JF Imperadores vence com festa da torcida na Federal. Veja bastidores e dezenas de fotos

   Em sua primeira atuação na cidade, na manhã deste domingo, dia 30, o JF Imperadores venceu o Macaé Oilers por 27 a 20, em partida bastante equilibrada. O duelo ocorreu no campo da Faculdade de Educação Física e Desportos da UFJF e contou com uma excelente presença de público: mais de 1.600 pessoas, que não se decepcionaram e puderam assistir a uma boa exibição dos donos da casa. Liderado mais uma vez pelo americano KC Frost, o JF Imperadores ganhou a segunda em dois jogos e segue invicto na Liga Nacional, que dá acesso à divisão elite do futebol americano no Brasil.

   O próximo será no dia 20 de agosto, contra o Palmeiras Locomotives com local a definir. Em caso de vitória, o time se classifica de forma antecipada para a próxima fase.

Gabriel, Diana e Rômulo: programa para a família e projeção de Juiz de Fora

  Atração para a família

   Junto da esposa Diana e do filho Gabriel, Rômulo Afonso acredita que o esporte é um programa para a família e o compara com o futebol tradicional. “Nós acompanhamos desde a NFL, e também sempre assistíamos o Red Fox. Depois surgiu o Mamute. Agora houve a fusão, formando o Imperadores, e hoje aproveitamos esse belo domingo de manhã para poder prestigiar o time da nossa cidade. É uma boa oportunidade para levar o nome de Juiz de Fora em projeção nacional, além de ser um programa diferente do futebol tradicional, ele atrai um público diferente, porque é voltado para a família. Não tem briga de torcida, vandalismo, furto nem roubo, então é um evento destinado à união da família”, afirma.

 

 

Gabriel e Conrado: torcida do Carijó dá uma força aos impeeradores

Torcedor do Tupi no Futebol Americano

Com a camisa do Tupi, Gabriel Iung foi com amigo Conrado Braga ao campo da UFJF e assistiu pela primeira vez in loco um jogo de futebol americano. “Gosto muito de esportes, acompanho a NFL há anos pela TV e achei legal a oportunidade de prestigiar tanto a cidade quanto o esporte. É importante Juiz de Fora ter uma equipe, várias outras cidades têm um time de futebol americano e é legal estar participando. Realmente ajuda a difundir o esporte”, disse o torcedor do Los Angeles Rams, time americano da NFL.

 

 

 

Bruna Lopes: “Me apaixonei por um menino do time, ainda no antigo Mamutes. Faço as coreografias e coordeno o ensaio junto com as meninas”

 Cheeleaders

   Além do público, o JF Imperadores contou com o apoio das líderes de torcida, que empurraram os jogadores e animaram as arquibancadas do começo ao fim. Bruna Lopes é a responsável e conta como foi a criação do grupo. “Eu me apaixonei por um menino do time, quando ainda estava no começo, o antigo Mamutes. Depois fizemos o grupo, porque não tinha líder de torcida. Logo foi crescendo, juntamos com o Red Fox e continuamos com o grupo aqui no JF Imperadores”. “Como já tenho experiência com a área de dança, faço as coreografias e coordeno o ensaio junto com as meninas. Quem conhece o futebol americano ama, não tem jeito, acaba gostando. Jogando aqui com a torcida de Juiz de Fora, ajuda a ter muito mais emoção na hora da dança, passando para o time”, completa.

 

 

Venda de camisas foi bem sucedida

  Venda de camisas

  Em parceria com o fornecedor de material esportivo, o JF Imperadores montou um stand com venda de camisas. A procura do público pelos produtos do time juiz-forano foi grande, principalmente com o lançamento da camisa com a assinatura do quarterback americano KC Frost, a estrela do time. Os preços eram de R$50,00 no dinheiro e R$60,00 no cartão. A alta procura fez com que todas as camisas fossem vendidas.

   KC Frost

  Após o jogo, KC concedeu entrevista ao Toque de Bola e comentou sobre o apoio da torcida. “Estávamos focados para esse jogo, treinamos muito. Mas tendo tanta torcida, isso agrega bastante para o time, a energia, você vibra com isso. Com certeza fez diferença para nós. Foi um jogo apertado, e isso é o futebol americano, então lutamos, e a torcida nos deu aquele gás a mais”.

Quarterback americano KC Frost é a estrela do time juiz-forano

   Jogo terrestre

  “Para mim o negócio é tentar avançar a bola, sempre olhando para fazer a jogada. Na verdade nada mais é do que tomar vantagem do que a defesa adversária está te oferecendo. Então eu fico com a leitura, sempre olhando para o campo de um modo geral, e se tiver um espaço vou tentar entrar, esse é meu jogo. É um pouco de instinto também, estou nesse esporte há mais de 20 anos”.

  Difundir o esporte no país

 “Percebi que o futebol americano está crescendo bastante no Brasil, inclusive junto comigo, quando cheguei aqui em 2010. Estava querendo me envolver mais nos times menores, para ver se eu consigo fazer uma diferença, dando apoio nisso (crescimento da modalidade). Conversei com alguns times, Juiz de Fora era um deles e gostei muito do projeto da diretoria e presidência. Tivemos algumas conversas bem interessantes e agora me apaixonei pelo time, eles viraram meus irmãos também. Só de fazer parte pra mim já está valendo a pena, mas lógico que temos que nos preocupar com nosso trabalho dentro de campo e ganhar os jogos”.

Autor de dois touchdowns, o running back do JF Imperadores, Matheus “Mini”, mora em Vitória e não consegue estar sempre com o time

  Matheus “mini”

Autor de dois touchdowns, o running back do JF Imperadores, Matheus “Mini”, mora em Vitória-ES, e não consegue estar sempre com o time. Além de ter que viajar para Juiz de Fora, o atleta também tem conciliar com a rotina de controlador de almoxarifado em uma empresa na capital capixaba.

“A rotina de treinamentos individuais eu faço em Vitória. O coordenador ofensivo que também é de lá me passa algumas movimentações, alguns treinos específicos para a posição, para chegarmos preparados fisicamente para o jogo. Nos treinos eu não consigo comparecer sempre, até pela escala de trabalho, é um pouco mais complicado, mas toda vez que podemos reunir, tentamos fazer isso aqui na cidade, com apoio da diretoria, eles pagam as passagens e a gente vem aqui treinar”. “Jogo futebol americano desde 2007, e o que me motiva é estar dentro de campo sentindo aquela adrenalina, o esporte é apaixonante. Eu tenho família em casa, e sei o quanto é legal chegar em casa e meu filho me abraçar e perguntar do meu jogo, é uma incentivo muito grande pra mim”.

 

 

Texto: Patrick Alves, estagiário do Toque de Bola, com edição e supervisão Ivan Elias, Toque de Bola

Veja galeria de fotos da primeira partida do JF Imperadores em Juiz de Fora. Se preferir, clique sobre cada imagem para ampliar.

Cobertura do Portal de Notícias Toque de Bola,  com apoio de Plasc, Prefeitura de Juiz de Fora, Torcedor Esporte Clube e Hiperroll Embalagens

Deixe seu comentário