Real Madrid cai de 4 em Dortmund

Na continuação do duelo entre alemães e espanhóis na Liga dos Campeões, o Borussia Dortmund repetiu o feito do Bayern de Munique e aplicou uma sonora goleada no Real Madrid. Com quatro gols do atacante polonês Lewandowski, a equipe alemã abriu grande vantagem para o jogo de volta no Santiago Bernabéu. Os madrilenhos ainda descontaram, com Cristiano Ronaldo, mas nada que amenizasse o domínio amarelo em Dortmund.

“Judas” alemão e craque português

Antes das equipes entrarem em campo, ainda mesmo no dia anterior, o que mais se falava era da negociação do meio-campo Mario Gotze com o rival Bayern de Munique. Os bávaros anunciaram a informação antes da hora e a repercussão foi absolutamente negativa em Dortmund. A torcida do Borussia, reconhecida por seu fanatismo e participação nos jogos, não perdoou o até então xodó, lançando várias correntes contra o jogador em redes sociais e manifestações públicas. O jogador recebeu o apelido de “Judas” e esperava recepção nada agradável do torcedor.

Do outro lado, o Real vinha preparado para derrubar um adversário que já o incomodara na mesma edição da Liga. Na fase de grupos, as equipes fizeram dois jogos. Na Espanha, empate por 2 a 2, enquanto que no palco do primeiro jogo das semifinais, o Borussia levou a melhor, 2 a 1. Para surpreender o adversário, Cristiano Ronaldo era a arma merengue. O português que vive mais uma grande temporada, é o artilheiro da Liga dos Campeões e prometia incomodar os amarelos.

Borussia falha, Real aproveita

Com bola rolando, a promessa de um jogo equilibrado se confirmava na primeira etapa. As duas equipes passaram grande parte do primeiro tempo em fase de estudo. Com dois esquemas semelhantes (4-2-3-1), Borussia e Real dependiam do coletivismo para fazer a diferença na partida. E quem deu mostras de que sabia os caminhos da vitória foram os alemães. Em troca de passe envolvente, a bola chegou ao lateral-esquerdo Schmelzer que, após corta-luz de Gotze, cruzou na medida para o polonês Lewandowski, que esticou a perna direita para anotar o primeiro.

O domínio do Borussia era evidente. Com muitas jogadas pelo lado esquerdo do campo, a equipe envolvia o Real Madrid, principalmente quando a bola partia dos pés de Marco Reus e do perseguido Gotze. Em um desses lances, Reus foi lançado na área, contou com o escorregão do zagueiro Varane, penetrou na grande área pelo bico esquerdo e sofreu contato do próprio zagueiro merengue. O árbitro não assinalou o pênalti, para revolta do jogadores e torcedores. Na sequência da jogada, enquanto ainda reclamavam com a arbitragem, o zagueiro Hummels, que voltava de lesão, falhou e deixou a bola nos pés de Ozil, que avançou pela direita e encontrou Cristiano Ronaldo livre para marcar o seu 12º gol na competição.

Só não fez chover

Segundo tempo e início do massacre. O Borussia voltou para o jogo e anulou completamente as jogadas do time de José Mourinho. O esquema adotado pelo português não fazia efeito e o time não conseguia segurar a bola, abusando das ligações diretas. Já o clube alemão, além de grande atuação coletiva, tinha Lewandowski.

O camisa 9 foi decisivo. Após finalização mascada de Reus, a bola sobrou nos pés do atacante, que em posição legal, girou, tal qual um pivô de futsal, e deslocou o goleiro Diego López. 2 a 1.

O terceiro saiu numa pintura. Após grande jogada pela direita de ataque com Gotze, a bola chegou na entrada da grande área pela esquerda para Schmelzer, que tentou a finalização. O chute saiu torto e teve desvio. A bola caiu nos pés do polonês, dentro da área, que com extrema habilidade, rolou a bola para a perna direita, mesmo com marcação, finalizando sem chances para o goleiro.

A situação merengue já era feia e piorou ainda mais. Marco Reus foi acionado pela direita, invadiu a grande área e foi derrubado por Xabi Alonso. Lewandowski, endiabrado, bateu o pênalti com força, no meio do gol, anotando o quarto na partida e fechando a conta.

A partida de volta na Espanha será na próxima terça-feira, 30, as 15h45.

Texto: Igor Rodrigues

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem 5 comentários

Deixe seu comentário