Baeta em campo: Guiba sereno, Ademilson brilhando e Filipinho calibrado

 

Tupynambás fez sua primeira partida oficial em Juiz de Fora na temporada 2018

   Depois da derrota na estreia (2 a 1 fora de casa para o Social de Coronel Fabriciano) e um placar elástico favorável construído com belos gols (5 a 3 sobre o Betinense em Juiz de Fora na manhã de sábado, dia 24), o Tupynambás  volta a campo na noite desta quarta-feira.

   Vai enfrentar o América, de Teófilo Otoni, às 20h, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, pela terceira rodada do Módulo 2 do Campeonato Mineiro. O time está na sexta colocação

 A bilheteria do Estádio Municipal estará aberta a partir das 19h. Os ingressos serão comercializados pelo preço de R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada). Sócios torcedores, mulheres e crianças não pagam.

  A sensação entre os principais personagens da boa vitória de sábado – o time chegou a abrir 5 a 1 – é de consciência de um campeonato equilibrado, em que o entrosamento dentro e fora de campo entre jovens e veteranos vai ditar o ritmo e encurtar o caminho para buscar o sonhado acesso ao Módulo 1 de 2019.

Módulo 2: jogos da terceira rodada da fase de classificação. Clique sobre a imagem para ampliar

   O treinador Guiba admite que o elenco precisa de reforços em algumas posições – “lateral, volante, meia e atacante”. Ademilson, que deixou o gramado sorridente e fazendo sorrir – foi muito aplaudido pelos torcedores pela atuação com gol, assistência e fôlego de sobra aos 43 anos – disse que a sua “estrela brilha” no palco do Mário Helênio. Já Filipinho vibrou com seus dois gols, um em bela cobrança de falta, e exaltou o início do entendimento com Ademilson: “Uma honra jogar com ele”.

 Confira as entrevistas concedidas pelos personagens da goleada ao Toque de Bola (no caso do treinador Guiba, as perguntas também são de outros veículos de imprensa durante coletiva).

Guiba exalta Ademilson e garante comprometimento

Foi uma boa vitória, com belos gols. Ficou satisfeito com o rendimento do time?

Guiba: “É verdade. Nós precisávamos dessa vitória, já que estreamos com uma derrota em Coronel Fabriciano, e nós precisávamos dessa vitória em casa. Não esperávamos que fosse tão elástica, fizemos cinco gols, sofremos três, e na verdade poderíamos ter vencido por 5 a 1, mas acabamos relaxando. É uma coisa normal, mas vamos cobrar. O mais importante foi que vencemos e estamos na briga na competição.”

Após dois jogos do Módulo 2 o que já foi possível observar sobre esse início de competição?

Toque de Bola na entrevista coletiva com o treinador do Baeta, Guiba

Guiba: “Na verdade as equipes se equiparam muito, e o que vai mandar muito é o físico e a parte tática, além da concentração, esforço e dedicação de cada atleta. O comprometimento é o mais importante, acho que isso é o que vai fazer diferença dentro da competição.”

Você esperava esse jogo tão aberto, com tantos gols?

Guiba: “Na verdade não. Esperava um jogo mais preso, mais truncado, haja visto o primeiro tempo, que foi dessa maneira, fizemos dois gols e tomamos um. Mas no segundo tempo, se não me engano, logo aos seis minutos tivemos a felicidade de fazer o terceiro gol, depois o quarto e o quinto, e aí relaxamos um pouquinho e sofremos o segundo e o terceiro.”

O time esteve bem diferente da partida de estreia, na postura. O que o torcedor pode esperar e qual evolução você prevê para a equipe no decorrer do campeonato?

Guiba: “Nós entramos com uma formação em Coronel Fabriciano contra o Social, e não funcionou no primeiro tempo. No segundo tempo mudamos e começou a funcionar melhor, e hoje entramos com a equipe que terminou jogando contra o Social. Hoje, desde o primeiro até o último minuto tivemos outra postura, outra atitude, e é isso que o torcedor pode esperar: muita vontade, determinação e comprometimento desses atletas, porque todos que estão aqui eu conheço, eu indiquei, trouxe, e alguns que eu não conhecia me deixaram muito feliz, como o Ademilson, com 43 anos, correndo o que ele corre me surpreende a cada dia.Estamos muito felizes com o nosso grupo de trabalho, e o que o torcedor pode esperar é sempre muita determinação e comprometimento dos atletas.”

Todo mundo de olho na bola na “gaveta” na cobrança de falta de Filipinho, no primeiro gol da partida

Fale um pouco sobre o Filipinho, camisa 10 do Leão, vindo do Atlético Mineiro e que fez um belo gol de falta hoje. Quais são suas pretensões para esse jogador?

Guiba: “É um atleta diferente, que não tem um contrato com o Atlético Mineiro até hoje à toa. Ele faz a diferença no meio campo, tanto ele quanto o Linhares, que está fora, mas é um jogador muito interessante também. O Filipinho já vem de uma escola de competitividade, que é o Atlético, e é muito bom tecnicamente, taticamente cumpre bem a sua função, e o que  esperamos é descansá-lo bastante para que no momento da partida ele possa estar descansado e bem posicionado para ajudar e colocar os atacantes em condições de fazer os gols. E também finalizar, que é uma boa característica dele.”

Como é o seu papel de treinador em uma equipe que, por conta do regulamento, possui alguns atletas experientes e a maioria jovem?

Guiba: “É lógico que preocupamos um pouco mais com os jovens. Ajudá-los no dia-a-dia de trabalho, mostrar para eles o que significa a competição, que é curta, juntamente com os atletas mais experientes, que têm feito isso também e me ajudado bastante. Conversando com os mais jovens e mostrando a eles a importância da competição.”

Hoje o Aurélio machucou e você acabou colocando o Kelvin, que é um volante, para atuar na lateral esquerda. Comente um pouco sobre esse elenco enxuto. Preocupa a longo prazo?

Guiba: “Sim, preocupa muito. Tenho conversado bastante com o Alberto (dirigente Alberto Simão) sobre isso. Temos o Vinicius e o Bilú (nota da redação: tiveram seus nomes publicados nesta terça-feira, dia 27, no BID da CBF). Estamos batalhando atrás de um novo lateral, estamos praticamente acertados, e pretendemos trazer mais um volante, um meia e um atacante, para podermos trabalhar até a fase final.”

Três no BID

  Nesta terça-feira, três atletas do Tupynambás tiveram seus nomes publicados no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF: Vinícius Belo Vale (zagueiro), Bilu (meia) e Jean (atacante).

Ademilson: “Aqui a minha estrela brilha”

 Confira a entrevista com o atacante Ademilson, concedida na saída de campo ao Toque de Bola:

Ademilson marca, de cabeça, o quinto gol do Baetasobre o Betinense

Hoje o repertório foi completo. Gol, assistência, brindando o torcedor que veio ao estádio. Como é esse prazer de jogar futebol aos 43 anos?

Ademilson: “É sempre gratificante. Como digo aos meus companheiros, aqui é minha casa, gosto de jogar aqui, é onde a minha estrela brilha. Graças a Deus independente de quem fez o gol eu pude participar, e saímos com os três pontos que é o mais importante.”

Como é o entrosamento com a garotada?       

Ademilson: Muito bom. Eles são rápidos, não é? Eu chego um pouquinho atrasado, mas a gente vai se entrosando a cada jogo que passa.”

Qual é o segredo para continuar jogando aos 43 anos?

Ademilson: “Se cuidar dentro e fora de campo. Acho que o futebol não combina muito com noitada e bebida. Sempre fui um cara que me cuidei e agora estou conseguindo prolongar um pouquinho a carreira de atleta.”

O torcedor pediu para você não parar de jogar. O que diz sobre isso?

Ademilson: “Eu sei que essa hora está chegando, mas enquanto eu aguentar correr e acompanhar a garotada eu vou levando.”

Filipinho confia em vaga nas semifinais

Filipinho marcou dois gols em sua primeira partida diante do torcedor de Juiz de Fora

 Em sua primeira partida diante do torcedor de Juiz de Fora, Filipinho deixou seu nome marcado, com dois gols e boa movimentação. O gol de falta, o primeiro da partida, provocou muita repercussão nas redes sociais do Portal Toque de Bola. Confira a entrevista com o meia:

 Ademílson foi um destaque da partida e você fez dois gols. Fale um pouco sobre a sua trajetória no futebol para o torcedor.

Filipinho: “Comecei no Ipatinga, tive uma breve passagem pelo América e de lá fui para o Atlético, equipe que representei na Florida Cup em janeiro, e agora estou aqui no Tupynambás, com esse grupo maravilhoso.”

E o gol de falta?

Filipinho: “Estou muito feliz. A gente vem treinando durante a semana para chegar no jogo e sair do jeito que saiu.”

Como é jogar ao lado do Ademilson?

Filipinho: “É uma honra jogar com ele. Estamos sempre treinando e conversando durante a semana e esse entrosamento com ele é fruto disso.”

Como viu os dois jogos iniciais do campeonato, o que pode esperar do Módulo 2?

Filipinho: “Muito corrido e pegado. Acho que nosso time está bem e temos condições de chegar entre os quatro primeiros.”

  Jogos da segunda rodada

Módulo 2: resultados da segunda rodada da fase de classificação. Clique sobre a imagem para ampliar

  Pela segunda rodada do Módulo 2 do Campeonato Mineiro, dois jogos ocorreram na manhã de domingo, dia 25.

  Democrata e América de Teófilo Otoni empataram sem gols na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

  Em São Gonçalo do Rio Abaixo, Tricordiano e Ipatinga também empataram. O resultado de 1 a 1 foi construído na segunda etapa do confronto. Aos 18 minutos, o zagueiro Aldo inaugurou o marcador. Aos 37, Paulo Henrique, cobrando pênalti, empatou para o Tigre e decretou o placar final. 

  Sábado, dia 24, quatro partidas abriram a rodada. Todos os mandantes aproveitaram a vantagem de jogar em casa e venceram seus compromissos: Tupynambás, CAP Uberlândia, Guarani e Uberaba. Confira. 

  No Parque do Sabiá, em Uberlândia, o CAP Uberlândia recebeu o empolgado Nacional para o seu primeiro jogo em casa na competição. A equipe de Muriaé chegou embalada pela vitória por 3 a 0 na primeira rodada, mas foram os donos da casa que comemoraram ao final do jogo: 1 a 0, gol de Cassiano, aos 15 minutos do primeiro tempo. 

   Quem também venceu pelo placar mínimo foi o Guarani. O Bugre jogou em casa, no Farião, em Divinópolis, e superou o Social de Coronel Fabriciano, vencendo seu segundo jogo no Módulo II. Aos 22 minutos da primeira etapa, Pedro Felipe marcou o gol que garantiu o Guarani 100% na competição. 

     Fechando os jogos do sábado, o Uberaba goleou o Mamoré por 4 a 1 e venceu a primeira no torneio. No primeiro tempo, Sidney marcou duas vezes, aos cinco e aos 22 minutos, e colocou o Zebu com boa vantagem. Na etapa final, Willian Emmanuel chegou a descontar para o Sapo, mas Crispim, aos 40, e Gabriel Vieira, aos 49, marcaram para o USC e decretaram o resultado final.

 Regulamento

 

Módulo 2: classificação. Clique sobre a imagem para ampliar

A fórmula de disputa do Módulo 2 é diferente em relação aos anos anteriores. Na edição 2018, não houve distribuição das equipes em chaves. As 12 equipes disputam a fase de classificação jogando entre si, em turno único, e as quatro primeiras colocadas seguem para a etapa semifinal.

  Os dois times com pior rendimento na fase de classificação serão rebaixados.

  As semifinais terão os confrontos entre primeiro e quarto lugar e segundo e terceiro lugar, em partidas de ida e volta.

  As duas equipes que vencerem os seus confrontos na semifinal “sobem” para a divisão do futebol mineiro de 2019.

   Critérios de desempate

Em caso de empate em pontos ganhos entre dois ou mais clubes ao final da 1ª Fase, o desempate, para efeito de classificação às semifinais, observará os critérios abaixo: 1º) maior número de vitórias; 2º) maior saldo de gols; 3º) maior número de gols pró; 4º) confronto direto; 5º) menor número de cartões vermelhos recebidos; 6º) menor número de cartões amarelos recebidos; 7º) sorteio público na FMF. Parágrafo único – No caso de empate entre mais de dois clubes, não será considerado o quarto critério.

(texto do artigo 16 do regulamento)

 

Textos: Ivan Elias – Toque de Bola, com informações da Federação Mineira de Futebol

Fotos: Toque de Bola e Patrocínio Photo Studio (divulgadas pelo clube)

Artes:  Toque de Bola, com informações da Federação Mineira de Futebol

 

  

 

Deixe seu comentário