Lesão prejudica Glaysson no segundo gol do Coelho: “Dava para chegar”

Derrotado em confronto contra o América por 2 a 1 no Estádio Municipal com atuação ruim, o Carijó já tem problemas para o duelo do sábado, 22, contra o Democrata-GV, fora de casa, pela quarta rodada do Mineiro. Além de Genalvo e Marco Goiano suspensos pelo terceiro cartão amarelo, o goleiro Glaysson sentiu uma fisgada em músculo próximo ao abdômen e é dúvida para o jogo.

“Realmente sofri uma lesão, senti uma fisgada quando fui sair para socar a bola. Estava com medo de ficar correndo e sentia quando dava um pique em um músculo próximo ao abdômen. Demos espaços novamente, marcando de longe, e infelizmente sofremos o gol, mas agora é colocar a cabeça no lugar porque os gols que estamos tomando vêm de erros nossos. Acho que estamos pecando muito nessa marcação”, relatou Glaysson, em entrevista após o embate.

Glaysson lamentou limitação de velocidade na saída da meta no segundo gol do América
Glaysson lamentou limitação de velocidade na saída da meta no segundo gol do América

O dono da meta alvinegra revelou, ainda, que teria chegado na bola se não estivesse lesionado no lance do gol de Robertinho. O lateral do Coelho recebeu lançamento pela direita e chegou antes do goleiro, tocando a bola para o fundo das redes: “Dava para chegar. Infelizmente a lesão me prejudicou demais na hora de correr. O cara acabou chegando mais rápido que eu e acabamos tomando gol”, admitiu, confirmando, inclusive, que teria pedido para sair do jogo se Surian não tivesse acabado de realizar as três mudanças na equipe.

“Teria pedido substituição para não atrapalhar a equipe. Era mais seguro sair, mas infelizmente não tinha como mudar mais e tive que ficar”, garantiu.

 

Texto: Bruno Kaehler

Foto: Toque de Bola

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário