Sem receber bolas da Copa do Brasil, Tupi treina com dúvida no meio campo

O Carijó segue se preparando para a partida de ida da segunda fase da Copa do Brasil, contra o Fluminense, na quarta-feira, 23, em Juiz de Fora, e a estreia na Série C, quatro dias depois, contra o Macaé, também no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio. Há quatro dias do jogo contra o tricolor carioca, no entanto, o elenco juiz-forano ainda não teve a oportunidade de trabalhar com bolas da Copa do Brasil e o treinador do Tupi, Léo Condé, vem estudando o adversário de quarta para definir a equipe que entra em campo, com uma dúvida no meio campo, inicialmente entre Álvaro e Dieguinho.

De acordo com a diretoria do Alvinegro de Santa Terezinha, a Federação Mineira de Futebol (FMF) não entregou as bolas ao Carijó, que vem realizando seus treinamentos com as do Campeonato Mineiro. Um dos mais descontentes com a situação, o preparador de goleiros do Tupi, Walker Campos, afirmou que um goleiro precisa de cerca de duas semanas para se adaptar a uma nova bola, justificando sua indignação.

“Isso me incomoda demais. Contra o Juazeiro, conhecemos a bola pouco antes do jogo. O material das bolas é diferente e os goleiros precisam desse contato, mas infelizmente é assim. Outras equipes mineiras já têm esta bola e não sei porque a Federação não encaminhou. Eu não sei, será que o Tupi-MG é o ‘patinho feio’?”, indagou Walker.

Leia também: Tupi x Flu: partida será a primeira oficial da história entre os clubes. Veja retrospecto e arbitragem

Tupi x Fluminense: Cristóvão quer força máxima contra Carijó

Walker Campos lembrou que os jogadores só utilizaram a bola da Copa do Brasil pouco antes da estreia no torneio
Walker Campos lembrou que os jogadores só utilizaram a bola da Copa do Brasil pouco antes da estreia no torneio

Dúvida na criação de jogadas

Durante o treino da manhã deste sábado, 19, em Santa Terezinha, Léo Condé dividiu a equipe em dois grupos. Um deles foi composto pelos jogadores que vêm iniciando os amistosos mais o meia Dieguinho, jogador recém contratado, que realiza a mesma função de Álvaro. Após o trabalho, Léo Condé confirmou a indefinição entre os meio-campistas para o jogo de quarta, mas ressaltou que ainda irá observar o jogo do time carioca para definir a formação.

“Vamos dar uma olhada na equipe do Fluminense. O Álvaro é um jogador que gosta de ficar um pouco mais com a bola, um meia que vem um pouco mais de trás e trabalha com bola longa. O Diego já é um meia mais de infiltração, que chega na área quase que como um terceiro atacante. O restante deve ser mais ou menos essa base que vem treinando, mas vamos dar uma olhada no jogo do Fluminense para ajustar uma ou duas peças no máximo”, afirmou Condé.

101_1152
Álvaro e Dieguinho brigam por vaga no setor de criação de jogadas do Tupi, contra o Fluminense

Álvaro, que chegou no decorrer do Campeonato Mineiro, vem recebendo suas primeiras oportunidades com o novo treinador carijó, sendo responsável pela articulação de jogadas do meio ao ataque no time juiz-forano, função que prefere e que também exercia no Atlético, clube que emprestou o jogador ao Tupi.

“Cheguei no meio do Mineiro, mas estou evoluindo bem e me adaptando aos meus companheiros principalmente nos amistosos. Em todos os jogos creio que o time foi bem em um contexto geral. Estou dando meu máximo em cada treinamento”, garantiu o meia.

Texto: Bruno Kaehler

Foto: Toque de Bola

 

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem um comentário

Deixe seu comentário