Oficial: Tupi informa que treinador Aílton Ferraz não fica no clube

 

Aílton, em coletiva após jogo da Série C: “Todos sabem que não temos super time, somos operários. Só que a torcida já está achando que temos um super time e nós não temos”

  O Tupi anunciou em seu site oficial, na tarde desta quinta-feira, 19, que o treinador Aílton Ferraz não terá o seu contrato renovado. Assim, já começa a busca pelo novo comandante, que terá como primeira competição o Campeonato Mineiro de 2018.

  O dirigente responsável pelo futebol do Carijó, Nicanor Pires, disse ao Toque de Bola: “Conversei com Aílton hoje (nesta quinta) pela manhã e não chegamos a um acordo. Ele preferiu buscar novos desafios. Foi um treinador muito importante nesse ano de 2017. O Tupi agradece ao Aílton por sua dedicação e capacidade, e deseja sucesso na nova empreitada”.

  No site

  No site, a íntegra da nota diz:

   “O técnico Aílton Ferraz não permanecerá no comando do Tupi para a temporada de 2018. O treinador chegou ao Galo Carijó no Campeonato Mineiro de 2017 e se classificou para às quartas de final da Série C do Campeonato Brasileiro pela equipe de Santa Terezinha, após sete vitórias, sete empates e quatro derrotas à frente do time alvinegro no Brasileirão. O Tupi agradece os serviços prestados por Aílton Ferraz ao Galo Carijó e deseja sorte em sua caminhada.”

  Sem surpresa

  Embora lamentada por muitos torcedores, que se manifestaram em grupos de discussão e redes sociais, a informação não foi recebida com surpresa. A campanha do Tupi na Série C valorizou o trabalho do ex-jogador campeão por Fluminense, Flamengo, Grêmio e outros grandes clubes do futebol brasileiro.

   O tom de despedida já havia se manifestado em algumas oportunidades, inclusive na entrevista coletiva após a vitória que não foi suficiente para garantir o acesso à Série B – 1 a 0 sobre o Fortaleza, com arbitragem polêmica em lances decisivos.

  Dias depois da eliminação, em entrevista convocada pela diretoria, outro sinal que a renovação de contrato seria complicada. os dirigentes disseram que fariam de tudo para tentar manter o técnico

  Aílton deixa para o torcedor e para o clube a imagem de um profissional sem estrelismos, que chegou com um sorriso no rosto em meio à péssima colocação do time no Campeonato Mineiro, evitou a queda no Estadual com certa tranquilidade e depois conduziu o grupo, considerado de qualidade técnica modesta, ao mata-mata que levaria para a Série B.

  No mata-mata, pesou muito a “pane” geral vivida pelo time depois que o Fortaleza assinalou o primeiro gol, no início da segunda etapa. O jogo terminaria 2 a 0.

  O jogo de volta, em Juiz de Fora, transformaria-se em novo momento de superação, quase transformado em acesso. Desfalcado inicialmente de Diego Luiz, suspenso com o terceiro cartão amarelo, o time perdeu Leandro Brasília, ainda no primeiro tempo, mas jogou um futebol consistente, venceu o jogo mas não alcançou, muito em função das decisões da arbitragem (pênalti não marcado e gol mal anulado por impedimento), pelo menos mais um gol que forçaria a definição da vaga nas cobranças de tiros livres. O adversário avançou pelo número de gols marcados e está na final contra o CSA, de Alagoas – primeiro jogo terminou 2 a 1 para os alagoanos, na capital cearense.

 

Texto: Toque de Bola, com informações complementares divulgadas pelo site do Tupi

Foto: Flickr Tupi

  

 

Deixe seu comentário