

Alex Nascif: “Neste primeiro tivemos disciplinas de Gestão, Treinamento Funcional, Imprensa e Treinador, Treinamento de Campo, Análise de Desempenho e Montagem de Elenco, além de disciplina prática do Treinamento. Todas disciplinas têm trabalhos, a ultima citada é desenvolvida de forma que divide em grupos e se apresenta uma semana de treinamento no campo e depois se discute em sala. Todos os professores estão ou já estiverem em clubes de Serie A, com destaque para o Professor Lars Isecke, alemão, ex-treinador das seleções de base da Alemanha e hoje coordenador das seleções chinesas. Além disso, tem uma disciplina onde se deve fazer um estágio de 50 horas em um clube profissional.”

Toque de Bola: É o único de Juiz de Fora que está fazendo?

Alex Nascif: Licença A que eu saiba, eu, Luiz Fernando, atualmente auxiliar do sub 20 do América Mineiro e Leonardo Condé (ex-Tupi, hoje no Botafogo de Ribeirão Preto-SP). Posso estar errado, mas desconheço se tem outras pessoas.”

Toque de Bola: Quais são suas metas nesta temporada?

Alex com Ricardo Gomes

Alex Nascif: “Minha meta é conseguir novamente o acesso à elite do Campeonato Mineiro de base. Acredito muito no trabalho desenvolvimento pelo Futebol UFJF.”

 Alex é formado em Educação Física pelo Granbery, Especialista em Futebol (UFV) e Treinamento Desportivo (UFJF). Licença B e agora A de treinadores da CBF. No Futsal tem no currículo o Sub7 Adulto Cascatinha. No futebol profissional, foi auxiliar técnico ou analista de desempenho nos clubes: Tupi (2011/2012), Nacional (MG-2012/2013), Ferroviária-SP (2013), Tombense (2014), América Mineiro (2014),  Ipatinga (2015), Tupynambás (2017) e Cuiabá (2017). No futebol de base, foi treinador Sub17 UFJF/Uberabinha 2016 e 2017 e – agora – UFJF 2018.

   Como será

  A Segunda Divisão do Campeonato Mineiro Sub-15 e Sub-17 definiu, em Arbitral convocado pela Federação Mineira de Futebol, o regulamento da competição da temporada 2018. De acordo com Marcelo Matta, coordenador do Núcleo de Futebol UFJF, “das 21 equipes anunciadas, duas não foram. O Boa, de Varginha, e uma equipe de Ponte Nova. Serão quatro grupos, três com cinco equipes e um com quatro. Classificam-se dois times em cada grupo, formando-se um octogonal a partir de agosto. Daí, sobem três equipes. A primeira fase da competição começa em 7 de abril e vai até junho. Para durante a Copa do Mundo e a Taça BH”.

 Matta acrescenta que após 15 de março, data estipulada para acerto dos clubes envolvendo a taxa de arbitragem, “caso alguma equipe desista, a Federação tem autonomia para fazer alterações”.

 Alex Nascif será o treinador da faixa de idade sub-17 e Tadeu Rodrigues vai dirigir o time sub-15.

 Este ano, o Uberabinha, que já fez parceria com o futebol da UFJF, vai disputar a primeira divisão estadual das mesmas categorias sub-15 e sub-17. A parceria durou dois anos. No primeiro, em 2016, a equipe então denominada Uberabinha-UFJF conseguiu o acesso para a divisão principal. Já no ano passado, os times não conseguiram chegar à fase decisiva da competição.

  Na edição 2018, o time da instituição de ensino será gerenciado pela Asepel.

 

Texto: Ivan Elias – Toque de Bola

Fotos: Arquivo Pessoal

Deixe seu comentário