Vôlei UFJF tem futuro incerto: “Podemos melhorar o time ou até disputar a Superliga B”, afirma diretor

A UFJF não conseguiu se classificar para os playoffs da Superliga Masculina de Vôlei 2014/2015. Mesmo com a vitória por 3 sets a 0 (25/19, 25/22, 25/15) sobre o São Bernardo, no sábado, 28, no ginásio da Faefid, o time de Juiz de Fora dependia de mais dois resultados para conquistar o oitavo lugar e garantir a vaga. Montes Claros e Voleisul Paquetá não poderiam pontuar. A equipe de Novo Hamburgo foi derrotada pelo Minas, mas os mineiros superaram o Vôlei Brasil Kirin e avançaram na competição.

    Após a partida, o diretor técnico do Vôlei UFJF, Maurício Bara Filho, fez um balanço em tom de desabafo e demonstrou incerteza sobre o futuro do projeto: “A sensação é de que tudo que pode ser feito foi feito. Não tem porque lamentar muito. Não temos nada certo ou planejado para o ano que vem. Vamos ser sinceros, podemos desde crescer e nos reforçar, até disputar a Superliga B. Uma cidade que quer esperar um quarto lugar ou sermos campeões para nos apoiar? Tem planejamento na nossa cabeça, mas de concreto não tem. Se pudesse, manteria esse grupo, mas a gente pode reforçar o time ou perder alguns. Tudo depende muito desses próximos dois meses. Acho que esse é o pior momento da temporada para mim. Vamos agradecer a torcida, que abraçou a gente nessa reta final. Acho que nós merecíamos mais do que os outros a classificação. Ficamos na beira da zona de classificação o tempo inteiro e seria quase que um fato inédito uma equipe se classificar ficando apenas duas rodadas na zona dos playoffs, já que a nossa, durante toda a competição ficou entre os oito só na décima primeira rodada. Mas parabéns às equipes que foram mais regulares. A cidade de Juiz de Fora não está acostumada a lidar com esporte de alto nível e não é fácil ganhar uma partida de Superliga. Saltamos de um patamar de 12 e 14 pontos nas primeiras temporadas e agora chegamos aos 26, mas não foi o suficiente. Lamento pelo jogo de São José no primeiro turno, porque, mesmo jogando mal, acho que poderíamos vencer. O restante não lamento porque faz parte do esporte”, disse.

Bara declarou que irá conversar com o Reitor da UFJF, Julio Chebli, e que, se depender dele, o projeto continua: “Dependendo da minha vontade manteríamos esse grupo, existe o desejo de muitos atletas de permanecer e isso é importante. Eu garanto que o projeto não vai parar. A princípio, o Reitor sinalizou que manteria o projeto. Durante essa semana vou conversar com ele para ter uma resposta e quanto antes eu tiver, melhor” concluiu.

Torcedor compareceu em peso ao ginásio da Faefid na última partida da UFJF pela Superliga 2014/15
Torcedor compareceu em peso ao ginásio da Faefid na última partida da UFJF pela Superliga 2014/15

  Torcida lota o ginásio 

O último jogo da fase de classificação foi de muito nervosismo para os donos da casa. O São Bernardo jogou a Superliga com um time formado em sua maioria por garotos com menos de 23 anos e só conquistou cinco pontos, ficando com a lanterna. A UFJF entrou em quadra com o levantador Rodrigo, os centrais Victor Hugo e Ialisson, os ponteiros Manius e Sérgio e o oposto Bergamo. Os paulistas começaram a partida mandando no placar, mas logo a Federal tomou o controle do parcial e venceu o primeiro set por 25 a 19.

No segundo, os juiz-foranos entraram visivelmente desconcentrados, errando muita na recepção e no passe, o que fez com que os meninos de São Bernardo abrissem sete pontos de vantagem. Fadul mexeu no time e lançou na quadra o jovem Batagim no lugar de Manius. Mas o central Victor Hugo foi fundamental para uma virada monumental do time da casa. Com muitos bloqueios e ataques rápidos no meio da rede, o jogador levantou a torcida e junto com seus companheiros conseguiu reverter o placar adverso. Vitória da Federal por 25 a 22.

A Federal  estava fazendo a sua parte. O terceiro parcial foi o mais tranquilo do jogo. A torcida fazia uma bonita festa no ginásio, apoiando o time, fazendo ola e secando os rivais. Com tranquilidade o time juiz-forano venceu o set por 25 a 15 e Victor Hugo recebeu o troféu Viva Vôlei de melhor em quadra, das mãos do pai do diretor técnico do Vôlei, o médico Maurício Bara.

  Brindes para o torcedor e apreensão pelos outros resultados

A assessoria da UFJF promoveu ações para presentear o torcedor. Sorteou camisas e distribuiu bolas autografadas para os presentes nas arquibancadas do ginásio no fim do jogo, enquanto a comissão técnica toda reunida e os atletas aguardavam os resultados nas partidas de Montes Claros e Voleisul. Quando a vitória no terceiro set por 25 a 14 para o Montes Claros foi informada pelo Toque de Bola, que transmitiu o jogo, o técnico Alessandro Fadul resumiu o sentimento de todos da equipe juiz-forana: “É lógico que a gente fica chateado, nós tínhamos esperança de conseguir essa classificação mesmo dependendo de outros resultados, mas não foi possível. Parabenizo o grupo pela campanha, que foi a melhor da UFJF na Superliga”, declarou o treinador.

  Classificação final da primeira fase da Superliga 14/15 (se preferir, clique sobre o quadro para ampliar)

Classificação final da primeira fase da Superliga 14/15 (clique para ampliar)

 

Texto e fotos: Toque de Bola

Classificação informada no site da Confederação Brasileira de Voleibol

 

Deixe um comentário