Goleada derruba o treinador. Tupi repete manchete da Série B e já luta contra queda no Mineiro

  O futebol do Tupi está novamente sem rumo. Depois da desastrosa participação na Série B no Campeonato Brasileiro e do rebaixamento, a nova equipe formada para o Campeonato Mineiro, com investimentos inferiores, completou a terceira rodada com uma goleada para o Cruzeiro por 4 a 0 e já passa a combater o risco de queda, agora para o Módulo 2 do futebol estadual.

  Cai o técnico

Éder Bastos foi a primeira vítima da má campanha no Estadual

  A primeira consequência do resultado negativo – e da campanha (duas derrotas e um empate, nenhum gol marcado e cinco sofridos) veio com a mesma decisão tomada ao longo de toda a Série B de 2016: trocar o treinador. Ainda na noite deste sábado, em nota no twitter pessoal, a presidente do clube, Myrian Fortuna, anunciou o afastamento do treinador Éder Bastos, desejando a ele boa sorte. Diz o texto: “Obrigado, Éder Bastos pela dedicação e sucesso na carreira (sic). Torcida do Tupi, vamos reagir. Nada no Tupi é fácil. A união agora é fundamental”.

  O contra-ataque que iludiu

   O jogo neste sábado, 11, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio só teve um momento de ilusão passageira ao torcedor do Tupi. Ainda com o placar em branco, após um escanteio cobrado pela direita de ataque do Cruzeiro, o Carijó executou a jogada que o agora ex-treinador  tanto orientou, principalmente na pré-temporada. O contra-golpe rápido e incisivo, com jogadores se deslocando até chegar ao gol adversário.

  Éder deve ter esfregado as mãos quando viu seus comandados executarem bem a jogada. Com velocidade e passes certos, em profundidade, a bola chegou aos pés de Juninho, que curiosamente vinha sendo contestado por parte da torcida, mas era “bancado” pelo técnico. Já na direita de ataque, Juninho chegou a levar vantagem na primeira dividida com o goleiro, pegou a bola já dentro da área. Poderia concluir ao gol ou rolar para Flávio Caça-Rato. Nem um nem outro. Demorou a decidir a melhor opção e a zaga azul aliviou.

  Muito superior

  Dali em diante, o que seu viu no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio foi uma equipe amplamente superior, trocando passes com rapidez e envolvendo o adversário da maneira como bem entendia. Com um sistema de marcação que não funcionava, a solução, parcial, era o Tupi interromper as investidas com faltas. O problema é que foi justamente a partir de duas cobranças de falta que surgiram os primeiros gols.

   Duas faltas e dois gols

  Na primeira, Rafael Sóbis, mesmo longe da meia-lua, chutou colocado e o goleiro Gideão não conseguiu chegar a tempo. Na segunda cobrança de falta que resultou em gol, o chute desviou na barreira, a jogada teve sequência pela direita e o lançamento para a grande área encontrou Leo sozinho e sem marcação –  Elivelton foi encoberto no lance e não havia cobertura – para cabecear para baixo e comemorar o segundo gol.

    Nem comemorou

  O torcedor carijó olhava para o campo e não encontrava motivos para acreditar numa virada ou mesmo numa reação, como aquelas dos tempos saudosos do Salles Oliveira, que evitasse transformar o critério de saldo de gols mais um tormento na hora de analisar os números da classificação. O Cruzeiro passeava. Tanto que após marcar o terceiro gol, Robinho nem comemorou com tanto entusiasmo. Ele recebeu a bola na direita de ataque e teve muito tempo para ajeitar o corpo e bater à direita de Gideão: 3 a 0, placar do primeiro tempo.

  Só no erro

    O segundo tempo foi protocolar. Com muito sol no estádio, o Cruzeiro fez a bola girar e ficava aguardando os erros do Carijó. Mesmo com as alterações, o Tupi não conseguiu ameaçar o gol adversário. Só houve uma defesa em que o goleiro cruzeirense foi mais exigido, num chute de fora da área do lateral Bruno Santos, desviado para escanteio porque a bola quicou e ganhou efeito.

Mais um

  Rafael Sóbis anotou mais um, aos 46, aproveitando-se de outro vacilo do zagueiro Elivélton na intermediária. O resultado de 4 a 0 ficou “barato”. Houve duas bolas na trave, uma em cada tempo, diversas situações de gol para a Raposa, que tem alternado escalações neste ainda início de temporada, mas já com um padrão de jogo que dá esperanças ao torcedor. Com peças mantidas ou trocadas, o Cruzeiro parece assimilar um esquema de jogo que favorece o futebol coletivo e de troca rápida de passes em direção ao gol adversário.

  Mano: respeito

  Nas entrevistas após a partida, o treinador Mano Menezes parecia até um pouco constrangido, tamanha a diferença de forças, em campo, entre os dois oponentes. Disse respeitar o trabalho das equipes do interior e dos profissionais que defendem suas camisas, por reconhecer a dificuldade de investimentos em comparação com os grandes da capital. Gostou mais do primeiro tempo.

  Éder: sem eficiência

Já o treinador Éder Bastos disse que o time perdeu para um dos candidatos ao título e lamentou novamente a falta de eficiência, citando como exemplo a oportunidade desperdiçada, no contra-ataque carijó mal concluído. Se após o empate contra o América, em Teófilo Otoni, havia se criado uma expectativa um pouco melhor em relação à derrota em casa na estreia contra o Tombense, o desempenho quase nada competitivo diante de um grande jogou por terra novamente a esperança.

  “Corneta” solta

   Nos bastidores, ainda no estádio, a informação que circulava era de desaprovação ao técnico por parte do comando do futebol do clube, pelo fato de o time ter entrado para encarar o Cruzeiro com uma formação ofensiva e sem poder de marcação.

   Cabeça cheia

   O torcedor segue suas perguntas. De novo a culpa é só do treinador? Por que um elenco com 33 jogadores não tem, por exemplo, um reserva na lateral-direita, sendo necessário deslocar um zagueiro (Euller) para a posição já na segunda rodada?

   Como o futebol nos tempos de hoje não aceita mais fórmulas mágicas, aliás costuma castigá-las, é torcer para o novo treinador, junto com a diretoria que o contratar, encontrar um esquema de jogo que consiga ao menos tornar o time competitivo e com poder de ser eficiente em casa.  

   Novo local

     No próximo sábado, o Tupi pelo menos teoricamente tem uma oportunidade inesperada. É que o estádio do Tricordiano está interditado e a Federação Mineira de Futebol marcou o compromisso entre a equipe de Três Corações e o Tupi para o Estádio Soares de Azevedo, em Muriaé, às 18h. É quase uma recuperação de mando de campo ou campo neutro, uma vez que, em outras oportunidades, em Três Corações, o Carijó enfrentou muitas dificuldades quando teve que deslocar a equipe a um estádio acanhado e sem boa estrutura.

  Após os resultados de domingo, 12, no complemento da terceira rodada, o representante juiz-forano ocupa a décima-primeira e penúltima colocação no Campeonato Mineiro. Pelo regulamento, os dois últimos colocados serão rebaixados ao Módulo 2.

TUPI 0 x 4 CRUZEIRO

TUPI
Gideão; Euller, Elivélton, Edmário e Bruno Santos; Bonilha, Marcel (Leandro Ferreira, aos 11min do 2ºT) e Juninho (Sávio, no intervalo); Carlos Júnior, Flávio Caça-Rato (Jajá, aos 11min do 2ºT) e Matheus Pato
Técnico: Éder Bastos

CRUZEIRO
Rafael; Ezequiel, Leo, Caicedo e Diogo Barbosa (Fabrício, aos 28min do 2ºT); Henrique, Ariel Cabral, Robinho e Alisson (Rafinha, aos 25min do 2ºT); Arrascaeta (Elber, aos 39min do 2ºT) e Rafael Sobis
Técnico: Mano Menezes

Gols: Rafael Sobis, aos 19min, Leo, aos 26min, e Robinho, aos 47min do 1ºT. Rafael Sobis, aos 47min do 2ºT (CRU)
Cartões amarelos: Carlos Júnior, aos 16min, e Marcel, aos 27min do 1ºT (TUP); Leo, a 1min, Diogo Barbosa, aos 7min do 2ºT (CRU)
Motivo: terceira rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Mário Helênio, em Juiz de Fora
Árbitro: Renato Cardoso da Conceição
Assistentes: Magno Arantes Lira e Frederico Soares Vilarinho
Pagantes: 5.406
Presentes: 6.037
Renda: R$ 128.160,00

Outros resultados da rodada: 

Tombense 0 x 0 Tricordiano

Vila Nova 2 x 0 América de Teófilo Otoni 

URT 4 x 1 Democrata-GV

Atlético 3 x 0 Uberlândia

Caldense 2 x 2 América 

 

Texto do jogo: Ivan Elias

Fotos: Tupi – Leonardo Costa

Informações da ficha técnica e rodada: site Superesportes

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br

 

 

Deixe seu comentário