Primeira providência pós-goleada: “Reunião levanta moral”

Uma reunião a portas fechadas. Essa foi a primeira providência da Comissão Técnica e gestão de futebol do Tupi após a goleada por 4 a 1 sofrida neste domingo, 31, no Estádio Independência.

Assim que a partida terminou, os jogadores foram convocados para o vestiário.

O Toque de Bola acompanhou tudo de perto, no estádio do Horto, na capital mineira.

“Já começamos passando tranquilidade”, explicou o técnico, Felipe Surian. “São jogadores jovens, mas experientes também, então estão tendo suporte pra recuperar. Futebol é isso, com resultados que a gente não espera, então bola para frente. Do mesmo jeito que você tem que ser rápido com uma vitória, tem que esquecer rápido essa derrota, porque no sábado, diante da nossa torcida (contra o Araxá, às 16h), temos que fazer o resultado, podendo alcançar o G4. Poderemos já na próxima rodada conquistar o G4 só passando o Tombense e jogar por um empate lá em Tombos pra gente continuar no G4”.

O experiente volante Genalvo também procurou tranquilizar os companheiros, principalmente os mais jovens, depois do baque sofrido pelo placar elástico: “Temos duas finais pra disputar contra Araxá e Tombense, e ainda tem o Cruzeiro. Agora vamos trabalhar mais forte ainda, mais dedicado e buscar fazer o resultado, porque não tem nada acabado não. Nós vamos buscar a classificação, nós vamos lutar até o final”.

Sobre o jogo, Genalvo ressaltou: “A gente fica triste com o resultado. Tinha um planejamento, mas eles deram sorte ali, quando fomos atrás do resultado. Saímos com o placar ruim, quando fomos tentar empatar ou virar o jogo, eles fizeram mais dois e aí complicou”.

  O goleiro Tadeu deixou o campo abatido: “Não conseguimos impor o nosso ritmo, não foi o Tupi dos últimos jogos. Agora vamos trabalhar pra reverter essa situação e conseguir a classificação”.

Para Surian, “o Atlético teve um mérito imenso. Eles já vem impondo seu ritmo de jogo há muito tempo, mas os nossos garotos estão indo muito bem no campeonato, um campeonato dificílimo. A gente tinha essa preocupação de haver em algum momento essa dificuldade, mas suportaram bem e esse resultado, pelo que o Atlético fez, foi até normal”.

O treinador considerou normal a escalação de  Paulinho no meio-campo, ao lado de Vinícius na armação das jogadas. “O Paulinho já vinha jogando, não tinha um motivo pra tirá-lo, só que ele sentiu um pouco o músculo anterior da coxa, então nossa opção foi tirá-lo no segundo tempo, para preservar e colocar o Ygor, com um pouco mais de velocidade”.

O elenco ganhou folga nesta segunda-feira, primeiro de abril. O lateral-direito Ryan recebeu o terceiro cartão amarelo no Independência e é desfalque certo.

Texto e foto: Toque de Bola 

 

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário