Libertadores começa com gol de Loco Abreu

A fase de grupos da Taça Libertadores da América começou nesta terça-feira, 12, com todos os ingredientes picantes que o torneio continental costuma ter. Na condição de ‘zebra’, o Barcelona de Guayaquil (QUE) foi até o Uruguai para enfrentar o tradicional Nacional e tinha a vitória nas mãos até os minutos finais da partida. O time uruguaio, porém, foi buscar o empate suado por 2 a 2 e ainda quase virou o placar.

Mais do que a ‘raça uruguaia’, o jogo ainda teve um golaço, uma lambança do juiz chileno Enrique Osses, gols de velhos conhecido no Brasil e o veterano Álvaro Recoba brilhando com a camisa do Nacional.

O primeiro gol da fase de grupos da Libertadores já veio em grande estilo. Da entrada da área, Díaz primeira e mandou a bola no ângulo. Um golaço. Logo na sequência, foi a vez de Ariel Nahuelpan. O ex-atacante do Coritiba aumentou o placar após cruzamento de Nazareno pela esquerda.

O placar só começou a mudar com a entrada dos dois veteranos do Nacional: o ex-botafoguense Loco Abreu e o meia Álvaro Recoba. A parceria começou a aparecer aos 24 da etapa final Recoba cobrou escanteio na cabeça de Loco, que diminuiu a vantagem. No fim, o mesmo Recoba ainda cruzou bola açucarada para Alonso deixar tudo igual.

Antes do empate, porém, duas expulsões. Na primeira Perlaza caiu na provocação de Loco Abreu e deixou o Barcelona com um jogador a menos. Depois, uma verdadeira lambança do juiz. O zagueiro Lembo tomou o segundo amarelo e não foi expulso. Dois minutos depois, já com a bola rolando novamente, o árbitro percebeu o erro e mandou o uruguaio para o chuveiro.

O Barcelona ainda reclamou de um pênalti quando o jogo ainda estava 2 a 1. Díaz deu um drible da vaca e ficou cara a cara com o goleiro. Antes de chutar, porém, foi acertado por um carrinho de um zagueiro uruguaio. O juiz mandou o jogo seguir. No fim da partida, o técnico Gustavo Costas fazendo sinais de que o time equatoriano havia sido roubado.

Texto, informações e foto: www.espn.com.br

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Deixe seu comentário