Depois da “pedreira” contra o Sesi e com sexto lugar garantido, JF Vôlei encerra turno fora de casa, contra o Taubaté

   O JF Vôlei chega à ultima rodada do primeiro turno da Superliga masculina 2016/17 com apenas uma certeza: o sexto lugar na classificação está assegurado até o ano que vem. Resta uma rodada e o time, com 16 pontos, se não pode alcançar o quinto colocado – Taubaté, 20 pontos, também não será ultrapassado pelo sétimo, Canoas, que mesmo vencendo na abertura da última rodada, passou a somar 15.

    Com seis vitórias e quatro derrotas – sendo as  duas sofridas nos últimos jogos, para Montes Claros, fora, e  para o SESI, em casa, o JF Vôlei não tem muito tempo para lamentar o revés de sábado, 17, no lotado ginásio da Faefid – os ingressos se esgotaram na manhã de sexta-feira, véspera da partida, elenco e Comissão Técnica mantêm o equilíbrio, ressaltando a todo instante que os triunfos  não foram fáceis e que, nas derrotas, também há pontos positivos.

   O último  compromisso do turno e do ano está marcado para quinta-feira, 22, às 21h55, quando o JF encerra a última rodada diante do Funvic  Taubaté, na casa do adversário. A partida tem transmissão anunciada pela Rede  TV.

Lucão (16) e Bruninho (1): Sesi e seus campeões olímpicos levaram a melhor em ginásio lotado em Juiz de Fora

    Reações serenas

   Após a derrota  para o Sesi s 3 sets a 1 (25/27, 15/25, 26/24 e 20/25), elenco e Comissão  Técnica do JF Vôlei destacaram, além da qualidade e do “currículo” das feras do Sesi (Bruninho, Lucão, Téo e Cia), o bom saque  como  determinante nos 3 sets a 1 (25/27, 15/25, 26/24 e 20/25).

  No primeiro set, por exemplo, o time da casa fez 11 a 8 e administrou até abrir 22 a 19. Quando Vaccari foi para o saque, porém, o Sesi igualou em 22 a 22. Foram empates consecutivos em 23, 24 e 25 pontos, até que o sexteto paulista colocou a bola no chão: 25/27, em 30 minutos.  “Quase, né?”, lamentou o oposto rena, de 2,17m, após o jogo. “Estávamos três pontos na frente até o finalzinho, mas detalhes, uma coisinha ou outra que a gente errou no final, conseguiram nos superar. Estão de parabéns.”

   Regiões extremas

   No segundo parcial o placar focou desequilibrado em favor dos paulistas. JF abriu 4 a 1, o Sesi igualou em 4 a 4. Uma bola atacada pelo levantador  Rodrigo significou o sétimo ponto do JF, mas o 7 a 6 foi o único momento em que o placar favoreceu os anfitriões. Dali em diante, o  Sesi brilhou com excelentes  jogadas de Bruninho, Lucão, Theo e cia. Final: 15/25 em apenas 23  minutos.O treinador do JF, Henrique Furtado, detectou: “No segundo set, saque agressivo, entrou em regiões extremas da quadra, ficou difícil nosso passe. Ficou um passe afastado e eles têm ótimos bloqueadores.”

Central do Sesi, Leandro Aracaju, grita de dor ao sentir contusão no tornozelo e deixa a quadra no terceiro set, vencido pelo JF

   Super set

   O terceiro parcial foi o mais intenso. Além do triunfo local, houve “ralis” disputadíssimos. JF abriu 8 a 5 e depois 9 a 6. Quando o  Sesi encostou em 9 a 8, o ginásio ouviu um berro de dor. Era o central do Sesi, Leandro Aracaju, que deixava a quadra carregado, com muitas dores no tornozelo. O Sesi chegou a virar em 19 a 16, mas do ponto 20 em diante houve total equilíbrio, com triunfo dos anfitriões no desempate: 26 a 24.

 Bronca com arbitragem

   Também no terceiro set, o torcedor, na quadra e nas redes sociais (o jogo estava sendo transmitido ao vivo pelo  SporTV 2), reclamou bastante  da arbitragem mineira (Marcos Salles e José Ferreira).  Em determinado momento, torcedores chegaram a gritar “ladrão”.  Também nas redes sociais do  Toque de Bola houve críticas de torcedores que se manifestavam após rever os lances duvidosos por outros ângulos.

  Favoritismo confirmado

    No quarto set, apesar do entusiasmo do torcedor com o desfecho positivo no terceiro, o andamento do placar foi favorável aos visitantes desde 7 a 6 e a vantagem aumentou gradativamente sem que fosse ameaçada. Na parte final, prevaleceram a experiência e a tranquilidade do time com campeões olímpicos: 25  a 17, em 23 minutos.

JF Vôlei: Rodrigo Ribeiro, Renan Buiatti, Felipi Rammé, Ricardo Júnior, Bruno Amorim, Romulo Batista e Juan Mendez (líbero).

Entraram: Henrique Adami, Juan Moreno, Raphael Marcarini, Franco Drago e Fabio Paes (líbero). Treinador: Henrique Furtado

Sesi-SP: Bruninho, Théo, Douglas, Fabio, Aracaju, Lucão e Pureza (líbero). Entraram: Rafa, Alan, Vaccari e Riad.  Treinador: Marcos Pacheco

 

Acesse aqui o scout (dados estatísticos) de JF Vôlei 1 x 3 Sesi (fonte: CBV)

 

 

Renan sobre o primeiro set: “”Quase”

 

 JF reconhece méritos

   “Foi um excelente jogo. Conseguimos parar o time deles algumas vezes no bloqueio, mas eles sacaram bem, atacaram muito bem. Um time bem mais experiente. Fizemos também um bom jogo. Torcida ajudou bastante, casa cheia. Obrigado a todos que vieram torcer.”, definiu Renan

  “Trabalhamos bem o saque flutuante, viagem. Bem no bloqueio. O Sesi é um adversário muito  qualificado que nos obrigou a jogar  boa parte do jogo com o passe quebrado. É difícil. Eles jogaram bem, em muitos momentos foi de igual para igual. Temos coisas a melhorar. Aprender a jogar esse tipo de  partida que o passe não fica o todo inteiro na mão.  Um desafio a mais.  Fizemos uma partida boa. Não é  fácil jogar de igual com esse adversário. Temos que seguir essa linha de treino forte, trabalho intenso”, avaliou Furtado.

  Solicitado a um balanço da campanha, o treinador garantiu: “Estamos satisfeitos com esses jogadores. Os jogos que vencemos também foram dificílimos. E os times que não conseguimos vencer estão lutando pelo título”.

  Pacheco elogia

   “Juiz de Fora vem fazendo uma ótima Superliga. Mescla de jogadores muito jovens com alguns mais experientes, como Renan, Rodrigo, Ricardo.Vem dando certo, em algumas bolas passa a responsabilidade para o adversário. Abrimos uma vantagem no terceiro set, poderíamos ter ganho, mas não deu. Tranquilidade, calma”, destacou o técnico do Sesi, Marcos Pacheco, ainda  em quadra, instantes após o jogo.

   “Não sei se é particular”

   Pacheco ainda brincou  com a situação de sempre enfrentar dificuldades quando dirige equipes em Juiz de Fora. “É o quinto ano que eu venho a Juiz de Fora, e não sei se é uma coisa particular, comigo, mas sempre é uma dificuldade muito grande jogar aqui”, afirmou, sorrindo, acrescentando que a conquista dos três pontos mantém a briga do Sesi pelas primeiras posições na classificação.

    O treinador também comentou o fato de o jogo contra o Taubaté, na quarta-feira, ter ocorrido em Belém do Pará: “Equipe ficou cansada, lógico, mas para o voleibol é importante, essa boa vontade para que o voleibol cresça”.

 

 Desfalques lembrados

  “Foi uma boa tarde para o Sesi-SP, mas a nossa equipe está muito jovem desde que perdeu o Murilo e o Serginho, contundidos, e teve que se reconstruir de novo. Estamos sofrendo com alguns fundamentos, mas essa molecada que entrou tem um potencial muito grande e vai nos ajudar”, opinou Lucão, com 16 acertos na partida.

   Sem comentários

   O técnico Henrique  Furtado preferiu não emitir qualquer opinião sobre a atuação da arbitragem: “Prefiro não entrar em nenhum detalhe muito técnico. São pessoas dedicadas, que estão fazendo seu trabalho da melhor forma possível. Acontecem muitos acertos, todos estão expostos aos erros, como nós também.  Não quero avaliar lances específicos, nem detalhar sobre atuação de A ou B, porque  tentam fazer seu trabalho da melhor  forma.  Prefiro comentar em relação à equipe, ao jogo”.

    Copa Banco do Brasil

  A  direção do JF Vôlei prefere aguardar a posição oficial da CBV sobre o tema, mas o site Espaço do Vôlei informou que o time da cidade está garantido na competição. O Espaço do Vôlei publicou: “A primeira fase da Copa Banco do Brasil reúne os seis melhores colocados no primeiro turno da Superliga 2016/2017, porém como o Vôlei Brasil Kirin aparece entre eles, o sétimo colocado ingressará na disputa. Os confrontos são em jogo único, na casa da equipe com melhor campanha: 1º x 6º, 2º x 5º e 3º x 4º. Sada/Cruzeiro, Funvic/Taubaté, Sesi-SP, Montes Claros e JF Vôlei já estão garantidos, restando apenas uma vaga, que hoje seria do Lebes/Gedore/Canoas. (…) A tendência é que pelo menos a fase final tenha transmissão ao vivo.”

    Ainda de acordo com o site, “as semifinais e a decisão da Copa Banco do Brasil serão em Campinas. O ginásio Taquaral vai receber nos dias 19 e 21 de janeiro três equipes que passarem na primeira fase e mais o Vôlei Brasil Kirin (time-sede). O campeão do torneio garantirá vaga na disputa da Supercopa.”

 

Montes Claros sobe

   Na última partida da décima rodada do turno da Superliga masculina de vôlei 2016/2017, o Montes Claros Vôlei (MG) esteve no Paraná e conseguiu uma boa vitória sobre o Caramuru Vôlei/Castro (PR) neste domingo (18.12). A equipe dirigida pelo técnico Marcelinho Ramos venceu por 3 sets a 0, com parciais de 28/26, 25/21 e 25/23, em 1h33 de disputa.

   Com a décima rodada do turno encerrada, o Sada Cruzeiro (MG) segue isolado na liderança, com 29 pontos e 10 vitórias. O Sesi-SP é o segundo colocado, com 23 (sete vitórias e três derrotas), e o Vôlei Brasil Kirin (SP) ocupa a terceira posição, com 22 depois de oito resultados positivos e dois negativos.

  O Funvic Taubaté (SP) ocupava a quarta colocação até que, com a vitória de domingo, o Montes Claros Vôlei assumiu a posição, com 21 pontos. O time do Vale do Paraíba soma 20, caindo para o quinto lugar. 

SUPERLIGA MASCULINA 2016/2017

Décima rodada do turno

15.12 (QUI) – Lebes/Gedore/Canoas (RS) 3 x 1 Minas Tênis Clube (MG), às 21h55, no ginásio La Salle, em Canoas (RS) (25/22, 25/13, 16/25 e 25/19)
17.12 (SAB) – São Bernardo Vôlei (SP) 1 x 3 Vôlei Brasil Kirin (SP), às 11h, no Baetão, em São Bernardo do Campo (SP) (25/21, 13/25, 23/25 e 20/25)
17.12 (SAB) – JF Vôlei (MG) 1 x 3 Sesi-SP, às 13h30, no ginásio da UFJF, em Juiz de Fora (MG) (25/27, 15/25, 26/24 e 16/25)
17.12 (SAB) – Sada Cruzeiro (MG) 3 x 0 Funvic Taubaté (SP), ás 19h30, no Riacho, em Contagem (MG) (25/17, 25/18 e 30/28)
17.12 (SAB) – Bento Vôlei/Isabela (RS) 2 x 3 Copel Telecom Maringá Vôlei (PR), às 20h, no Municipal, em Bento Gonçalves (RS) (25/16, 19/25, 25/22, 12/25 e 13/15)
18.12 (DOM) – Caramuru Vôlei/Castro (PR) 0 x 3 Montes Claros Vôlei (MG), às 11h, no Padre José Pagnacco, em Castro (PR) (26/28, 21/25 e 23/25)

Canoas vence na abertura da última rodada do returno, mas ainda não alcança pontuação do JF Vôlei

Canoas encosta 

  Os gaúchos Bento Vôlei/Isabela (RS) e Lebes/Gedore/Canoas (RS) se enfrentaram nesta segunda-feira, 19, pela décima primeira e última rodada do turno da Superliga masculina de vôlei 2016/2017. Na despedida de 2016 para os dois times, melhor para o Canoas, que venceu por 3 sets a 1 (25/21, 18/25, 25/20 e 25/21), em 2h08 de partida realizada no ginásio Municipal, em Bento Gonçalves (RS).

    O central Ialisson demonstrou sua habitual garra em quadra e, com boa atuação, conquistou a torcida. O atacante foi o mais votado no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e foi premiado com o Troféu VivaVôlei:  “Foi uma bela vitória, para fechar o ano entre os oito melhores e classificados para a Copa Brasil, que era nosso objetivo. Sabíamos que seria um jogo difícil, pois as duas equipes estavam brigando pela mesma posição. Hoje o grupo mostrou a força, todos foram muito bem. Agradeço a eles e ao público que votou em mim, estou muito feliz”, comemorou Ialisson.

Além da vitória e do melhor jogador em quadra, o Lebes/Gedore/Canoas teve o maior pontuador da partida. O ponteiro Gabriel marcou 16 vezes e saiu de quadra como mais um destaque.

Na primeira rodada do returno, e na primeira partida de 2017, o Bento Vôlei/Isabela receberá o Minas Tênis Clube (MG) no ginásio Municipal, no dia 7 de janeiro, às 20h. O Lebes/Gedore/Canoas jogará no mesmo dia, em casa, às 20h, contra Montes Claros Vôlei (MG), com transmissão ao vivo do SporTV.

SUPERLIGA MASCULINA 2016/2017

Décima primeira rodada do turno

19.12 (SEGUNDA-FEIRA) – Bento Vôlei/Isabela (RS) 1 x 3 Lebes/Gedore/Canoas (RS), às 19h40, no Municipal, em Bento Gonçalves (RS) (21/25, 25/18, 20/25 e 21/25)
21.12 (QUARTA-FEIRA) – Montes Claros Vôlei (MG) x Copel Telecom Maringá Vôlei (PR), às 19h, no ginásio Tancredo Neves, em Montes Claros (MG)
21.12 (QUARTA-FEIRA) – Sesi-SP x Caramuru Vôlei/Castro (PR), às 19h, na Vila Leopoldina, em São Paulo (SP)
21.12 (QUARTA-FEIRA) – Minas Tênis Clube (MG) x São Bernardo Vôlei (SP), às 19h, na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG)
21.12 (QUARTA-FEIRA) – Vôlei Brasil Kirin (SP) x Sada Cruzeiro Vôlei (MG), às 19h30, no Taquaral, em Campinas (SP) – SPORTV
22.12 (QUINTA-FEIRA) – Funvic Taubaté (SP) x JF Vôlei (MG), às 21h55, no Abaeté, em Taubaté (SP) – REDETV 

 

Texto: Ivan Elias – Toque de Bola – com informações complementares do site da Confederação Brasileira de Voleibol – CBV

Fotos: Toque de Bola, assessoria JF Vôlei e site CBV

Edição: Toque de Bola

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br

 

 

Deixe seu comentário