ADJF ignora buzina e bate Igarapé por 33 a 26 na final do Mineiro. Veja fotos

Diferentemente da final feminina, a decisão do Campeonato Mineiro masculino não teve sustos. Jogando no ginásio do IF Sudeste, a ADJF/Vianna Júnior derrotou Igarapé por 33 a 26 deixando a impressão que não jogou tudo o que sabe. O time visitante tinha poucos torcedores: cinco, no máximo, acompanhavam a delegação. Entre eles, uma jovem que tocava uma irritante e forte buzina toda vez que o time juiz-forano tinha a posse de bola. Nem mesmo este artifício foi capaz de parar os donos da casa, que chegaram ao tricampeonato consecutivo e o sexto título na história do Mineiro. Passadas as competições, os dirigentes da ADJF voltam as suas atenções para a captação de recursos a fim de fortalecer a equipe para a participação na Liga Nacional em 2013, o maior campeonato do Handebol brasileiro.

O jogo começou com total domínio da equipe da casa, que abriu logo 7 a 0. Comandado por José Júnior, Igarapé iniciou a reação, chegando a diminuir para 8 a 5. Mesmo assim o jogo estava sobe controle. Comandada por Guilherme Silva e Pedro “Panda” Fagundes, a ADJF fez 13 a 7 e, ao final do primeiro tempo, vencia por 18 a 12.

Esses seis gols de diferença foram mantidos durante quase todo o segundo tempo. Uma margem de segurança que permitiu o técnico Carlos Dias trocar alguns jogadores. Quem entrou também deu conta do recado, caso de Heber Modesto, que deixou a sua marca. No final, o placar de 33 a 26 refletiu a superioridade do time juiz-forano.

“A gente abriu sete gols no início. Entramos confiantes e muito motivados para fazer uma boa partida, mas acabou que demos uma desconcentrada. O outro time tem excelente qualidade, mas deu tudo certo e conseguimos, mais uma vez, ser campeões do Mineiro”, comentou Pedro “Panda” Fagundes ao final da partida, para depois relatar como foi jogar ao som da buzina. “Ensurdecedor. Triste, né! Atrapalhou um pouco, mas fechamos o ano campeões”.

“É a consolidação de um trabalho, a formação de um grupo. Essa galera se dedica muito, treina pesado, às 10h30 da noite e os caras vão treinar. Tivemos mil problemas durante o ano, mas chegou no final e veio a recompensa com mais um título. Eles são merecedores do que conquistaram”, analisou Carlos Dias, que também é o técnico da equipe feminina da ADJF.

O goleiro Plínio Cruz foi eleito o melhor do Mineiro. Guilherme Silva recebeu dois prêmios: como artilheiro (54 gols) e melhor jogador. Lucas Maracaipe, de Igarapé, acabou escolhido como revelação, e Carlos Dias eleito o melhor técnico do Estadual.

Defesa de Igarapé encontrou dificuldade com o forte ataque juiz-forano

ADJF/Vianna Júnior: Plínio Cruz (1), Pablo de Lima (3), Guilherme Silva (5), Gláucio Freitas (7), Evandro Lopes (8), Pedro “Panda” Fagundes (14) e Felipe Rossingnolli (11). Demais jogadores: Samuel Júnior (2), Everton (4), Thalisson Ferreira (6), Fabrício Borges (9), Heber Modesto (10), Thiago Ferreira (12) e Flávio Rosa (16). Técnico: Carlos Dias.

Igarapé: Paulo Braz (8), José Maria Júnior (7), Neilor Assis (6), Lucas Maracaipe (14), Ibsen Soarez (24), Augusto Oliveira (5), Marcelo Costa (17), Hugo Santos (10), Ronílson Procópio (16), Rodrigo Campos (18), Leonardo Barbera (4), Carlos Castro (15), José Júnior (3), Pablo Filho (9), Francisco mota 92) e Frederico Berto (11). Técnica: Natália Queiroz.

CLASSIFICAÇÃO FINAL CAMPEONATO MINEIRO ADULTO MASCULINO 2012:

1º LUGAR: ADJF/VIANNA JÚNIOR – JUIZ DE FORA
2º LUGAR: IGARAPÉ
3º LUGAR: IPATINGA
4º LUGAR: AMIGOS DO ALGUEM – ITABIRA

Liga Nacional

Segundo Carlos Dias, essa semana haverá reuniões para avaliar a captação de recursos que possibilitem a participação na Liga Nacional de Handebol com uma equipe competitiva. Ele acredita que as possibilidades de participação “são muito boas”, mas ressalta a necessidade de contratações. “Dependendo do que a gente conseguir montar, entraremos como coadjuvante. Pelo nosso nível atual, sendo 12 o número de equipes, vamos entrar para disputar os últimos lugares. De acordo com a competição, dá para almejar disputar até um sexto lugar dentro da Liga”. A previsão é que o campeonato tenha início em março. Carlos Dias acredita que a captação seja encerrada em dezembro para que em janeiro o projeto comece a ser colocado em prática.

Segundo o presidente da Federação Mineira de Handebol e um dos fundadores da ADJF, Cláudio Dias, a federação conseguiu junto à confederação recursos para as despesas básicas, como transporte, alimentação, hospedagem, arbitragem e inscrição, que são as taxas mais caras. “A ADJF depende de recursos para a equipe, que precisa ser reforçada. A Liga Nacional não é o Campeonato Mineiro. A intenção é captar parte do projeto que foi aprovado na Lei de Incentivo ao Esporte para ser ter uma boa representatividade na Liga Nacional. Trezentos mil é o valor para a gente fazer uma equipe muito forte para disputar por Minas Gerais”, afirma.

Ainda de acordo com Cláudio Dias, o projeto tem duração de 24 meses e dá a possibilidade de captar, junto a pessoas jurídicas e físicas, até R$ 1,2 milhão. Esse investimento, posteriormente, poderá ser abatido em imposto devido. A margem é de 1% para pessoas jurídicas e até 6% para pessoas físicas. Mas, para iniciá-lo, é preciso a captação de 20% a 30% do montante. “Nossa idéia é captar esse percentual e refazer o projeto para jogarmos todas as competições nacionais no ano que vem”.

Texto e fotos: Thiago Stephan

Este post tem 2 comentários

Deixe seu comentário