Ao receber Comenda da Copa, Tote enaltece “escola” do futebol amador

Quem apita com sucesso no futebol amador está preparado para encarar qualquer desafio do futebol profissional, em qualquer estádio.

Palavra do diretor de arbitragem da Liga de Futebol de Juiz de Fora, Euclides Tote, um dos agraciados este ano com a Comenda da 21ª Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador.

Acesse aqui para ver galeria de fotos da premiação da Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador

Encarregado pela escala de arbitragem na Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador, a maior competição no gênero do país, o diretor de arbitragem da Liga de Futebol de Juiz de Fora, Euclides Tote, afirmou ao Toque de Bola que o árbitro com experiência no futebol amador trabalha tranquilamente no profissional, tendo convivido com uma pressão diferente dos grandes estádios.

“Todos os grandes árbitros do futebol brasileiro, vou te citar um, o Márcio Rezende, que eu conheço pessoalmente, começaram no futebol amador. Se você pegar o currículo do Márcio, ele só não apitou Copa do Mundo. Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil ele apitou em grande quantidade. E ele falou uma vez: ‘O que me preparou verdade foi o futebol amador, trabalhando na várzea, que me deu o incentivo para poder atuar’. Porque quando você chega ao profissional, depois que trabalhou na base, toda aquela pressão que teve aqui, por mais que pegue um Maracanã lotado, um Mineirão, Pacaembu ou Morumbi, você tira de letra, porque no amador o negócio é ali, pertinho de você, como se diz, sacudindo o alambrado partindo pra quebrar e derrubar”, analisou Euclides.

Esta pressão, de acordo com o diretor, é tradicional no clima do futebol amador. No entanto, medidas tomadas pela Liga vêm aumentando a segurança da arbitragem, assim como a punição dos possíveis agressores, sendo torcedor ou atleta. “No profissional, você tem em todos os campos o policiamento, uma série de coisas, e o jogador sabe que, se fizer algo contra o árbitro, vai pegar um gancho, perder dinheiro. Então, hoje em Juiz de Fora, o cidadão, em qualquer campo que estiver, se agredir o árbitro, será punido. Vamos supor que ele pegue um ano de suspensão. Em todas as áreas do futebol amador que a Liga trabalha ou que seja da Prefeitura, esse cidadão não atua. Então isso melhorou muito, mas mesmo assim eu te falo que é super complicado, o cara para ser árbitro de futebol amador tem que ser um pouquinho doido”, comentou.

Arbitragem do futebol amador em 2013

Mesmo participando de campeonatos amadores, Euclides enfatiza a importância do profissionalismo de toda a arbitragem. Para ele, a postura e atitudes devem condizentes com o patamar que o árbitro almeja chegar na carreira futuramente, começando em casa.

“De um modo geral, a arbitragem do futebol amador melhorou muito. Uma das coisas que a gente põe na cabeça dos árbitros na Liga é a de que mesmo não sendo futebol profissional, tem que ter responsabilidade. Deitar cedo, não chegar no campo de bermuda e chinelo, porque quando eu cheguei na Liga tudo isso existia. Hoje não, montamos um padrão, criamos uma cartilha e disso saíram muitas coisas boas”, ressaltou Euclides.

O resultado de iniciativas e conselhos, como esses realizados pelo diretor, trazem resultados somados ao bom trabalho desenvolvido durante um período de tempo. É o caso de um dos destaques da Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador, o árbitro Gabriel Santos (Três árbitros receberam premiação especial na noite do dia 16: Gabriel Santos, Rodrigo Aguiar e José Vieira da Rocha, o Zezinho).

“Nós temos árbitros daqui hoje que partem para a Federação. Aquele menino que foi premiado, o Gabriel, ele já está matriculado no curso da Federação Carioca do ano que vem, é um árbitro que nós perdemos. A grande desvantagem do futebol amador para a arbitragem é esse ponto, você prepara o árbitro, mas quando pensa que ele vai trabalhar, ele sai para outro centro, mas lógico que é bom pra ele”, analisou Euclides.

Comendador da Copa 

Euclides foi agraciado, em evento de premiação da Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador, como um dos destaques da edição de 2013, com a Comenda da Copa. Emocionado, o diretor de arbitragem ressaltou a importância de um reconhecimento como este, após anos de trabalho e dedicação na área.

“Fiquei muito feliz, é uma Copa que acompanho desde a primeira edição, em que trabalhei como árbitro por cerca de dez anos. Quando parei, recebi o convite para ser diretor de arbitragem da Liga e sempre acompanhei, sei da importância e organização que é, do tempo que ela ocupa e que já começam a preparar tudo muito antes. Então tenho conhecimento de tudo o que ela representa para Juiz de Fora hoje, para os atletas. É uma alegria imensa. Foi emocionante”, disse.

 Expectativa para 2014

Com o fim do ano, a próxima temporada já começa a ser analisada e os objetivos projetados. Euclides comentou a motivação conquistada para dar a continuidade ao trabalho desenvolvido. “A gente trabalha para que cada ano seja melhor. Todos os anos nós fazemos uma reciclagem com eles e estudamos. Mas futebol amador não é fácil de lidar. Profissional é bem diferente, você tem uma estrutura, você tem tudo. No amador não tem isso, mas o apoio da Liga, da Prefeitura, do próprio Bahamas, da imprensa daqui de Juiz de Fora, que ajuda muito, faz você batalhar e lutar para que melhore cada vez mais”.

Em meio ao sucesso das competições, o diretor também procura passar conselhos aos árbitros, para que possam manter os pés no chão e crescer profissionalmente. “É o que sempre coloco na cabeça deles, o árbitro de futebol é igual foguete. Sobe muito, mas se você não tomar cuidado, desce rapidinho. Então a gente está sempre incentivando eles a estarem lendo, ainda mais hoje que você tem os livros de regras na internet, no site da CBF, as orientações. Nesse ponto ficou até melhor para trabalhar com eles, mas se Deus quiser a gente trabalha para ter um ano melhor ainda que 2013”, finalizou Euclides.

 A Comenda

O Tô Maluco encerrou sua participação histórica na Copa Prefeitura/Bahamas de Futebol Amador com duas comendas entregues na noite de 16 de dezembro, na Estação São Pedro. A solenidade premiou os artilheiros, defesas menos vazadas e equipes mais disciplinadas da competição organizada pela Secretaria de Esporte e Lazer (SEL). Além de ser o campeão do adulto neste ano, o Tô Maluco ainda levou a Taça Disciplina e as comendas de melhor equipe de 2013 e melhor jogador do torneio, entregue ao camisa 10, Anderson.

O evento contou com a participação do prefeito Bruno Siqueira, do presidente da Câmara Municipal, Júlio Gasparette, do secretário de Esporte e Lazer, Francisco Canalli, além de outras autoridades, parceiros e apoiadores da Copa.

O prefeito destacou o papel dos atletas na maior copa de futebol amador do Brasil: “A Copa permite a integração entre os bairros e as equipes, e os atletas têm papel fundamental nessa questão. Parabenizo e agradeço a todos os que participaram de forma brilhante da Copa Prefeitura/Bahamas”.

Além do Tô Maluco, de Anderson e de Euclides Tote, receberam a Comenda este ano João Batista de Freitas, pelo trabalho como dirigente à frente do Guaporé FC, e a Caem do Polivalente de Teixeiras, representada por Joaquim Ramos Caetano.

Outros destaques individuais marcaram a festa. Lucas Costa Perez, atleta do Centro de Futebol Zico, campeão do infantil, foi o artilheiro que mais balançou as redes na Copa em 2013, com nove gols marcados. No adulto, o goleador do Só Entre Nós, Cícero do Nascimento Toledo, com seis gols, mostrou satisfação: “Estou muito feliz por estar aqui hoje disputando minha primeira Copa Prefeitura/Bahamas. Eu sou de Piraúba e fico feliz em deixar a minha marca nesse evento tão grandioso. Tomara que o Só Entre Nós chegue com mais força para brigar pelo título no ano que vem”.

A edição 2013 da Copa Prefeitura/Bahamas de Futebol Amador termina com a realização de 553 partidas, 1.472 gols e a participação de 346 equipes e cerca de 8 mil atletas e membros de comissão técnica. De agosto a dezembro, mais de 120 mil pessoas frequentaram os campos da cidade, das 8 horas ao fim da tarde.

A Copa Prefeitura Bahamas de Futebol Amador, considerada a maior competição do gênero no Brasil, é coordenada pela Secretaria de Esporte e Lazer, com patrocínio do Bahamas e apoio de Pepsi, Farinha de Trigo Rosa Branca, Arroz Recanto, Brahma, Lalita, Água Mineral Crystal, Quelp´s, GSport, Sadia, Ninfa, Café Donalice e Bahamas Card.

Mais informações, boletins e fotos: www.bahamas.com.br

Texto: Bruno Kaehler, com informações complementares da assessoria da SEL

Deixe seu comentário