Novo secretário prioriza ginásio e estádio

Ouvir as pessoas envolvidas com o esporte da cidade e a população para depois traçar as estratégias de ação. É o que pretende o novo secretário de Esporte e Lazer, Francisco Canalli, que tomou posse juntamente com outros integrantes da atual administração no último dia 1º. Ele classifica como prioridades de sua gestão frente à SEL a finalização das obras do ginásio poliesportivo, a reestruturação administrativa do Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, a ampliação de programas voltados para o esporte e lazer da população, entre outros pontos.

Afirma que pretende manter o atual calendário de eventos da secretaria e, se possível, ampliá-lo. Outro desafio será melhorar a parte física da própria SEL que, a seu ver, não conta, atualmente, com o mínimo de equipamentos necessários para que os servidores possam trabalhar. Confira, abaixo, a entrevista exclusiva que Francisco Canalli concedeu ao Toque de Bola na manhã desta sexta-feira, 4. Reestruturação é a palavra eleita pelo novo secretário nesse início de gestão.

Toque de Bola: Quais são os seus principais planos à frente da Secretaria de Esporte e Lazer?

Francisco Canalli: Nesse primeiro momento, estamos buscando uma reestruturação para definir claramente as políticas e estratégias para atender as demandas da sociedade em relação ao fomento e ao rendimento esportivo. Pretendemos desenvolver projetos com profissionais da área e a comunidade. Precisamos reestruturar e revitalizar espaços públicos destinados ao esporte e lazer da população para que consigamos implementar programas como escolinhas e academias ao ar livre, entre outros. Pretendo fortalecer os mecanismos de controle social, como o Conselho Municipal de Desportos. É importante a atuação em parceria para que a gente possa estabelecer o debate sobre as melhores políticas para o esporte local.  A nossa intenção é promover reuniões setoriais para definir os caminhos que vamos seguir. Temos a intenção de ouvir a sociedade e ver o que ela espera da nova gestão do esporte. Será uma conversa aberta e franca com a principal interessada…

Secretaria de Esporte e Lazer

F.C.: … Reestruturação até mesmo do espaço físico da Secretaria de Esporte e Lazer, que é muito precário. É um prédio histórico que não teve a atenção especial em sua manutenção. As salas estão desestruturadas em termos de equipamentos. É preciso que o pessoal tenha o mínimo de material necessário para trabalhar, como computadores, mesas, cadeiras… Vamos priorizar o emergencial, que é o mínimo de estrutura. Precisamos de uma reforma e vamos buscar parcerias para tentar amenizar essa situação. O espaço está mal cuidado. É um desafio grande…

Corrida contra o tempo para recuperar o gramado do Estádio Municipal (Foto: Arquivo Toque de Bola

Estádio Municipal Radialista Mário Helênio

F.C.: … Desafio maior ainda e mais emergencial é a reestruturação do Estádio Municipal. Falta menos de um mês para o início do Campeonato Mineiro e o estado da grama é lastimável. Não tiveram preocupação de preparar o principal palco do futebol local e, em consequência, com o Tupi. Vamos correr contra o tempo para tentar reestruturar, e, ao mesmo tempo, fazer algumas adequações exigidas pela Federação Mineira de Futebol.

T.B.: Nos últimos dias da administração anterior, foi sancionada lei que autoriza a Prefeitura passar a administração do Estádio Municipal às mãos da iniciativa privada. Como o senhor vê essa possibilidade?

F.C.: Controlar um estádio não é nada fácil. Vamos conversar com as partes interessadas, uma delas o próprio Tupi, para montarmos uma estrutura de organização que até então não existe de uma forma clara. São muitos acordos de boca, o que não pode existir nos serviços públicos. Com esses acordos verbais, virou a casa da mãe Joana. Todos os acordos da Prefeitura em relação ao estádio serão documentados. Por isso, o primeiro passo é organizar. Hoje, o estádio não funciona porque não tem administração. Compreendo que qualquer pensamento de terceirização deste espaço público deva ser conversado com a sociedade. Mas esse não é o momento de pensar nisso. Trata-se de uma lei meramente autorizativa. Como secretário, entendo que o estádio é um bem público importante. Creio que, com trabalho e força de vontade, conseguiremos buscar recursos estaduais e federais para melhorar o equipamento sem precisar pensar em processo de terceirização.

T.B.: A Secretaria de Esporte e Lazer organiza uma série de competições. O calendário será mantido?

F.C.: Sim. Nosso objetivo principal é ampliar os trabalhos da secretaria e melhorar o que já é bom. Reconhecemos que tem muita coisa boa e parcerias interessantes. O objetivo é manter o calendário que já existe e, dentro das possibilidades, até ampliá-lo. Vivemos um momento difícil em relação à penetração das drogas. Precisamos inserir crianças e adolescentes em atividades esportivas. [Canalli disse, posteriormente, que também pretende investir em esportes para pessoas com necessidades especiais, uma de suas preocupações enquanto vereador].

T.B.: Em relação ao Ranking de Corridas de Rua, nos últimos anos observou-se um crescimento muito grande tanto na estrutura das provas quanto na participação de atletas. Quais os seus planos em relação ao Ranking?

F.C.: Consigo enxergar que o Ranking teve melhora considerável nos últimos anos, fruto de boas parcerias e também do trabalho que foi desenvolvido. Queremos manter essa coisa boa e procurar melhorar ainda mais. Se existe um setor que teve uma resposta positiva, foi o Ranking.

T.B.: Como fica o Tupi na nova administração?

F.C.: O Tupi é nosso bem precioso, nosso time de coração. Temos que trabalhar sempre ao máximo para apoiá-lo. A parceria com o poder executivo nos últimos anos foi favorável. Vamos manter essa parceria para que o Galo possa crescer cada vez mais.

T.B.: Será prioridade da sua gestão a finalização das obras do Ginásio Poliesportivo Jornalista Antônio Marcos Nazaré Campos?

F.C.: É uma prioridade desta administração. Será uma grande ferramenta esportiva. O prefeito tem estudado parcerias para que a gente consiga finalizar esta grande obra. Ainda não consigo adiantar o que será feito e de que forma. Mas existe uma grande possibilidade de envolvimento da UFJF. Em breve vamos agendar uma reunião com o reitor da Universidade.

T.B.: Qual a sua mensagem para a comunidade esportiva de Juiz de Fora neste início de gestão?

F.C.: Pretendemos fazer uma administração compartilhada, colegiada. Reunir os principais interessados, profissionais, pessoas envolvidas com o esporte para ouvir os seus anseios. Pretendemos atender, na medida do possível, as demandas do povo, que é o grande beneficiado. Espero que as pessoas tenham liberdade para ir à Secretaria de Esporte e Lazer, que será um grande espaço para o esporte. A excelência no atendimento será a meta do nosso trabalho.

Texto: Thiago Stephan

Este post tem 5 comentários

  1. Anderson Occhi

    Que pena …. oportunidade que se tinha num quadriênio tão importante pro esporte de JF ( copa e olimpíadas ) “entregarem” o cargo a quem não é do meio!

  2. Leandro Soares da Silva

    Resumo do novo secretário. Parece que tem afinidade com o esporte, mas não entende nada de gestão esportiva. Ouvir os amantes do esporte é importante, mas não ter uma diretriz traçada é sinônimo de amadorismo. Se quiser um trabalho bem feito vai gastar horrores com consultoria ou será um fiasco. O ginásio ficará pronto com o esforço dele ou não já que essa obra se arrasta a anos. Agora só falta fazerem um ginásio sem medidas oficiais ou de segurança que servem apenas de enfeite arquitetônico para o estádio municipal.

  3. Jeferson Vianna

    Ou seja, nosso secretário não tem proposta nenhuma para a cidade. Pobre Juiz de Fora.

Deixe seu comentário