TJD suspende os jogos da semifinal do Mineiro

A decisão é reversível, mas o fato é que, na noite desta terça-feira, o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais, Guilherme Santos Rodrigues, aceitou pedido do procurador-geral da casa, Antonio Augusto Mesquita Fonte Boa, e suspendeu os dois jogos de ida da semifinal do Campeonato Mineiro, marcados para o próximo fim de semana.

Em contato com o Superesportes, Guilherme Santos Rodrigues não quis dar detalhes do despacho e informou que sua decisão estará à disposição da imprensa nesta quarta-feira, na secretaria do TJD-MG.

Fonte Boa discorda da realização no Estádio Independência dos dois jogos de ida das semifinais, ambos com mandos dos clubes do interior: Tombense x Atlético, marcado para sábado, às 16h, e Villa Nova x Cruzeiro, programado para domingo, às 16h. Segundo ele, isso configura inversão de mando de campo. As equipes de Tombos e Nova Lima decidiram transferir as partidas para Belo Horizonte para lucrar com maiores rendas.

O magistrado acredita que o acordo feito entre os clubes (Villa Nova, Tombense, Cruzeiro e Atlético) e a Federação Mineira de Futebol (FMF), pela “inversão” de mando de campo, é proibido pela legislação. Com o mesmo argumento, a própria FMF vetou, na primeira fase do Estadual, que o Villa Nova transferisse o jogo com o Cruzeiro, de Nova Lima para o Mineirão. Na ocasião, a organizadora do Mineiro tratou o caso como inversão de mando.

“Para que isso pudesse acontecer (a transferência dos mandos para BH), o regulamento teria que ser diferente e uma série de providências outras teriam que se tomadas. Essa inversão é proibida pela legislação”, disse Antonio Augusto Mesquita Fonte Boa.

Como o procedimento judicial realizado pelo procurador-geral foi aceito pelo presidente do TJD, os jogos programados para o fim de semana ficam temporariamente suspensos.

FMF vai acatar, segundo Schettino

Em entrevista ao Superesportes, o presidente da Federação Mineira, Paulo Schettino, antecipou que a entidade acatará a decisão do TJD e não apresentará recurso. Diante disso, a FMF remarcará os jogos, nos mesmos dias e horários, para os estádios do Tombense, em Tombos, e para o Castor Cifuentes, em Nova Lima.

”Não temos tempo e datas para insistir que as partidas sejam em Belo Horizonte. Temos uma ata do acordo dos quatro clubes, mandando os jogos para a capital, mas se o TJD entendeu que não é legal, não vamos recorrer. Nesta quarta, vamos muito provavelmente marcar o jogo de sábado, entre Atlético e Tombense, para Tombos. Já Villa e Cruzeiro será no domingo, em Nova Lima. Seguiremos o que o TJD determinou”, disse Schettino.

O presidente da FMF explicou ainda que não aceitará sequer a realização de Tombense e Atlético no Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora, segundo campo colocado como opção do clube de Tombos no arbitral. “Outros clubes poderiam questionar na Justiça a transferência para Juiz de Fora, pois o Tombense não jogou lá na primeira fase, e isso só atrasaria as semifinais. Como não temos outras datas e tempo hábil, será em Tombos”.

Numa eventual final, apenas o Villa Nova poderia mandar jogos em sua praça oficial, o Estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima, que tem capacidade superior a 5 mil espectadores. Se eliminar o Atlético, o Tombense terá que contar com a concordância do rival e da FMF para jogar em Juiz de Fora.

Confira as datas e os horários dos jogos, definidos pela FMF:

Jogos de ida:

Sábado, 27 de abril: Tombense x Atlético, no Independência, às 16h
Domingo, 28 de abril: Villa Nova x Cruzeiro, no Independência, às 16h

Jogos de volta: 

Domingo, 5 de maio: Atlético x Tombense, no Independência, às 16h
Quarta-feira, 8 de maio: Cruzeiro x Villa Nova, no Mineirão, às 20h30

Informações: Superesportes

Foto: Uol Esporte

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem 4 comentários

Deixe seu comentário