Futsal altera regra para beneficiar o Fair Play

A cidade paranaense de Foz do Iguaçu foi sede, no início de fevereiro, do XIV Congresso Nacional de Arbitragem de Futsal, que apontou mudanças na regra da modalidade para beneficiar o Fair Play. A realização foi da Associação dos Oficiais de Arbitragem do Paraná com o apoio da Confederação Brasileira de Futsal (CBFS), Federação Paranaense de Futsal (FPFS) e Liga Iguaçuense de Futsal-PR. Cerca de 650 pessoas entre árbitros, anotadores e dirigentes de departamentos de arbitragem de 17 estados acompanharam o evento que revelou novidades para a temporada.

O presidente da CBFS, Aécio de Borba Vasconcelos, ressaltou a qualidade do encontro. Ele esteve durante os três dias e acompanhou cada uma das palestras e se emocionou quando entregou uma homenagem a árbitra Renata Leite, FIFA-SP que foi eleita durante o mundial de 2012, na Tailândia, como a segunda melhor do mundo, ficando atrás de um árbitro espanhol.

Mudanças na regra

Na palestra mais aguardada por todos com o Diretor Nacional de Arbitragem da CBFS, Daniel Pomeroy vieram às novidades sobre a mudança da regra. O principal objetivo das alterações foram a de garantir o “Fair Play”, explicou Pomeroy, que convidou Renta Leite e o também árbitro Michel Jean Bonnaud FIFA-SP para colaborar nas explicações.

A partir de agora nas partidas oficiais o número de atletas por jogo passou de 12 para 14. Fica terminantemente proibido o uso de publicidade nas áreas técnicas, zonas de substituições e dentro dos gols. Também não se admite propagandas a uma distância inferior a 1 metro das linhas que demarcam a quadra de jogo.

Já no inicio de cada partida, após a relação de atletas ser entregue ao anotador, acontecer alguma alteração na equipe que inicia o jogo, esta mudança tem que ser comunicada a um membro da equipe de arbitragem, caso contrário, assim que o jogo se iniciar e a arbitragem tomar conhecimento da troca, ela irá adotar os procedimentos de uma substituição irregular, porém sem a aplicação do cartão amarelo. Além dessa medida o árbitro principal deverá relatar o fato na súmula para que a comissão organizadora do evento tome as devidas providências.

Fica proibido o uso de qualquer sistema de comunicação eletrônica entre atletas e comissão técnica e entre comissão técnica e demais membros quando estes estiverem fora do banco de reservas.

Mudanças para preservar disputas apenas pela bola (Foto: Arquivo CBFS)

Quando o cronometrista avisar o final de cada período de jogo, ou da prorrogação, e este coincidir com a marcação de alguma falta, com a cobrança ou repetição de qualquer tiro livre direto ou indireto, esta infração será cobrada e o jogo será encerrado com a trajetória final da bola para a marcação ou de um gol ou que a mesma saia do limite da quadra. Caso ocorra outra infração na cobrança desta falta o procedimento será o mesmo da anterior.

Também fica permitido que o goleiro receba a bola, quando este fizer uma defesa parcial, se a devolução for com os pés ele poderá só tocar com os pés, se for com qualquer outra parte do corpo ele poderá então segurar a bola com as mãos e partir desta posse de bola irá ser aberta a contagem dos 4 segundos. “O mais importante é saber identificar a posse de bola” explica Pomeroy.

Para acabar com a falta de unificação na aplicação da regra, agora o jogador que tocar intencionalmente com a mão na bola será obrigatoriamente advertido com cartão amarelo independente de onde foi o lance.

Juiz de Fora, esteve representada no congresso através do Panathleta, presidente da Liga Juizforana de Futsal e árbitro da Federação de Futsal do Estado do Rio de Janeiro, Adilson Mattos, que avaliou como bastante positivo o evento que teve como principal tema a padronização na aplicação das regras do jogo.

No final do evento foi anunciado que o XV Congresso será na cidade catarinense de Brusque, em fevereiro de 2014. Em 2015 será no Rio de Janeiro, em 2016 no Espírito Santo, e em 2017 volta ao Paraná.

Superliga 2012

Mattos também explicou que as modificações poderão ser vistas por todos durante a primeira competição do ano que será a Superliga ano 2013, a ser realizada na cidade de Concórdia em Santa Catarina. O torneio, em sua oitava edição, tem início nesta quarta-feira, 27.

São oito as equipes que estão em Concórdia em busca do título. Com grandes nomes do futsal brasileiro em ação, fica difícil fazer algum prognóstico sobre quem larga na frente. O presidente da Federação Catarinense de Futsal, João Carlos de Sousa, acredita que dois clubes estão um degrau acima dos demais, porém, não descarta o otimismo com a agremiação local.

“Vou ser sincero. A equipe daqui de Concórdia se reforçou muito bem. Início de temporada fica difícil. Pelo nome que tem, hoje é Minas e Intelli, mas vi a final do Campeonato Paulista e gostei muito do time da AABB”, palpita o presidente da FCFS.

A primeira edição da Superliga ocorreu em 2005, na cidade de Betim (MG). Naquela competição, a Malwee/Jaraguá foi a campeã, vencendo o Santa Fé/Funec/Tatuibi por 4 a 2 na final.

Em 2006, a segunda edição ocorreu em Fortaleza (CE), e mais uma vez a Malwee/Jaraguá (SC) sagrou-se campeã, depois de derrotar o ABC/UnP/ArtC (RN) por 2 a 0 na última partida.

A terceira edição da Superliga foi disputada em 2008, já que em 2007 esta competição não foi realizada. Doze equipes de todo o País disputaram o título em Uberlândia (MG). Desta vez a hegemonia da Malwee foi quebrada com a vitória da Ulbra/Suzano, que passou pelos catarinenses na semifinal e superou outro time de Santa Catarina na decisão: o Joinville/Krona/DalPonte, por 2 a 1.

Em 2009, a competição foi realizada em solo catarinense. A cidade de Concórdia, no oeste do estado, recebeu o torneio, que marcou mais um título da Malwee, ao derrotar o Cresspom (DF) por 5 a 2 e retomar a hegemonia da Superliga.

No ano de 2010, o certame voltou a ser disputado em Betim (MG), tal como na primeira edição. E assim como em 2005, o Malwee Futsal (SC) levou o título para casa. Desta vez, com vitória sobre a V&M Minas (MG), por 1 a 0, que coroou a campanha dos jaraguaenses, se tornando tetracampeão da Superliga.

Já em 2011, Betim (MG) sediou mais uma vez a Superliga, desta vez a sexta edição. O Carlos Barbosa (RS) conquistou um título inédito, em vitória sobre a Copagril/Faville/DalPonte, por 5 a 4. Além da taça de campeã, o Carlos Barbosa levou também o troféu ‘Fair Play’ como equipe mais disciplinada da Superliga.

Por fim, a Krona levou a melhor na edição realizada em 2012, no Centreventos Cau Hansen, em Joinville (SC). A decisão contra o Carlos Barbosa foi recheada de emoção, com grandes defesas do goleiro Tiago para o tricolor catarinense, que conquistou de forma inédita o título.

Confira a galeria dos campeões da Superliga de Futsal
2005 – Malwee/Jaraguá (SC)
2006 – Malwee/Jaraguá (SC)
2008 – Ulbra/Suzano (RS)
2009 – Malwee Futsal (SC)
2010 – Malwee Futsal (SC)
2011 – Carlos Barbosa (RS)
2012 – Krona/Joinville/Dalponte (SC)

Texto: Adilson Mattos com informações da CBFS.

Este post tem um comentário

  1. jose antonio veras s

    no tiro de meta,se o goleiro arremessar a bola com a mão no gol adversario e a mesma bater no goleira e entrar no gol,o gol é validado?

Deixe seu comentário