Faefid “vive” Dia do Profissional de Educação Física. “Esse é o papel da Universidade”, destaca Vianna. Veja fotos

  Não basta correr. É preciso ter conhecimento sobre os diversos aspectos que envolvem o ato não só de correr mas de praticar atividades e buscar melhor qualidade de vida. E a Universidade precisa ir além de transmitir conhecimentos aos alunos. Deve se abrir para a comunidade seja no espaço físico ou nos projetos de extensão e iniciação científica.

   Foi com esse objetivo que a Faculdade de Educação Física (Faefid) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) promoveu, na noite de sexta-feira, palestras e apresentações para marcar o Dia do Profissional de Educação Física.

   O Portal e a s redes sociais do Toque de Bola acompanharam atentamente cada passo do evento e publicam entrevistas com a direção da Faculdade, os palestrantes e os professores dos grupos que se apresentaram, com galeria de fotos da noite de sexta-feira. O palco escolhido pela coordenação foi o ginásio da Faefid, no Campus Universitário.

Jeferson Vianna – Diretor da Faculdade de Educação Física da UFJF

Diretor da Faefid, Jeferson Vianna

“Nós programamos um final de semana de homenagem ao Dia do Profissional de Educação Física, que se comemora em primeiro de setembro. É uma data muito importante para nós, porque temos uma grande preocupação em relação à saúde, qualidade de vida da população em geral, e também os cuidados com a formação das crianças, na preparação, cuidados com idosos, etc. Como nós tínhamos a prova já cadastrada para a participação do Ranking de Corridas de Rua de Juiz de Fora, aproveitamos o momento para organizar no final de semana o ciclo de palestras, a corrida infantil, o Meeting de atletismo em homenagem ao Professor Paulo Roberto Bassoli, ex-diretor da faculdade , que nos deixou muito jovem, e no domingo a prova principal, de sete quilômetros, que pertence ao Ranking. A palestra foi importante para os corredores poderem não somente correr, mas também aliar o conhecimento à corrida, ou seja, a teoria à prática. Esse é o ponto importante. E assim pretendemos fazer para os próximos anos: sempre proporcionar palestras para que os corredores possam saber como correr, porque estão correndo e o que fazer na sua preparação, para que tenham uma preparação completa e não somente colocar o short, o tênis e sair correndo. Saber como proceder em relação a isso para ter todos os cuidados, evitando lesões ou qualquer tipo de problema e ao mesmo tempo poder melhorar seus rendimentos.

 Esse é o papel da universidade, não pode ser uma coisa fechada. Tem que ser aberta à comunidade. Poder proporcionar à população não só aqui conhecimento teórico nas aulas para seus alunos, mas permitir que a população vivencie a universidade como um todo. Desde o seu espaço físico, mas ao mesmo tempo, ter acesso aos nossos projetos de extensão, nossos projetos de iniciação científica, um contato mais próximo com os nossos professores e alunos. Esse é o papel da universidade.”

Neil Franco – Responsável pelo Projeto Pés de Valsa – Dança de Salão UFJF, que são feitos na Faefid

Professor Neil reúne o grupo no ginásio da Faefid

   “Trabalhamos com aulas de dança de salão e temos um grupo que foi o que se apresentou hoje (sexta-feira). O outro projeto que envolveu as senhoras trabalha com a ginástica geral, que é a modalidade que envolve a relação entre os elementos da ginástica, dança, recreação,e vários elementos da cultura corporal. Temos o projeto ‘De pernas pro ar’, que atende um grupo da comunidade, e qualquer pessoa adulta que tem interesse em fazer uma atividade física e recreativa pode participar. Nosso foco é o lazer, a diversão, performance é uma consequência não é o principal do projeto. Acontece através da movimentação, da dança, prática da ginástica. E dentro do projeto ‘De pernas pro ar’ tem o ‘Grupo Ginástica’, que trabalho com alunos da graduação, de outros cursos também e quem queira participar a ginástica com esse foco da demonstração. O objetivo é trabalhar com essa questão de montar coreografias, trabalho plásticos envolvendo os elementos de todas as ginásticas, seja rítmica, artística, acrobática e trampolim se for o caso, com outros elementos da cultura corporal, jogos, danças. Nesse tema de hoje (sexta-feira, dia 1º) trabalhamos com as danças urbanas, focando mais no hip hop.

 

Professor Neil Franco

 A ginástica geral tem uma coisa muito interessante porque envolve pessoas de várias idades, com vários tipos de limitação. O foco da ginástica é incluir todos. Quando conseguimos estruturar um trabalho como esse, com o pessoal da comunidade em especial, tem até pessoas com deficiência participando conosco e conseguimos incluir todo mundo dentro de um trabalho plástico. E isso é um produto de um trabalho que aconteceu, não é somente uma apresentação. Representa tudo que temos feito dentro do projeto. Essa é a importância. E chegar hoje, eles se apresentarem, saírem felizes, isso mostra como a prática de atividade física, da sociabilização e do contato com o outro é importante.”

 

 

Mônica Santos – Professora de Kangoo Jump

Apresentação de Kangoo Jump, coordenada por Mônica Santos

“Tenho um estúdio de aula coletiva, que funciona de segunda à sexta no Bairro Manoel Honório, na qual dou aula de Kangoo Jump, além de outras modalidades. Trabalho somente com o público feminino. O Kangoo foi considerado o calçado com o menor impacto do mundo. Ele absorve o impacto nas articulações, para quem tem problema de joelho, tornozelo. É muito indicado pelos fisioterapeutas, por causa de postura também.

Foi a primeira apresentação do grupo. Já fomos convidados para outra, e agora, se Deus quiser, vamos fazer sempre. Trabalho com essa modalidade há dois anos e tenho alunas que estão desde o início comigo.

Hoje em dia temos que pensar muito em qualidade de vida, não é só um corpo bonito. Temos que tomar cuidado com o que comemos e praticar atividade física. Por isso até montei esse grupo no final de semana, porque tem muita gente que não tem tempo de praticar durante a semana. Quando conheci o Kangoo, logo me apaixonei, comprei as botas, e alugava para as meninas, mas hoje cada uma tem a sua. Todo mundo que faz se apaixona.  A gente brinca que é a bota da felicidade. Quem sobe nela fica super feliz mesmo.”

 

Prof. Dndo. Santiago Paes (Facsum) – Palestra “Hidratação em Provas de Corridas de Rua”

Santiago Paes (Facsum) abordou a “Hidratação em Provas de Corridas de Rua”

“Muitas vezes a gente pensa que a água, por não ter tanta energia, não é um componente importante para estarmos melhorando nosso corpo. E a partir do momento que conseguimos modular o quanto estamos consumindo de água, consegue melhorar tanto a saúde quanto também preparar o nosso corpo para suportar a demanda do exercício. Alguns aspectos fáceis de se avaliar. como a coloração da urina, nos dão um feedback de como está o nosso estágio de hidratação. Ou então se pesar antes da corrida e repor a quantidade de água que ficou, a diferença do peso que você pesou antes para depois da prova. A diferença do peso que deu é o quanto se deve beber. São aspectos práticos para o corredor melhorar o estágio de hidratação e consequentemente a saúde e o desempenho na prova.

A última refeição antes de dormir é interessante. Avaliar a coloração na urina – a última que se fizer à noite – e se tiver mais escura, beber um pouco mais de água, ou seja, tentar fazer última urina antes da prova ser mais clara. Em se tratando, por exemplo, do consumo de bebidas alcoólicas, evitar um pouco. Dormir bem, e de fato pensar que vai fazer uma boa prova, pensar que será feliz, isso também é importante.

  Muitas vezes esse conhecimento não é passado para as pessoas que mais precisam. E mais importante é ser passado de uma maneira que a própria pessoa tenha condição de usar na vida dela, não ficando à mercê de perguntar para outros profissionais para ficar sabendo desse conhecimento. Quando ela tem a capacidade ser autônoma, ela mesmo mediar as ações para a saúde dela, é o mais importante.”

 

Professor Jorge Perrout

Prof. Dr. Jorge Perrout (UFJF) – Palestra “Técnicas de Corrida”

“Quando a UFJF se dispôs a fazer a prova, pensamos não só em realizar, mas também em contribuir para melhorar o atletismo. É a função da escola, ensinar algo. Quisemos agregar à competição essa possibilidade de conversar com as pessoas, orientar. Essa é a característica que queremos dar à nossa corrida. Dentro do que eu falei a ideia é investir na técnica, pra isso não é preciso muito tempo. Talvez seja melhor fazer treinos mais curtos, tentando aprender a técnica.”

 

 

 

Prof. Dndo. Marcus Vinicius da Silva (UFJF) – Palestra “Treinamento Intervalado de Alta Intensidade”

Professor Marcus Vinicius da Silva

“O Ranking de Corridas de Rua é um evento que atrai muitos corredores e a função da Faefid, que está promovendo a corrida, é levar para os corredores esse conhecimento e tudo o que temos gerado aqui dentro. O objetivo foi traduzir esses conhecimentos da forma mais prática. É bom para mostrarmos o trabalho que está sendo feito e conscientizar os atletas praticantes de corridas de rua. Assim, a Universidade consegue trazer esse benefício indireto para esses corredores, por meio de pesquisas que são publicadas, e direto, por meio dessa conversa através de palestras, etc.

A primeira coisa é procurar uma avaliação médica, para esse médico liberar, e a partir daí procurar um profissional de Educação Física. Assim ele irá traçar as metas de acordo com a individualidade daquele sujeito, baseado no histórico esportivo dele. Só por meio do profissional a gente consegue essa prática seja saudável. As pessoas acham que correr é muito simples, é só calçar um tênis, colocar um short e ir pro anel viário correr, mas não é tão simples. E as palestras mostraram o quão complexo é esse movimento de correr. Essa palestra teve como objetivo também mostrar como as pessoas precisam de uma orientação adequada de um profissional para minimizar os riscos de leões, para que essa prática seja saudável. Por que lesão é a maior frustração que um atleta ao iniciar uma modalidade pode ter.”

 Veja, abaixo, galeria de fotos do evento promovido pela Faefid na sexta-feira, dia 1º de setembro, Dia do Profissional de Educação Física, no ginásio da Faculdade na UFJF.

 Clique sobre a foto que quiser ampliar

 Cobertura do Toque de Bola com  apoio de Plasc, Prefeitura de Juiz de Fora, Hiperroll Embalagens.

  Reportagens dos estagiários do Toque de Bola, Patrick Alves e Ayupe Júnior, supervisão e edição Ivan Elias, Toque de Bola.

  Fotos: Toque de Bola

 

 

Deixe seu comentário