Maguinho é o mais jovem da história a vestir camisa do Tupi pelos profissionais

Nascido em Dores do Turvo, da Zona da Mata mineira, situada a 158km de Juiz de Fora, Magno José da Silva – o Maguinho -, vem sendo um dos principais destaques do Tupi nesta temporada. O meia de 22 anos está no clube desde 2008, ano em que foi promovido aos profissionais e já passou a fazer história. Atuando no time principal com 16 anos, o jogador se tornou o mais jovem a realizar uma partida oficial pelo clube como profissional, segundo informações do jornalista Ailton Alves. Além disso, em sua última partida, no sábado, contra o Macaé, o meio-campista marcou seu primeiro gol pelo Carijó, sendo essencial na construção da primeira vitoria fora de casa da equipe na Série C.

Em entrevista exclusiva concedida ao Toque de Bola, o atleta que também comemorou seu primeiro dia dos pais com o filho, Vitor, contou um pouco de sua trajetória e sonhos.

maguinho img dest

Surgimento

Tudo aconteceu muito rápido para Maguinho, que não via a carreira de jogador em seu futuro, até um campeonato em cidade vizinha a Dores do Turvo. Com boas atuações, o jovem despertou o interesse do Fluminense, mas em curta passagem na base do time carioca, não conquistou seu espaço. Foi então quando o Tupi apareceu em sua vida.

“Não tinha muitas pretensões de ser jogador, apesar de ter um sonho, mas minha cidade é longe, tinha poucas possibilidades. Teve um torneio em Rio Pomba, a Copa Minas, fui convidado a jogar pelo time da cidade e acabei fazendo um bom campeonato. Tive a oportunidade de ficar um tempo no Fluminense, mas não fui aproveitado, então voltei para casa. Pouco depois, aos 16 anos, recebi um convite de vir para o Tupi, disputei o Campeonato Mineiro e me profissionalizei. Graças a Deus estou tendo a oportunidade de jogar, principalmente em 2013 e neste ano. Agora espero estar ajudando a equipe a conquistar grande espaço no cenário brasileiro e títulos também”, contou.

Mesmo com todo o destaque e mudanças em um curto espaço de tempo, o carijó manteve a humildade e seguiu trabalhando. Hoje, Maguinho relata seus sonhos com seriedade, almejando o sucesso do clube para o posterior ganho individual.

“A gente tem que pensar passo a passo. Meu objetivo hoje é fazer um bom campeonato no Tupi, para que apareçam oportunidades de poder atuar em outros estados, outros times grandes. Temos que sempre estar procurando crescer em nossa profissão, então buscamos dar nosso melhor para que as portas comecem a abrir”.

Tupi x Macaé 04 - Foto Tiago Ferreira img dest
Maguinho em partida contra o Macaé, pela estreia da Série C, no Mário Helênio: marcação forte e velocidade são duas de suas marcas

Ídolo e amigo

Além de se tornar jogador profissional, Maguinho tem uma oportunidade ímpar na carreira: a de ser amigo e jogar ao lado de um ídolo. Esta é a imagem que Ademilson possui com o jovem atleta do Tupi. O atacante obtém uma idolatria que envolve torcedores e companheiros de profissão, pelo que apresenta no campo e pelo suporte e aprendizado proporcionado àqueles que convivem com o artilheiro carijó.

“É indiscutível a gente falar do Ademilson. Ele é um exemplo, tanto pessoalmente, já que sou muito amigo dele, como dentro de campo. Tenho que agradecer muito a ele pelos conselhos, dicas e graças a Deus vem dando tudo certo, então sou muito grato a ele” afirmou Maguinho.

Maguinho esteve em campo contra o Fluminense de Fred, Conca, Wagner e companhia, na Copa do Brasil
Maguinho esteve em campo contra o Fluminense de Fred, Conca, Wagner e companhia, na Copa do Brasil

Polivalência

Uma das características de Maguinho que mais agradam os treinadores que passam pelo comando do time juiz-forano é a capacidade do jogador atuar em mais de uma função. Mesmo tendo sua preferência, o jovem de Dores do Turvo destacou que já atuou em diversas áreas do campo e sempre prioriza contribuir para o desempenho do time nas partidas, deixando em segundo plano a vontade de jogar no meio campo.

“Tenho a opção de jogar pelo corredor direito, gosto de jogar assim, mas não tenho dificuldades em atuar como lateral ou até como meia mais avançado, posição que cheguei a fazer nos últimos jogos. Estou disposto a ajudar, no que for preciso para conquistarmos grandes coisas, estarei à disposição”, afirmou.

Seja como jogador de meio-campo, lateral ou em outra posição, Maguinho trabalha para dar alegrias ao torcedor do Tupi, clube que o ajudou na carreira e que vem sendo recompensado com boas atuações do jovem pela equipe.

 

Texto de Bruno Kaehler com informações do jornalista Ailton Alves

Fotos: Toque de Bola, Tiago Ferreira e Facebook Maguinho

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem 5 comentários

  1. Decao

    botoo fé na suaa vitoriaa meu camaradaa Deuss esta no controlee

  2. Nilson Ventura

    esse garoto com sua humildade e qualidade vai longe.

  3. Fernando de Lelis

    Parabéns pela matéria, Maguinho hoje é sem duvida,uns dos principais jogadores do Tupi.

  4. Rafaela Esteves

    Parabéns Amor (Maguinho) você é um vitorioso já, sua garra, força de vontade e humildade vão te levar muito longe ainda. Ja tenho muito orgulho de você pois chegar aonde esta nas condições que vc tinha já é uma vitória. Parabéns !!! Obrigada Bruno e todos envolvidos na matéria.

  5. Nel

    Perfeita a matéria, poucos a fazem dessa forma independente ser ser utópica ou piegas. Parabéns Maguinho pelo seu profissionalismo. Parabéns Bruno!

Deixe seu comentário