Centenário do Sport Club Juiz de Fora: missa, emoção, homenagens e justificativa. Veja fotos

As comemorações no dia do centenário do Sport, sábado, 24, começaram com uma missa realizada na quadra de basquete às 9h. Seguida de discursos emocionados de pessoas envolvidas com o passado e o presente do clube, o destaque ficou para justificativa do presidente Jorge Ramos de não fazer uma festa muito grande para usar os recursos na obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros. “Foi o único compromisso que eu assumi”, disse.

Toque de Bola foi o único veículo de comunicação local presente e vai apresentar outras matérias em breve no Portal e nas redes sociais.

 

20160924_094954
Padre abençoa o presidente Jorge Ramos e os demais membros da diretoria

Cerimônia

Após a missa o mestre de cerimônias e ex-vice presidente do Sport, Márcio Guerra, começou um discurso emocionado citando peculiaridades da história do clube contadas por quem vivenciou e vivencia o dia-a-dia do clube. A memória de Francisco Queiroz Caputo, o “Seu Caputo”, que teve seu nome escrito no Guiness Book, como o presidente que ficou mais tempo no comando de um clube esportivo, por 52 anos.

Ex-presidentes afirmam a tradição do clube

Em seguida, os membros da atual diretoria foram chamados para compor a mesa. O ex-presidente Julio Gasparette também falou do passado do clube de maneira emocionada e lembrou que o espaço do clube quase foi perdido para a construção de um shopping center anos atrás: “Isso aqui não pode ser vendido. Isso aqui tem que ser o esporte de Juiz de Fora. Tem que ser natação, tem que ser voleibol, tem que ser futebol, tem que ser social. Nós temos a família periquita aqui e não podemos abrir mão desse patrimônio verde e branco de Juiz de Fora”.

Os ex-presidentes Carlos Alberto Inham, o Betinho e Walmir Evangelista também contaram um pouco da sua história no clube.

Festa simples

O atual presidente Jorge Gonçalves Ramos falou do motivo de não se fazer um megaevento para a comemoração do centenário, alegando que o clube não teria condições financeiras para tal.

“Eu também gosto de festa. Quem não gosta? Quando nós começamos a fazer o cálculo para viabilizar um momento de glamour, de festa, de banda, de cerveja, eu falei não. Não, Betinho. Nós temos um compromisso, nós temos uma responsabilidade com esse patrimônio. Por baixo, nós teríamos que colocar oitenta mil reais para poder fazer uma senhora festa. Nós teríamos que fazer um evento para duas a três mil pessoas. Ou você dá para todos ou você não dá para ninguém”.

A prioridade de utilização de recursos, segundo o presidente, é o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros. “Há anos o Sport vem arrastando para concretizar isso. E foi o único compromisso que eu assumi quando coloquei meu nome para apreciação, mesmo sendo chapa única. O Sport precisa ter a segurança. A questão do bombeiro militar, da evacuação, da prevenção de incêndio e de pânico. Nós não podemos fazer nada no ginásio, nada onde tenha concentração de pessoal. Isso, para mim, é responsabilidade com o seu patrimônio. Nosso projeto já está na fase final de análise”.

Ele finaliza com um convite aos sócios: “Voltem para o Sport. Passem a viver o nosso dia-a-dia. Nós vamos ver que com certeza fizemos alguma coisa que valorizou e conservou o patrimônio do Sport.

Homenagens

Em seguida, a diretoria preparou homenagens a figuras importantes na história do Sport. O primeiro foi Walter Monachesi, sócio benemérito e genro de Francisco Queiroz Caputo. “Tenho a impressão de que, no momento, eu sou o sócio mais antigo que frequenta o Sport. Vi ser construído todo esse patrimônio”.

João Lopes foi o segundo homenageado da manhã: “Colaborei da melhor maneira que eu pude, participando ativamente da fundação das escolinhas de futebol. Isso foi um trabalho meu. Trabalhei em outra época chamando os associados de volta através de telefonemas, quando muitos haviam deixado de frequentar o Sport. Consegui trazer no mínimo 300 a 380 associados naquela época”.

Depois, foram recebidas homenagens relacionadas às modalidades esportivas praticadas no clube. Márcio Jorge Afonso recebeu pelo futsal. Pelo futebol, Edmo Caffini, o Pirilo, artilheiro do torneio centenário de Juiz de Fora, vencido pelo Sport. Pelo vôlei, Márcia Fu, bicampeã mineira de vôlei com o periquito e que chegou à seleção brasileira. Evander Dori foi homenageado pelo basquete. Na natação, Carlos Wagner Nepomuceno recebeu a homenagem.

Lea Gaburri, que foi atleta do clube, também recebeu homenagem. Representando os funcionários, Maria Helena Roberto Lourenço recebeu a homenagem e agradeceu aos funcionários e diretorias desde Antônio Mourão, primeiro presidente do Sport. Em seguida, Julio Carlos Gasparette, ex-presidente, também foi homenageado. Carlos Alberto Inham também recebeu sua homenagem. Walmir Evangelista fechou as homenagens a ex-presidentes.

Jorge Gonçalves Ramos, atual presidente, recebeu sua homenagem e entregou outra ao mestre de cerimônias Márcio Guerra, que já foi vice-presidente do clube no passado.

Márcio Guerra recebe sua homenagem do presidente Jorge Ramos
Márcio Guerra recebe sua homenagem do presidente Jorge Ramos
Homenagem ao presidente Jorge Ramos
Homenagem ao presidente Jorge Ramos
Homenagem à ex-atleta Lea Gaburri entregue pela diretora jurídica Flavia Facio
Homenagem à ex-atleta Lea Gaburri entregue pela diretora jurídica Flavia Facio
Homenagem à funcionária Maria Helena Roberto Lourenço, entregue pelo diretor administrativo Jarbas Martins Coelho Filho
Homenagem à funcionária Maria Helena Roberto Lourenço, entregue pelo diretor administrativo Jarbas Martins Coelho Filho
Homenagem ao ex-presidente Julio Gasparette entregue pelo diretor financeiro Daniel Alvim Moreira
Homenagem ao ex-presidente Julio Gasparette entregue pelo diretor financeiro Daniel Alvim Moreira
Homenagem ao ex-presidente Betinho Inham, entregue pela diretora jurídica Flavia Facio
Homenagem ao ex-presidente Betinho Inham, entregue pela diretora jurídica Flavia Facio
Homenagem ao ex-presidente Walmir Evangelista entregue pelo diretor de patrimônio José Horácio Fernandes Filho
Homenagem ao ex-presidente Walmir Evangelista entregue pelo diretor de patrimônio José Horácio Fernandes Filho
Homenagem da natação a Carlos Wagner Nepomuceno
Homenagem da natação a Carlos Wagner Nepomuceno
Homenagem do basquete a Evander Dori, entregue pelo diretor de patrimônio José Horácio Fernandes Filho
Homenagem do basquete a Evander Dori, entregue pelo diretor de patrimônio José Horácio Fernandes Filho
Homenagem do vôlei entregue à ex-atleta Márcia Fu pelo ex-presidente Julio Gasparette
Homenagem do vôlei entregue à ex-atleta Márcia Fu pelo ex-presidente Julio Gasparette
Homenagem do futebol entregue a Pirilo pelo ex-presidente Walmir Evangelista
Homenagem do futebol entregue a Pirilo pelo ex-presidente Walmir Evangelista
Homenagem ao futsal entregue a Márcio Jorge Afonso entregue pelo ex-presidente Betinho Inham
Homenagem ao futsal entregue a Márcio Jorge Afonso entregue pelo ex-presidente Betinho Inham
João Lopes recebe sua homenagem das mãos do presidente Jorge Ramos
João Lopes recebe sua homenagem das mãos do presidente Jorge Ramos
Walter Monachezi recebe homenagem das mãos do presidente Jorge Ramos
Walter Monachezi recebe homenagem das mãos do presidente Jorge Ramos

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário