Agora é oficial: recursos já estão protocolados

O dirigente carijó Alberto Dalva Simão informou, por volta de 14h25 desta quinta-feira, 19, em sua página no facebook;

“Acabo de receber a Informação na CBF que a Aparecidense e o Procurador protocolaram hoje os seus respectivos Recursos. Tem muito briga ainda. Acreditamos até o final que o bem vai vencer o mal!!!”

Com a confirmação dos dois recursos, resta ao Tupi aguardar novo julgamento do caso que está sendo conhecido como “Vexame Aparecidense”.

Na segunda-feira, 16, a 1ª Comissão Disciplinar do STJD deu ganho de causa ao Tupi, por 3 votos a 1, tendo como principal decisão a exclusão do clube goiano da competição.

O Toque de Bola acompanhou tudo, entre 17h30 e 23h30, com novo recorde de audiência.

No início da noite desta quinta-feira, 19, a Tribuna de Minas informou a possibilidade de o Tupi ir à Fifa em nome dos seus direitos e da moralidade esportiva.

Veja, abaixo, texto publicado no site da Tribuna:

O caso do jogo entre Tupi e Aparecidense-GO, disputado no dia 7 de setembro, em Juiz de Fora, ganhou repercussão internacional imediata, teve seu primeiro julgamento no início dessa semana e deve chegar à Fifa daqui a poucos dias. Com viagem marcada para a Europa, onde vai visitar alguns atletas dos quais é empresário, o diretor-executivo de futebol do Tupi, Alberto Simão, revelou nesta quinta-feira (19) que solicitou um encontro com representantes da entidade máxima do futebol mundial no dia 25 de setembro, próxima quarta, em busca de apoio para que a invasão do massagista goiano Esquerdinha, impedindo o gol da classificação do Carijó às quartas de final da Série D do Campeonato Brasileiro aos 44 minutos do segundo tempo, não fique impune.

Também nesta quinta, a Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) protocolou seu recurso sobre a decisão da Primeira Comissão Disciplinar na última segunda-feira (16), que puniu a Aparecidense com a exclusão da Série D, enquadrando o clube goiano no artigo 205 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por “impedir o prosseguimento de partida que estiver disputando por qualquer forma”. Segundo o procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, o clube de Goiás deve ser julgado no artigo 243-A, “atuar de forma contrária à ética esportiva”, no qual inicialmente havia sido denunciado e que prevê como punição multa e a anulação do confronto com a marcação de novo jogo.

Na última quarta-feira (18), a Aparecidense já havia recorrido da mesma decisão, pedindo a manutenção do resultado final da partida (que terminou com o placar de 2 a 2) e sua consequente classificação, ou que o jogo fosse anulado, e outro confronto, marcado. O caso será apreciado no Pleno do STJD em data ainda desconhecida. O departamento jurídico do Tupi espera ser comunicado oficialmente dos recursos para apresentar suas argumentações.

Leia também: Exclusivo: o passo a passo do julgamento do “Vexame Aparecidense”

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem um comentário

Deixe seu comentário