Kaio Wilker: “Faltou um pouco de capricho na bola parada”

Ainda na primeira etapa do duelo contra o Juventude, o camisa 10 do Tupi, Kaio Wilker, tirou o grito de gol de muitos torcedores presentes no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio após cobrança de falta próxima à meia-lua da grande área gaúcha. A bola, no entanto, passou rente à trave esquerda do goleiro Elias. Responsável pelos tiros livres do Galo, Kaio lamentou detalhes em lances da partida ao analisar o empate:

“Não foi o resultado que esperávamos, queríamos os três pontos como em todos os jogos, mas principalmente em casa. A equipe deles veio fechada, buscando o empate, e sabíamos que se conseguissem um gol, se fechariam ainda mais. A marcação deles é muito consistente, eles têm uma equipe alta e de certa forma faltou um pouco de capricho na nossa bola parada, até assumo essa responsabilidade. Eles são muito altos, estava preocupado nessa questão e aí você acaba desconcentrando um pouco e não colocando a bola onde você queria”, admitiu.

Ainda assim, o meia-atacante elogiou sua apresentação, lembrando novamente da bola parada que quase abriu o placar no primeiro tempo: “Acredito que hoje participei muito, diante do horário do jogo e do adversário forte, tive uma boa desenvoltura e consegui criar algumas oportunidades. Na falta acabei tirando um pouco mais do gol, mas foi uma boa chance. Essa evolução é natural e, conforme a gente vá se adaptando ao adversário, é natural que a confiança volte. Estou muito feliz aqui e a cada dia mais quero assumir essa responsabilidade e juntamente com meus companheiros ajudar o Tupi a se manter na liderança”.

Kaio Wilker falta edit
Kaio Wilker em cobrança de falta contra o Juventude: camisa 10 é a primeira opção carijó nas bolas paradas

 “Torcedor nos ajudou muito”

Kaio ressaltou ainda o maior número de carijós presentes no Estádio Municipal e o apoio dado durante a partida, suporte que merecia três pontos: “Temos que agradecer e enfatizar isso, porque o torcedor hoje nos ajudou muito e saímos atrás do placar. Sabemos que o resultado não foi aquilo que eles e nós queríamos, mas a torcida teve uma ajuda fundamental na reação e agora esperamos que seja assim para mais e que possamos trazer essa vitórias de fora de casa para Juiz de Fora também, dando alegrias ao torcedor do Tupi”, desejou.

Partida teve 3.437 torcedores presentes no Estádio Municipal
Partida teve 3.437 torcedores presentes no Estádio Municipal

Foco no Ceará

Não sofrer gol. Esta é a primeira meta antecipada por Kaio Wilker na partida de ida da terceira fase da Copa do Brasil contra o Ceará, quarta-feira, 15, no Estádio Presidente Vargas, em Fortaleza, às 19h30: “Todos sabem que a Copa do Brasil é uma competição totalmente diferente da Série C. Temos que ir buscando não tomar gol lá em Fortaleza, marcar forte e sair com velocidade, podendo explorar o que eles têm de defeitos que o professor vai nos passar”, projetou.

Após atuar na manhã do domingo, os jogadores enfrentam o Ceará à noite. Esta mudança de horário, no entanto, não será problema para o camisa 10: “Estamos habituados a jogar à tarde e à noite. Esse jogo (contra o Juventude) foi atípico. É bom para o torcedor, para o evento, mas para nós não tanto, por termos que acordar, tomar o café e já entrar em processo de jogo. Mas suportamos bem e agora é focar na partida em Fortaleza”.

 

Texto: Bruno Kaehler – Toque de Bola

Fotos: Toque de Bola

O Toque de Bola é administrado pela www.mistoquentecomunicacao.com.br

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário