No dia em que completa 105 anos, Tupi muda os três setores e busca pontuar em Joinville

   Fundado em 26 de maio de 1912, o Tupi completa 105 anos nesta sexta-feira, 26. Para marcar a data comemorativa, nada melhor que presentear a torcida com uma vitória sobre o Joinville, justamente nesta sexta, às 19h, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro da Série C, na  Arena Joinville.

  Depois de uma pane na energia elétrica do estádio Arena Joinville, ocorrida na manhã de quinta-feira, 25), o jogo teve data e horário confirmados para esta sexta-feira, às 19h. A informação divulgada pelo clube catarinense é  que a Prefeitura local contratou um gerador e seriam feitos testes para confirmar a viabilidade do sistema.

   A equipe ainda não venceu na competição e em dois jogos disputados até agora. Traz um ponto do empate fora contra a Tombense e perdeu em casa para o Ypiranga. Em caso de nova derrota, o sinal de alerta já pode ser ligado em Santa Terezinha. Sabendo dessa necessidade de trazer um bom resultado para Juiz de Fora, além da qualidade do adversário e a dificuldade de jogar na Arena Joinville, o treinador Aílton Ferraz irá modificar radicalmente o time.

 

Entrada de Patrick na defesa é uma das alterações testadas durante a semana nos treinamentos do Tupi

 Muda defesa

   Durante o último treino antes da viagem, na quarta-feira, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, Aílton repetiu no coletivo o que havia feito na terça, testando uma formação com três zagueiros. O técnico afirma que a opção se deve pelo fato do Galo ter cometido falhas no jogo passado e pelas características do adversário. “A gente sabe que precisa priorizar essa parte defensiva, o Joinville é um time que faz transição rápida, em casa é muito forte e sabemos das nossas limitações. Por isso eu e o Ricardo (auxiliar técnico) fizemos variações no esquema tático e achamos melhor entrar dessa forma”, revela. Edmário que volta de lesão começa jogando e formará o trio de zaga com Fernando e Patrick.

 Muda meio-campo

  A outra mudança será a entrada de Kalu no meio campo, atuando ao lado de Marcel e Leandro Ferreira (que volta após ser desfalque contra o Ypiranga), fazendo com que a equipe fique com três volantes. Segundo o treinador, essa alteração no principal setor do campo dará mais equilíbrio à equipe, que também não irá abdicar da parte ofensiva. “Precisamos de uma consistência maior na parte defensiva, mas não podemos abrir mão de atacar. Nessa formação o Bruno se transforma em ala, jogando mais adiantado, o Lucas mais a frente também chegando à área. Teremos dois volantes de saída, o Marcel vindo por trás e o Leandro buscando a área. E o Kalu, que tem uma boa mobilidade, mais recuado”, acrescenta.

Atacante Rafael, com a bola dominada, é uma das novidades do Tupi em Santa Catarina

 Muda ataque

  No ataque, Matheus Pato e Marcinho foram sacados. Andrey será adiantado para jogar com maior liberdade de flutuação no último terço, enquanto Rafael fica com a vaga de Thiago André, que sofreu um edema no joelho direito. Entrando como titular, Rafael fala da função que deve exercerá no jogo. “Minha característica é mais na força, tenho que deixar o mínimo possível dos jogadores defensivos deles jogar. O Aílton pede para sempre me aproximar e dar opções para conseguir fazer tabelas”.

  O treinador confirmou e, se não houver surpresas, o time que vai a campo no próximo confronto pela série C será o mesmo dos treinamentos: Paulo Henrique; Patrick, Fernando e Edmário; Lucas, Marcel, Kalu, Leandro Ferreira e Bruno Santos; Andrey e Rafael.

Desempenho

   Nenhuma equipe  do grupo em que está o Tupi conseguiu vencer as duas partidas iniciais na Série C. No planejamento estipulado como ideal pela Comissão  Técnica Carijó, o roteiro é vencer em casa e não perder fora. Na primeira rodada, o empate contra o Tombense  nem foi muito comemorado, em função de  o time estar em vantagem com um  gol assinalado na etapa final e ter cedido o empate ao cometer um pênalti desnecessário, que gerou a igualdade no placar.

   No último sábado, 21, em Juiz de Fora, a apresentação diante do Ypiranga-RS foi decepcionante: a equipe perdeu por 2 a 0, com gols sofridos ainda no primeiro tempo e quase nenhum poder de reação, apesar de  algumas poucas oportunidades criadas e uma penalidade máxima não marcada. Além do desentrosamento natural em início de competição, a falta de agressividade ficou evidenciada diante de um público muito pequeno.

   Com a defesa reforçada, a expectativa para o encontro considerado difícil desta sexta-feira, em Joinville, é atuar com a equipe mais compacta, sem dar espaços generosos ao adversário, como ocorreu nos lances dos gols marcados pelo Ypiranga-RS.

   O alvinegro juiz-forano entra   na terceira rodada já na zona de rebaixamento – pelo regulamento, os dois piores colocados de cada  chave serão rebaixados para a Série D.

   Adversário

   O Joinville busca retomar o lugar de destaque que chegou a ocupar no  cenário do futebol brasileiro. Alcançou a Série  em 2015, mas sofreu dois rebaixamentos consecutivos, tendo que recomeçar a  contar uma história feliz para os seus torcedores.  

   CLIQUE AQUI e veja a trajetória da equipe catarinense e como está o elenco do clube

 

Texto, arte e fotos: Toque de Bola

 

Deixe seu comentário