UFJF começa bem, mas se perde e é derrotada para o Camponesa/Minas: 3 sets a 0

Vinte a 18, primeiro set. Fim de jogo para a UFJF. Em síntese, foi desta forma que o duelo contra o Camponesa/Minas se desenrolou na tarde-noite do sábado, 13, no Ginásio da Faculdade de Educação Física (Faefid) e Desportos da Universidade Federal de Juiz de Fora, finalizado em 3 sets a 0 para os visitantes, parciais de 23/25, 23/25 e 13/25.  O resultado leva o time de BH aos sete pontos ganhos, enquanto a UFJF ainda não saiu do zero. As duas equipes voltam a se enfrentar na quinta-feira, 18, desta vez em Mariana, também pelo Campeonato Mineiro.

Desapontado, o treinador da Federal, Chiquita, reiterou em sua análise o apagão da equipe após o vigésimo ponto juiz-forano no confronto.

“Até os 20 pontos do primeiro set estávamos com a partida dominada, jogando certinho, sacando certo, rodando as bolas e fazendo o trabalho que tínhamos que fazer. De repente a ansiedade de fechar o set atrapalhou e então só erramos. Não tivemos acertos consecutivos. Pontuava uma bola e errava a seguinte, então fica difícil jogar. Chegou em um determinado momento em que eles passavam a bola e nós errávamos, o que foi a tônica do nosso time. Outra coisa, meus líberos foram ponto de referência em saque flutuante. Um saiu com 20% e o outro com 30% de passes na mão e com isso é impossível jogar voleibol. Culpa minha, sou o treinador e vou fazer eles melhorarem para o próximo jogo”, avaliou Chiquita.

Visivelmente abatidos, jogadores tiveram queda no desempenho após perda do primeiro set
Visivelmente abatidos, jogadores tiveram queda no desempenho após perda do primeiro set

Mesmo com as críticas, o comandante da Federal também exaltou o nível do voleibol desempenhado por sua equipe no primeiro set, pedindo a mesma atuação nas próximas partidas.

“Com aquele nível de primeiro set, sem ansiedade para fechar, não quero mais nada. O tipo de jogo que foi feito no primeiro set foi perfeito. Nos outros nós não jogamos. Não esboçamos reação em nenhum momento e, mesmo com jogadores experientes, ninguém chamou o jogo para si. Agora é conversar durante a semana para acertar tudo isso”.

O oposto Bergamo compartilhou a opinião de Chiquita quanto a atuação da equipe juiz-forana e também tentou tirar algo de benéfico para a sequência da temporada.

“De positivo foi até o vigésimo ponto do primeiro set. Depois perdemos para nós mesmos. Claro que é ruim, mas o bom disso é que nós sabemos que temos condições de resolver, depende só de nós.  Agora esperamos reverter essa situação para ter tranquilidade. Sabemos da importância do jogo e vamos buscar a vitória lá, da mesma forma como eles vieram aqui”, falou o oposto após a partida.

Pela UFJF iniciaram em quadra Dedê, Rodrigo, Victor Hugo, Bérgamo, Ialisson, Manius e Fábio Paes, com as entradas de Ninão, Batagim, Vitor Gelli, Tatinho e Tarcísio

Texto: Bruno Kaehler

Foto: Toque de Bola

Deixe seu comentário