Veja como foi a 2ª Corrida Infantil da UFJF

Mais de 300 crianças e adolescentes participaram da 2ª Corrida Infantil da UFJF na manhã deste sábado, 25, na pista de atletismo da Faculdade de Educação Física, no campus. Divididos em seis categorias de faixa etária, gênero e distância percorrida, os participantes chamaram atenção tanto pela velocidade quanto pela dedicação ao esporte.

No domingo, 26, foi realizada a 3ª Corrida e Caminhada, para adultos, com largada às 8h, na Praça Cívica.

Os menores, de 4 a 5 anos, logo chegaram se aquecendo, alongando os braços e as pernas, parecendo atletas experientes. Afinal, a prova dessa faixa etária foi a clássica do atletismo, a de 100 metros livres. Para incentivá-los, não faltaram adjetivos vindos do público, como “bonitinhos” e ”gracinha”. Para lembrar que se tratam de crianças iniciantes, teve também choro, pai esperando o menino na linha de chegada, pula pula, escorregador, tia gritando o nome de criança na torcida e também bronca de treinador, ainda que leve.

Nessa primeira prova, Julia de Castro, 5 anos, conquistou o primeiro lugar entre quatro meninas, com o tempo de 19″90. O segredo para a vitória, segundo a garotinha, foi o treino em casa e o acompanhamento do pai, que também corre. Não só Julia subiu ao pódio, todos os participantes tiveram o direito de destaque e receberam medalha. Não houve classificação, pois o objetivo, segundo um dos organizadores da Corrida, professor Jorge Perrout, foi incentivar a participação das crianças independentemente da posição na chegada.

Sobrou incentivo para que um escorregão na largada não impedisse que Arthur Franco, 9, completasse os 200 metros em 31″60 em sua décima competição. “Na hora, não achei que fosse chegar em primeiro. Mas percebi que um colega à minha frente estava diminuindo o ritmo, acelerei e deu para ultrapassá-lo”, conta o garoto, que participa do projeto Minas Olímpica, organizado pela UFJF em parceria com o Governo do Estado. “Ele ama o atletismo e desde que entrou no Minas Olímpica da UFJF, há um ano e meio, evoluiu no comportamento, tanto em casa como na escola”, declara emocionada a mãe de Arthur, Ednéia Franco.

A colega de projeto, Maria Eduarda Olímpio Lopes, 14, liderou a prova dos 1.000 metros, entre adolescentes de 14 e 15 anos, durante todo o percurso. Nos primeiros 300 metros, a diferença em relação à segunda colocada era de apenas 15 metros, mas, na reta final, saltou para mais de 100 metros. Desde que participou da 1ª Corrida Infantil da UFJF, em 2012, Maria Eduarda passou a treinar no Minas Olímpica. “Bateu um nervosismo na hora da prova, pensei que uma amiga, que chegou em primeiro no ano passado, fosse ganhar, mas consegui chegar na frente”, conta, ofegante.

Já a disputa dos 1.000 metros masculina foi uma das mais concorridas da manhã. Pela quantidade de garotos deitados no chão, logo após a linha de chegada, dava para imaginar o esforço que os adolescentes tiveram que empreender. O estudante Adan Arroio de Matos, 15, que chegou em primeiro lugar, precisou fazer várias ultrapassagens até conseguir manter a liderança nos últimos 100 metros. Ele atribui à disciplina com o esporte como a principal responsável por sua conquista. “Só foi possível ganhar com muito esforço e dedicação, treinando quatro vezes por semana, há um ano na UFJF.”

Segundo o professor Jorge Perrout, a orientação para participantes de provas de 1.000 ou 600 metros é tentar equilibrar a ansiedade, na largada, com um ritmo constante de velocidade na pista. Na disputa feminina dos 600 metros, a líder da prova, durante os 200 iniciais, não aguentou manter o fôlego e teve que andar durante parte do trajeto. Já um aluno, com sobrepeso, emocionou a plateia ao competir, mantendo a disposição até o fim, após todos os colegas terem finalizado. Mais uma medalha no peito e aplausos do público, formado, em sua maioria, por familiares dos atletas mirins.

O coordenador dos Ranking de Corridas de Rua de Juiz de Fora, Orlando Benício, ressaltou a qualidade da execução das provas da Corrida Infantil da UFJF, que contou com o apoio de estudantes de Educação Física, camiseta, kit com lanche e bebida isotônica, além de ser realizada na pista de atletismo de padrão internacional. “É um gesto de valorização das crianças e adolescentes”, afirmou.

Melhores tempos

Repetindo o modelo observado entre adultos, os meninos foram mais rápidos do que as meninas nos primeiros lugares em cinco das seis categorias. A exceção foi nos 100 metros, em que a primeira colocada foi quase um segundo mais rápida do que o primeiro no masculino.

 

Faixa etária

Distância

Tempo – Feminino

Tempo – Masculino

4 e 5 anos

100 metros

19”90

20”70

6 e 7 anos

100 metros

18”70

17”20

8 e 9 anos

200 metros

36”80

31”60

10 e 11 anos

300 metros

53”90

51”90

12 e 13 anos

600 metros

2`00”00

1`40”40

14 e 15 anos

1.000 metros

3`23”40

2`53”40

  Minas Olímpica

  O projeto, patrocinado pela Secretaria de Estado de Esporte de Minas Gerais, e promovido pela Faculdade de Educação Física, oferece atividades de atletismo a 70 crianças de 6 a 14 anos. Os interessados podem escolher treinos às 8h ou às 14h, toda segunda, quarta e sexta, na Faculdade de Educação Física, no campus.

Texto, informações e foto Super + Ação enviados ao Toque de Bola pela Secretaria de Comunicação da UFJF

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem um comentário

Deixe seu comentário