Condicionamento físico carijó é destaque em horário “criminoso”

Tão ou mais importante que a estratégia de jogo e as boas atuações individuais de Ygor e Jordan, o condicionamento físico dos jogadores do Tupi foi muito destacado no vestiário alvinegro, no Estádio Melão, em Varginha.

Na saída de campo, em meio aos comentários que saudavam a vitória e a presença do time no G-4 neste momento do campeonato, o experiente zagueiro Fabrício Soares foi direto na ferida: “Esse horário de dez horas da manhã para jogar futebol é criminoso”.

O preparador físico do Tupi, Luiz Augusto Alvim, revelou ter solicitado ao quarto árbitro a parada técnica em função do sol e do calor. “Mas ele argumentou que deveria haver um comunicado prévio. Com um sol e um calor desses, entendemos que poderia ser feito um intervalo na metade de cada tempo de partida.”.

Alvim estava mais que satisfeito. Emocionado. “Pedimos aos jogadores que se superassem.E superação é a palavra-chave. Alonso, por exemplo, não fazia uma partida inteira há um ano, e suportou num bom nível os 90 minutos. Pedimos a palavra ao elenco antes do jogo no vestiário, e agora posso dedicar a vitória para minha avó, Lena, que está internada e passou esta semana por uma cirurgia.”

  Treinador destaca “entrega” e profissionalismo do elenco

O treinador Felipe Surian também ressaltou “a entrega e a dedicação de todo o elenco. Quando um jogador sai com caimbras, como aconteceu hoje, é porque o esforço foi acima do que podia.  Tem me agradado a entrega destes atletas”.

O treinador classificou como excepcional a atuação alvinegra no primeiro tempo. “A obediência tática foi incrível, criamos várias chances, fizemos uma. Tomamos um gol que achei impedimento na hora. No retorno, segundo tempo, time bem postado, a expulsão de Maguinho nos prejudicou um pouco. No Mineiro é assim, trabalhamos no limite. Fazemos o melhor possível com o que temos. Sabíamos que poderíamos surpreender fora de casa. O Boa tem jogadores com mais bagagem, mas ganhamos na raça. Já estamos na zona do G-4 do Estadual”.

Para Surian, a atuação diante da Caldense (empate em 0 a 0, em casa) também foi boa. ” Teríamos mais dois pontos, mas gostei da atuação aquele dia. Me agradou hoje mais ainda. E vamos  em busca de mais uma vitória no domingo, contra o América”.

Sempre reforçando as dificuldades e o pouco tempo na preparação do elenco para o início da temporada do futebol, Felipe elogiou muito o profissionalismo do atual elenco carijó e disse que optou por lançar Maguinho e Ygor como meias (ambos foram laterais contra a Caldense), para ter mais velocidade.

Depois da expulsão de Maguinho, o técnico lançou Vinícius Góes na vaga de Paulinho. “O Paulinho é meia de armação, faz bem jogadas invertidas e variações. Vinícius tem característica de um meia mais rápido. Mexi para buscar os contra-ataques, e tivemos chances de ampliar, mesmo com 10 jogadores”.

Sobre os destaques individuais Ygor e Jordan, lembrou que ambos “buscaram e conquistaram a titularidade durante os treinamentos”.

Texto com trechos de entrevistas à Rádio Globo de Juiz de Fora

Foto: assessoria Tupi

Toque de Bola

Ivan Elias, associado do Panathlon Club de Juiz de Fora, é jornalista, formado em Comunicação Social pela UFJF. Trabalhou por mais de 11 anos no Sistema Solar de Comunicação (Rádio Solar e jornal Tribuna de Minas), em Juiz de Fora. Já foi freelancer da Folha de S. Paulo, atuou como produtor de matérias de TV e em 2007 e 2008 “defendeu” o Tupi, na Bancada Democrática do Alterosa Esporte, da TV Alterosa (SBT-Minas). É filiado à Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE) e Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace).

Este post tem 4 comentários

  1. Marcelo rizzato

    Ao término do jogo contra a caldense, nós da equipe toque de bola ressaltamos duas observações: a equipe precisa mudar a postura de jogo, aumentando o ritmo de ofensividade para não deixar o adversário pensar e assim errar mais a nosso favor, na várzea diríamos: jogar no abafa. A equipe mostrou-se muito morosa e sem ofensividade muito devagar em suas jogadas. Porém para isso precisa estar com um preparo fisico mais apurado, e parece que foi justamente o fôlego no final que fez a diferença.

Deixe seu comentário