Tupi x Duque de Caxias às 15h30: jogo-treino com portões abertos

  Uma atividade para observar o desempenho dos atletas e ver o comportamento da equipe. Ainda buscando a melhor formação para o Tupi, Felipe Surian vai usar o jogo-treino deste sábado, 18, contra o Duque de Caxias (RJ), para tentar “encaixar” o esquema tático que pretende adotar. A partida será no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio a partir de 15h30, com portões abertos para a torcida. Surian também pretende testar jogadores que chegaram recentemente ao Carijó.

Leia também:

Anderson Tôto e Fernando Camargo, novos reforços para a Série D

De volta para casa: Michel Benhami retorna ao Tupi

Vasco relembra dias de “trem bala” e passa por cima do Tupi

“Durante as competições, fica mais difícil de fazer estes testes, já que uma substituição errada pode resultar em um jogo perdido. Esse jogo-treino serve mesmo para arrumar o time”, comenta o treinador, para depois destacar que o trabalho desenvolvido já começa a surtir efeito: “A gente tem visto que a equipe está ganhando corpo e chegando perto da qualidade que desejamos. Ver essa evolução a cada treino me deixa satisfeito. O amistoso deste sábado é justamente para fechar bem a semana e avaliarmos o trabalho que estamos desenvolvendo.”

Surian argumenta que os jogadores não tiveram descanso nos últimos dias, quase sempre com trabalho em dois períodos. Tudo, segundo o treinador, para “melhorar a condição física e tática dos atletas o mais rápido possível”. Novos jogadores ainda podem desembarcar em Santa Terezinha. “A intenção é fazer uma equipe mais forte que a do Mineiro. O Campeonato Brasileiro é diferente e requer mais força física. Trabalhamos em cima de nomes de atletas que têm essa característica e que já conhecem o campeonato”.

Preparação física

Uma dorzinha aqui, um desconforto muscular acolá. Desde o início da preparação para a Série D, o Tupi vem dando especial atenção ao condicionamento físico. Para o preparador físico Luís Augusto Alvim, é normal que aqueles jogadores que não estejam 100% fisicamente sintam incômodo neste período. Segundo ele, o esforço é importante para que depois não falte gás dentro decampo.

 “Os jogadores que disputaram o Campeonato Mineiro já superaram as dores musculares e estão dando uma resposta rápida. Mas alguns que chegaram ainda estão um pouco abaixo. As dores neste momento são normais. Se aperna não estiver pesada agora é porque o trabalho não está surtindo efeito.Esse sacrifício é necessário para que depois não sofram na hora do jogo. Sofrem nos treinamentos para render o máximo possível nos jogos”, explica.

Texto, informações e foto: assessoria

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem um comentário

Deixe seu comentário