Jovem atacante Pedro rouba a cena nos 3 a 2 do Flu sobre o Criciúma em Juiz de Fora

  O jovem atacante Pedro acabou sendo o nome de maior destaque no Fluminense 3 x 2 Criciúma que abriu a temporada oficial envolvendo grandes clubes do eixo Minas Gerais – Rio de Janeiro – São Paulo, na noite de terça-feira, 24, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio – antes, foram apenas jogos-treinos e a participação de algumas equipes no Torneio da Flórida, nos Estados Unidos.

  O jogo entre o Tricolor do Rio e o Tigre de Santa Catarina abriu a Primeira Liga, competição que teve em Juiz de Fora um dos principais palcos, em 2016, inclusive sediando a final – Flu 1 x 0 Atlético Paranaense. E Pedro voltou ao “local do crime” numa daquelas coincidências que podem marcar seu início de carreira entre os profissionais.

  No ano passado, em março, também num confronto entre Fluminense e Criciúma, o clube carioca promovia a estreia do treinador Levir Culpi e as duas equipes não atuaram com suas formações principais. O atacante Pedro chegou a ser lançado no segundo tempo daquela partida, mas tocou poucas vezes na bola e não chegou a receber passes que proporcionassem a conclusão em direção ao gol. O Flu acabaria campeão da Primeira Liga, mas no Brasileiro Pedro só voltou a ter chances no “time de cima” três vezes – diante de Flamengo, Figueirense e Internacional.

  Na partida de terça-feira, mesmo com as duas equipes apresentando a habitual falta de ritmo de início de temporada, não faltou vontade de atacar, independentemente do andamento do placar. Assim, o Tigre marcou primeiro com o zagueiro Raphael Silva e ainda na etapa inicial o também zagueiro Henrique igualou, após passe de cabeça de Renato Chaves, outro zagueiro.

 Na etapa final, o treinador Abel Braga fez algumas modificações, e entre elas promoveu a entrada de Pedro na vaga de Henrique Dourado. Logo em uma de suas primeiras participações, Pedro recebeu na entrada da área, e mesmo com o corpo ainda franzino e pressionado por um zagueiro, manteve-se equilibrado e caminhou em direção ao gol, batendo forte e de esquerda no ângulo, decretando a virada do Flu com a marca dos ”moleques de Xerém”, como são chamados os jogadores formados na base do clube das Laranjeiras.

 O lance rendeu declarações emocionadas do atacante após a partida “Espero que seja o primeiro de muitos, quero fazer a minha história aqui – “e um elogio “de peso” nas redes sociais. Fred, ex-atacante e ídolo do clube, manifestou-se publicamente e deu aquela força ao menino. Parte da torcida “pegou carona” no tradicional cântico ao Fred e adaptou o texto para “O Pedro vai te pegar”.

Mesmo “bat local”

   Ao site do Flu, Pedro revelou: “Muito legal poder fazer meu primeiro gol como profissional justamente no mesmo estádio e contra o mesmo adversário que fiz a estreia ano passado. Foi uma emoção muito grande, me veio logo na cabeça a minha mãe, meu pai, meus irmãos, que sempre me apoiaram. Assim que saí do estádio dei logo um abraço na minha mãe, ela tava chorando bastante, foi uma emoção grande – disse Pedro, que descreveu ainda o lance que terminou com a bola no fundo da rede adversária: “Primeiro vi o Léo tocando. O zagueiro tentou antecipar, mas deixei a bola correr no giro, dei mais um toque e protegi do outro zagueiro. Depois foi só ajeitar para a canhota e chutar. Graças a Deus fui muito feliz no lance”.

Pedro se (re)apresenta ao torcedor tricolor de Juiz de Fora em grande estilo

Currículo goleador

   Pedro é conhecido em Xerém. Com 16 anos, estreou pelo sub-17 do Fluminense depois de oito meses de observação. Em 2016, foi o principal artilheiro da base brasileira: marcou 32 vezes. Fred, atualmente no Atlético-MG, emendou: “Golaço, monstro!” no perfil no Instagram do jovem.

   Abel Braga também lembrou que Pedro vinha de dois gols em jogo-treino  contra o Madureira: “Ele vai ficar brigando. Vai incomodar o Dourado, mas a mim também. Até o momento que tiver a oportunidade. Ele não terá chance por um jogo. Vou privilegiar aqueles que a minha consciência mandar, até me provar que eu estou errado. Não foi bem, tira. Não pode ser por aí. Para ter um coletivo forte, temos de ter repetição e continuidade do time. É o que vamos fazer”, disse, na entrevista coletiva ainda em Juiz de Fora.

Torcedora se abraça na bandeira na arquibancada: jogo custou a ter local confirmado e o estádio não recebeu grande público

Mais dois e pode fechar 

   Se não foi um primor de espetáculo técnico, com os descontos de início de temporada, mais dois gols nos instantes finais ainda presentearam o torcedor, que compareceu em pequeno número – a partida demorou a ser confirmada para Juiz de Fora e o Flu não tinha grandes atrações em campo, além da dupla equatoriana Orejuela e Sornoza e da “molecada” de Xerém. O veterano Marquinho recebeu em profundidade e bateu cruzado para ampliar em 3 a 1, aos 42, e ainda houve tempo de o Criciúma descontar com Hélio Paraíba cabeceando livre, aos 43.

  Estaduais

  Agora, entre os chamados grandes clubes de Minas, Rio e São Paulo, alguns vivem a expectativa da Taça Libertadores da América e todos estão envolvidos nos Estaduais.

   Na tarde desta quarta-feira, 25, o Botafogo foi derrotado por 2 a 0 pelo Madureira, que jogava no estádio do Bangu, em partida antecipada da segunda rodada do Campeonato Estadual do Rio, uma vez que o Glorioso enfrenta o Colo-Colo em mata-mata que começa no dia primeiro de fevereiro.

 O goleiro Rafael Santos, que defendeu o Tupi na Série B do ano passado, foi um dos destaques, com pelo menos três ótimas defesas.

  No Campeonato Mineiro, a principal novidade do dia foi o anúncio, pela Federação de Futebol do Estado, que a partida entre Democrata, de Governador Valadares, e América, no domingo, será em Governador Valadares – até então, o site da entidade informava Muriaé como o palco do jogo.

 

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 3 X 2 CRICIÚMA
Local: Estádio Municipal Radialista Mário Helênio – Juiz de Fora (MG)
Hora: 20h (horário de Brasília)
Árbitro: Adriano Milcviski
Cartões amarelos: Lucas Fernandes (FLU); Diego Giaretta, Adagilso Pitbull (CRI)
Cartões vermelhos: Não houve
Gols: Raphael Silva, aos 25 minutos do primeiro tempo (CRI); Henrique, aos 36 minutos do primeiro tempo (FLU); Pedro, aos 32 minutos do segundo tempo (FLU); Marquinho, aos 42 minutos do segundo tempo (FLU); Hélio Paraíba, aos 43 minutos do segundo tempo (CRI)

Fluminense
Diego Cavalieri, Renato, Renato Chaves, Henrique e Léo Pelé; Douglas, Orejuela e Sornoza; Marcos Júnior (Lucas Fernandes), Wellington Silva (Marquinho) e Henrique Dourado (Pedro)
Técnico: Abel Braga

Criciúma
Luiz, Maicon Silva, Raphael Silva, Diego Giaretta e Marlon; Barreto, Douglas Moreira (Caíque Valdívia) e Alex Maranhão (Hélio Paraíba); Pimentinha, Jheimy (Kalil) e Adalgiso Pitbull
Técnico: Deivid 

Público: 2.650 pagantes

Renda: R$ 55.895,00

 

Veja mais fotos e publicações feitas nas redes sociais pelos veículos oficiais dos dois clubes durante a partida

 

 

 

 

 

Texto: Toque de Bola, com informações das agências e dos sites oficiais e redes sociais dos clubes

Fotos: Nelson Perez – Fluminense e divulgação

Edição: Toque de Bola

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br

Deixe seu comentário