Morte de torcedor de 14 anos marca empate do Corinthians na altitude

O futebol não foi o assunto da entrevista coletiva do Corinthians depois do empate com o San José, nessa quarta-feira, em Oruro, Bolívia.

Os gols foram marcados por Guerrero, logo aos 5, para o time paulista, e Saucedo, aos 15 da etapa final,empatando para os anfitriões. Emerson Sheik ainda acertou a trave, com o goleiro batido, desperdiçando a principal oportunidade de mexer no marcador. Com o outro resultado da noite, Milionarios 0x1 Tijuana, o Grupo 5 aponta liderança do Tijuana, Corinthians e San José em seguida e Milionarios em quarto.

Em tom de luto e emocionados, o técnico Tite e o gerente de futebol do clube brasileiro, Edu Gaspar, falaram sobre a morte de um torcedor boliviano de 14 anos atingido por um artefato durante a partida no Estádio Jesús Bermúdez.

Segundo relatou Hector Fabio Rios, coronel da polícia local, em entrevista ao canal Fox, um objeto cilíndrico tubular foi atirado por espectadores corintianos, causando a tragédia – nove pessoas acusadas do crime foram detidos.

“Não queria fugir da minha responsabilidade. Quero pedir desculpa para o povo boliviano. Uma vida não tem preço, não se vence a qualquer custo. O esporte tem outro sentido. Estamos muito sentidos. Trocaria meu título mundial pela vida do menino. Eu trocaria”, disse Tite.

Edu assistiu de uma tribuna do estádio aos primeiros minutos do jogo ao lado de outros membros da comissão técnica, da diretoria corintiana e de jogadores que não ficaram entre os reservas da partida. Todos tiveram que sair de forma forçada do local. O cartola relatou o momento em que o artefato atingiu o torcedor, causando a revolta do público local.

“Passou na nossa frente o foguete, não sei o nome disso como chama e caiu a 15 metros da gente. Não consegui visualizar o que tinha ocorrido, mas vi o desespero das pessoas e vi logo em seguida as pessoas virando contra a gente e nos xingando, atirando algumas coisas, pressionando. Preferimos voltar para o vestiário, tanto é que não consegui assistir ao jogo. Nessa hora o resultado da partida pouco importa.”

Visivelmente emocionado, Edu tentou se explicar em espanhol aos jornalistas locais. “Eu tenho um filho que vai no Pacaembu e fica sentado comigo, ao lado da torcida rival. Sinto na pele o que poderia ter passado comigo. É impossível falar de futebol agora. Não podemos falar de futebol. Vai ser uma volta bastante demorada para o Brasil.”

O Corinthians vai manter seu cronograma e voltará ao Brasil na manhã desta quinta-feira. Na madrugada dessa quinta o clube ainda publicou uma nota em seu site.

Leia a nota:

A direção do Sport Club Corinthians Paulista lamenta profundamente a morte de um torcedor na partida contra o San José na noite da quarta-feira (20) e se coloca à disposição para ajudar no que for possível, mesmo sabendo que nada apagará a dor causada pelo incidente.

Coronel: “Ele morreu ainda no  estádio”

A polícia boliviana confirmou no início da madrugada desta quinta-feira a morte de um torcedor do San Jose, chamado Kevin Douglas Beltrán Espada, de 14 anos, durante a estreia do Corinthians na Copa Libertadores, na altitude de Oruro. De acordo com o coronel Hector Fabio Rios, a vítima foi atingida por um artefato lançado pela torcida corintiana. O técnico Tite e o gerente de futebol Edu Gaspar se emocionaram com o incidente.

“Primeiramente, organizamos a segurança. Fizemos isso desde a manhã de hoje [quarta-feira]. Lamentavelmente tivemos esse incidente. Alguns torcedores do Corinthians atiraram um objeto cilíndrico tubular e impactou lamentavelmente, causando a morte do torcedor. Os torcedores do Corinthians foram identificados por profissionais da inteligência da polícia e foram detidos”, disse Rios, em entrevista ao canal “Fox Sports”.

O coronel afirmou que o garoto morreu ainda no estádio. “Ele foi atingido no rosto e faleceu quando recebia os primeiros socorros. A situação era muito grave”, falou a autoridade, desmentindo que um outro torcedor estava ferido. “De maneira oficial, posso dizer que ele foi a única vítima.”

Segundo Rios, os torcedores corintianos detidos ficarão à disposição das autoridades locais. “Eles passarão por uma audiência cautelar, que vai determinar a responsabilidade desse crime”. O coronel negou qualquer possibilidade de deportação. “Todo estrangeiro que comete um delito em território boliviano está submetido às leis do país.”

Texto e informações: www.espn.com.br

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário