Aracruz “50%” passa por problemas internos antes da estreia

A estreia do Aracruz na Série D, contra o Tupi, no sábado, 1º, às 15h, no Estádio do Bambu, não será da maneira como os torcedores esperavam. O clube, que recentemente trocou seu treinador, teve mudanças na presidência da equipe. Washington Scarpati, até então então presidente do Dragão, deixou o cargo sem dar maiores explicações.

O Aracruz está no Grupo A6 ao lado de Tupi-MG, Nova Iguaçu, Resende e Araxá. A fórmula de disputa será a mesma dos últimos anos. Divididas em oito chaves de cinco integrantes, as 40 equipes jogam entre si em turno e returno, dentro dos próprios grupos. Os dois melhores classificados ao final das dez rodadas avançam para a próxima fase. Os quatro semifinalistas garantem o acesso à Série C de 2014.

Sem direção

Washington Scarpati não é mais o presidente do Esporte Clube Aracruz. Sem querer explicar os motivos da renúncia, Scarpati, que foi eleito no fim de 2011 e tinha mandato até outubro de 2014, diz não saber como ficará a estrutura política do clube daqui para frente.

Cansaço

O novo preparador físico da equipe capixaba, Luiz Henrique, apontou alguns problemas no elenco para a estreia na Série D. Segundo ele, o vigor físico dos atletas está aquém das necessidades que o campeonato exige para se alcançar um bom desempenho.

Para o profissional, o período de pausa no calendário nacional, devido à Copa das Confederações, será muito útil para recuperar os atletas.

Experiência de Moreno

Com muitos problemas para a estreia, um ponto é positivo: Moreno, treinador do Dragão para a disputa do campeonato nacional, já trabalhou com jogadores que compõem o elenco Carijó.

Em entrevista ao globoesporte.com, o treinador elogiou a equipe de Juiz de Fora e pregou cautela para o jogo de estreia, destacando os principais nomes com quem já trabalhou.

“Treinei o meia Adriano Felício (no Volta Redonda) e os atacante Ademilson (Alegrense) e Fernando Camargo (Madureira). É claro que isso já tem algum tempo, eles podem ter mudado algumas das suas características, mas são atletas que precisamos ter cuidado. Temos que respeitar o Tupi como um todo. Eles não ficaram na quinta colocação no Campeonato Minheiro à toa”, analisou o treinador.

Informações: globoesporte.com

[wpfootball id_league=10 id_template=2]

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem um comentário

Deixe seu comentário