Secretaria de Esporte promove voleibol adaptado

  Já estão abertas as inscrições para a turma de voleibol adaptado do Programa JF Paralímpico, desenvolvido pela Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). Os treinamentos são realizados quartas e sextas-ferias, das 14 às 16 horas, no ginásio da secretaria. As turmas são para pessoas de ambos os sexos, a partir de 12 anos de idade.

Também conhecido como voleibol sentado, a modalidade é uma adaptação do voleibol convencional, com apenas algumas modificações nas regras e nas características do jogo. A modalidade paralímpica pode ser praticada por pessoas que tenham algum tipo de amputação de braços e com outras dificuldades locomotoras, como lesão medular, sequelas de poliomielite, distrofia muscular, esclerose múltipla e paralisia cerebral.

Dentro desta categoria estão incluídas as pessoas com incapacidade mínima, ou seja, pessoas com amputação de dedos das mãos, de uma mão toda ou de um dos pés. Também podem participar aqueles que possuem membros superiores encurtados, paresia ou paralisia de membros superiores, luxação da coxa, alteração na articulação de pernas e braços e severo déficit de circulação nas pernas.

Os interessados em praticar o voleibol paralímpico podem fazer sua inscrição na SEL, na Av. Rui Barbosa, 530 – Santa Terezinha – Fone: 3690-7853.

Programa JF Paralímpico

O objetivo do programa é oferecer e oportunizar a prática de modalidades paralímpicas para pessoas com deficiência, despertando o potencial atlético e esportivo deste público, tendo como foco o trabalho de iniciação esportiva e a formação de equipes para representar a cidade em competições regionais e nacionais. Além de proporcionar uma melhor qualidade de vida, autonomia e autoestima para estas pessoas.

Além do voleibol, o Programa JF Paralímpico oferece a prática de natação, atletismo, bocha e goalball.

Texto e  informações: Assessoria de Comunicação da SEL 

 

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário