Aracruz vai desistir da Série D e passa vaga para a Desportiva

A melhor campanha da história do Capixabão na era dos pontos corridos, melhor média de público entre os participantes e os mais de 4,5 mil torcedores presentes no Estádio do Bambu, no último domingo na final diante da Desportiva, não foram suficientes para impulsionar e confirmar a participação do Aracruz, vice-campeão capixaba, na Série D do Campeonato Brasileiro, que já começa na próxima semana.

Em primeira mão, o zagueiro e capitão da equipe, Marco Antônio, disse que só por um milagre o Dragão do Norte jogará a competição. Decepcionado, o jogador falou em tom de desabafo. “É muito decepcionante estar passando por isso. Nos dedicamos durante todo o campeonato, chegamos à final, que perdemos, infelizmente, e até o momento não fomos procurados para renovar. Nesse clima de incerteza, fomos até a secretaria do clube e soubemos que às rescisões de todos os atletas do grupo já haviam sido agilizadas. Foi um golpe muito forte”.

Chateado com a forma como foi conduzida a situação, o zagueiro, um dos atletas mais queridos da torcida, disse estar desamparado. “A sensação é muito ruim. Ninguém da diretoria teve a ombridade de chegar até nós (jogadores) para nos comunicar da decisão. Se não fossemos lá (secretaria), continuaríamos sem saber sobre nosso futuro, que agora é completamente incerto”, detalhou Marco Antônio, que junto com outros jogadores foi à uma rádio da cidade comentar sobre o assunto

FORA DA SÉRIE D

Na visão do defensor, com essa atitude o Aracruz ratifica a posição de não disputar a Série D do Brasileirão. “A proposta a Desportiva mexeu com a diretoria. Como o clube atravessa um momento financeiro muito difícil, não jogar esta competição evitaria novos prejuízos. É bem provável que a Desportiva jogue a Série D e o Dragão ocupe a vaga na Copa do Brasil em 2014”, explicou ele.

Ainda de acordo com o defensor, ainda hoje é provável que às rescisões sejam entregues aos atletas no fim do dia e haverá uma conversa com o grupo. “Eles não dizem nada. Estão quietos e parecem com vergonha de dizer a verdade. Não estão nos tratando com o respeito que merecemos. Isso é muito ruim, pois a cidade e a torcida abraçaram o clube e agora o desfecho se transformou em algo muito ruim. Faltou planejamento, mais uma vez, como falta em todo o futebol capixaba. Vão nos entregar às rescisões e poderemos seguir nosso caminho. Ma a vontade da maioria era de permanecer e jogar”, concluiu Marco Antônio visivelmente incomodado com a situação.

Sobre os boatos de que o Aracruz disputaria a Série D com o time sub-20, o capitão descartou essa possibilidade.

REVOLTA DA TORCIDA

Torcedores do Dragão, revoltados com a decisão do clube, prometem fazer uma manifestação contrária ao posicionamento da diretoria ainda hoje.

O Aracruz ainda tem dívidas referentes á disputa da edição passada da Série D e o cenário de receitas para participar da atual edição não era positivo. Caso participe, o que não deverá acontecer, o primeiro confronto ocorreria contra o Tupi, de Juiz de Fora, na próxima semana no Estádio do Bambu.

Informações e Foto: GAZETAESPORTES.COM

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem um comentário

Deixe seu comentário