Com Libertadores no caminho, Atlético e Cruzeiro se preparam para final sem arbitragem mineira

Finalistas do Campeonato Mineiro, Atlético e Cruzeiro têm outras decisões no meio de semana, em partidas válidas pela penúltima rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. Apesar de uma situação mais tranquila que a do rival, o Galo de BH visita o Independiente de Santa Fé, da Colômbia, na quinta-feira, 3, às 23h, buscando consolidar a primeira colocação do grupo. Em situação delicada no grupo, a equipe celeste enfrenta, também fora de casa, a Universidad do Chile, vice-líder na chave, às 20h45. Nesta segunda, 1º, os finalistas do Estadual definiram, em acordo, que a arbitragem dos clássicos será de fora de Minas Gerais.

Líder, Atlético visita lanterna do grupo

O Atlético enfrenta o Independiente Santa Fé às 23h desta quinta-feira, na Colômbia, querendo abrir vantagem na liderança do grupo 4 da Libertadores. O Galo possui oito pontos conquistados, um a mais que o vice-líder, Zamora. O adversário do alvinegro mineiro é o lanterna da chave, com quatro pontos, e precisa da vitória para manter o sonho da classificação. Por essa necessidade, o atacante do Galo, Diego Tardelli, acredita que o confronto na Colômbia será o mais difícil desta primeira fase.

“Eles precisam do resultado, precisam da classificação, e jogar lá é difícil, complicado, tem pressão da torcida. Para a gente, também é positivo, jogar fechado, explorar o contra-ataque, que é nosso ponto forte. O Paulo vem trabalhando isso, para a gente não tomar gol fora de casa, jogar organizado, e encarar o espírito da Libertadores. Estamos a um passo da classificação e vamos em busca de um bom resultado lá”, comentou Tardelli.

“O futebol mudou muito. Independente do país, hoje não tem mais gente boba no futebol. E time colombiano, principal o Independiente Santa Fé, que chegou à semifinal ano passado, é um adversário muito difícil. Isso foi comprovado no primeiro jogo contra eles, um time que toca bem a bola. Então, Temos que fazer um bom jogo, jogar fechado, porque um empate já nos coloca dentro da segunda fase”, acrescentou o atacante atleticano.

Campeão em 2013, Tardelli é uma das armas do Atlético para o jogo de quinta-feira

 

Batalha no Chile. Nilton é punido 

A situação do Cruzeiro na Libertadores é muito delicada. Na terceira colocação do grupo com quatro pontos somados, o time celeste não pode pensar em outro resultado além da vitória para a partida desta quinta-feira, às 20h45, fora de casa, contra a Universidad do Chile, segunda colocada do grupo 5 com nove pontos ganhos, quatro a mais que os mineiros. A distância do Cruzeiro para o líder, o Defensor, é de seis pontos.

Para dificultar ainda mais a situação da Raposa, o volante Nilton, expulso contra o Defensor, foi suspenso pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) por três jogos e está fora da fase de grupos do torneio. A Conmebol decidiu pela punição a Nilton na noite da segunda-feira, 31, e, além da suspensão, o Cruzeiro terá que arcar com US$ 3 mil de multa (cerca de R$ 6.790), pela confusão do atleta com Matias Malvino, da equipe uruguaia.

O meia Everton Ribeiro acredita que o importante confronto entre Cruzeiro e Universidad de Chile será um grande jogo, marcado pela ofensividade e pela técnica, características preponderantes dos adversários.

“São duas equipes técnicas, que gostam de trabalhar a bola, manter a posse da bola. Quem conseguir fazer isso melhor vai sair com um bom resultado lá e espero que isso nos ajude também. Eles têm uma equipe boa também, querem mostrar isso dentro de casa e cabe a nós não sermos dominados. É um time que sai para o jogo e acredito que eles virão para cima e que a gente possa, com o nosso jogo, conseguir fazer gols e sair vitorioso”, disse o meio-campista.

Everton Ribeiro é nome garantido para quinta e crê em partida aberta no Chile

Arbitragem de fora no Mineiro

Após reunião na tarde da segunda-feira na Federação Mineira de Futebol, as diretorias de Atlético e Cruzeiro chegaram a um acordo para que os dois clássicos da final do Campeonato Mineiro sejam apitados por árbitros de fora. Em entrevista à Rádio Itatiaia, o supervisor de futebol do Cruzeiro, Benecy Queiroz declarou que foi encaminhado um ofício à comissão de arbitragem da FMF solicitando árbitro de outro estado para as duas decisões.

“Nós não temos nenhuma restrição quanto a quem vai apitar os clássicos. Mas entendemos que por ser um clássico de relevância nacional é preciso um juiz de fora do estado, uma  vez que o jogo gera grande interesse”, afirmou o dirigente cruzeirense. Benecy Queiroz ressaltou que os árbitros mineiros são capazes de apitar a partida, mas os clubes entendem que é preciso dar  uma tranquilidade a eles por causa de uma possível pressão.

A última vez em que Estadual teve árbitros mineiros na decisão foi na edição de 2007. Naquela oportunidade,  Cléver Assunção Gonçalves apitou o primeiro clássico da final entre Atlético e Cruzeiro e Álvaro Azeredo Quelhas foi o responsável pelo jogo da volta. Desde 2011, quando os finalistas do Campeonato Mineiro foram o Galo e a Raposa, os juízes na decisão não pertenciam ao quadro da FMF.

Texto de Bruno Kaehler com informações dos sites do Atlético, Cruzeiro e Super FC – O Tempo

Fotos: Sites do Atlético e Cruzeiro

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem um comentário

Deixe seu comentário