Mais dois apresentados no Tupi: Carlos Júnior exalta Jajá e Ruan Teles já pensa em fazer gol no “patrão”

    Na apresentação do meia Carlos Júnior e do atacante Ruan Teles, dois dos novos contratados do Tupi para  o Campeonato Mineiro, na tarde desta quinta-feira, 12, no Espaço Torcedor, a vontade de conciliar juventude  e experiência foi novamente citada, em momentos diferentes,  como uma receita que pode facilitar o entrosamento de uma equipe toda nova em relação ao grupo que  encerrou a temporada 2016.

    Depois de Carlos Júnior, 28 anos, com passagens na base do Cruzeiro e do América, dedicar boa parte da entrevista para exaltar a qualidade e a vivência do atacante Jajá, com quem atuou pelo Guarani, de Divinópolis, em 2013 – “ele já atuou em grandes clubes do Brasil e também no exterior, pode nos ajudar bastante”, foi a vez de Ruan, 19 anos, garantir que seu estilo de  jogo consiste no “parte para cima sem medo de errar” e antecipar que não vê  a hora de enfrentar o clube-patrão Cruzeiro, na terceira rodada. “Se Deus quiser, meter um gol  neles”.

Ruan e Carlos Júnior: mais duas caras novas apresentadas pelo Tupi, prometendo qualidade nos setores de meio-campo e ataque

 

De Votuporanga

   Carlos Júnior conta que ainda tinha um ano e meio de contrato com o Votuporanguense, no interior de São Paulo, onde disputou a segunda divisão do Campeonato paulista em 2016:  “Rescindi para  vir para cá, achei que o projeto aqui era melhor. Time que está na Série C do Campeonato Brasileiro”.

   Garante que foi uma temporada  muito boa: “Apareci  também no estado de  São Paulo. Um time muito organizado também, o Votopuranguense, agradeço muito o pessoal de lá, que me tratou muito bem”.

Lado de campo

  Na tradicional apresentação de suas características, mandou: “Sou um jogador de lado de campo. Costumo jogar na segunda linha de quatro, na beirada, sou jogador veloz, de força, que dou passes para gol. Infiltro por dentro também. Um jogador de muita movimentação do meio-campo para  a frente”.

        E emendou: “Independente se for com gols ou com passes, o importante é o Tupi estar ganhando e buscarmos a classificação entre os quatro (para semifinal)”

Viva Jajá

    Carlos Júnior exalta a qualidade de um companheiro que está reencontrando em Santa Terezinha: “Joguei em 2013 com o Jajá no Guarani de Divinópolis. Infelizmente ele teve uma lesão no ombro. Na quarta rodada. É um jogador muito inteligente e talentoso, vai ajudar. Muito experiente, já atuou em grandes clubes do Brasil, no exterior também. É um parceiro, um amigo que tive,  e agora estou voltando a  jogar com ele. Consegue colocar a bola para gente do jeito que a gente quiser. Estamos ganhando agora conjunto, entrosamento, tenho certeza que ele vai nos ajudar muito nesse campeonato.”

 Conhecer Jajá facilita o entrosamento?

Muito, ainda mais em competição de  tiro curto como essa. São 11 rodadas. Quanto antes ganhar o entrosamento, e  por  eu já conhecê-lo, facilita bastante. Tomara que dê tudo certo.

Um pouco da carreira:

      No América, subi da base lá. Mas não tive tantas chances na equipe profissional. Logo depois, estive no Democrata, de Sete lagoas. E o Mineiro que  eu joguei foi em 2013.O Guarani de Divinópolis era um time jovem, mas de muita vontade. Que queria muito aparecer no cenário. Foi um ano muito bom para mim. É um campeonato muito duro.  Só jogos de ida. Precisa sempre estar ganhando. Se perder uma, se der um vacilo, a gente já está lá embaixo.  Terminamos em sétimo lugar. Na última rodada, precisávamos ganhar para tentar ficar entre  os quatro. Esperamos fazer um bom campeonato aqui.

  O “sim”  ao carijó

   Um prazer muito grande, trabalhar neste clube que  tem muita história no cenário mineiro. E de 2011 para cá, no cenário  nacional. Um clube que tem muita história e tradição. Quando recebi o convite do professor Éder Bastos, não pensei duas vezes.  O que vai fazer a  diferença nesse clube é o grupo.  Em todas as reuniões com os dirigentes, tudo o que foi  conversado foi sobre isso. O grupo prevalecer.

E o apelido de Faísca?

  Esse apelido é da base do Cruzeiro (um senhor lá, o Marco Antônio, me deu apelido e ficou). Depois fui para o América. No profissional desde 2008, já tinha mudado para o meu nome. Mas às  vezes, como alguém conhece, não tem problema. Mas eu prefiro Carlos Júnior.

   Sobre o jogo-treino de sábado, 14, diante do Núcleo Esportivo de São João Nepomuceno, acha importante porque “precisamos ganhar um pouco de ritmo, porque os atletas foram chegando aos poucos. Agora já estamos bem melhor fisicamente. Chegou a hora de termos um teste legal para gente saber como vai estar no dia 29. Importante demais este jogo. Vai dar uma cancha legal.”

 “Ruan sem medo”

  Logo depois da apresentação de Carlos Júnior, Ruan Teles apareceu, demonstrando timidez  e certo nervosismo. O meia-atacante 19 anos, com passagens pelas categorias de base do América e do Cruzeiro e que em 2016 defendeu o Juventus, de Santa Catarina, disse que não quer desperdiçar  de forma alguma chance de brilhar com a camisa alvinegra: “Oportunidade, aos  19 anos, de disputar o Campeonato Mineiro… Quando recebei a proposta do empresário, já  estava treinando no Cruzeiro, não pensei duas vezes.”

  Quando os jornalistas lembraram que nos treinos sua desenvoltura estava melhor que  na “resenha”, Ruan já ficou mais solto  diante dos microfones.  “O treinamento está bacana. Treinador (Éder Bastos) nos dá muita liberdade. Conversa bastante comigo sobre posicionamento. Minha característica é de partir para cima. Jogar leve, solto. Dezenove anos, jogar  Série A do Mineiro é uma coisa inesquecível para a minha carreira. Agradecer ao Fabinho, ao treinador, à presidente.”

   Convocado a apresentar seus dotes nas  quatro linhas, aí é que ele driblou de vez a vergonha: garantiu ser “leve, habilidoso”, aquele que “parte para  cima em medo de errar”.

   Lembrado que pode encarar o clube dono de seu passe, Cruzeiro, já na terceira rodada do Estadual, procurou demonstrar mais coragem e saiu-se com essa: “Ansiedade para chegar logo a terceira rodada. Dá um gás maior,  jogar contra a minha equipe. Se Deus quiser, meter um gol neles.”

 Jogos-treinos

   O Tupi tem dois jogos-treinos programados para  os próximos sábados.

   No início da noite desta quinta, a diretoria anunciou:

  “O Tupi Foot Ball Club informa que o jogo-treino contra o Núcleo Esportivo, a ser disputado a partir de 10h de sábado, 14, em Santa Terezinha, será fechado para torcedores. A imprensa terá acesso a partir de 11 horas. Por outro lado, está definido que torcida e imprensa terão acesso integral no jogo-treino contra o Bangu, no próximo dia 21, no Estadio Municipal Radialista Mário Helênio, a partir de 16 horas.”

  A estreia pelo  Campeonato Mineiro está marcada para dia 29, um domingo: Tupi x Tombense, 17h, no Estádio  Municipal  Radialista Mário Helênio.

 

Texto: Toque de Bola

Fotos: Toque de Bola

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br

 

 

 

 

Deixe seu comentário