Paulo Marcos e Marcus em busca do tri no Brasileiro Individual de Futebol de Mesa

Dois amigos de longa data, integrantes de uma das equipes mais vitoriosas da história do Futebol de Mesa – Modalidade 3 Toques. Indivualmente, Marcus Motta e Paulo Marcos de França, ambos do Tupi, são os juiz-foranos que mais venceram o Campeonato Brasileiro. Ambos acumulam, cada um, dois canecos. Marcus venceu em 1996 e 2004. Paulo Marcos é o atual campeão e também chegou ao título em 1995. Mesmo prejudicados em razão de uma temporada sem competições nesta modalidade em Juiz de Fora, eles integram o grupo de favoritos ao título do 25º Campeonato Brasileiro Individual, que será realizado em São José do Rio Preto (SP), entre os dias 2 e 4 de novembro. Tanto que os dois são cabeças de chave. Além disso, Paulo Marcos é o líder do ranking nacional, enquanto Marcus é o terceiro. Será que um deles vai voltar com o tri?

Leia também:
Futrica, entidade benemérita também no esporte
Marcus vence Campeonato Mineiro da modalidade 12 Toques
Luiz Henrique conquista o bicampeonato mineiro de Futebol de Mesa na Modalidade Dadinho

Paulo Marcos: defesa sólida e ataque eficiente

Paulo Marcos, que tem jogo marcado por sólida defesa e eficiência no ataque, não esconde que vai enfrentar os 900 km de viagem para tentar o vencer novamente. “Estou extremamente focado neste objetivo, mas as dificuldades serão maiores que nos anos anteriores. Então, a palavra chave para este campeonato será superação”, analisa Paulo, confidenciando que pretende apresentar mudanças na forma de jogar para tentar surpreender os adversários.

Marcus, que tem como características a criatividade e o volume de jogo, teme que a falta de ritmo atrapalhe, mas acredita que poderá crescer ao longo da competição. “Quando se joga destreinado, a forma de jogar se altera. O botonista passa a arriscar menos, a ter um jogo mais cauteloso. Mas, depois da primeira fase, que neste ano terá seis jogos, a mão dá uma ‘esquentada’ e já é possível jogar um pouco melhor. E, como a camisa do Tupi é muito respeitada nesta modalidade, a turma evita partir para cima dos botonistas carijós, o que nos permite ir readquirindo o ritmo ao longo da competição. Por isso, a meta é sobreviver à primeira fase. Daí para a frente, com mais ritmo de jogo, posso tentar chegar”, expôs o botonista.

Perguntado sobre quais seriam os principais adversários ao título, Paulo Marcos lembrou de cinco botonistas: Marcus (Tupi), Vander (Grêmio Mineiro – BH), Emerson (América – SJRP) e Tarcísio Dinoá e Paulo César Faria, ambos da AABB, de Brasília. Marcus citou Paulo e outros botonistas relacionados pelo companheiro de Tupi, mas acrescentou à lista também os nomes de Antônio Carlos (AABB), Beto e José Luiz, ambos do América (SJRP).

Correndo por fora

Juiz de Fora terá ainda um terceiro representante no 25º Campeonato Brasileiro Individual: Brunno Gill Barreto. Apesar de ter conquistado o respeito dos adversários nos últimos anos, ele ainda não é apontado como um dos favoritos ao título. Ele foi escalado na terceira linha de força da competição e atualmente ocupa a 22º posição do ranking nacional. Quem sabe não chegou a hora dele também ter o título de Campeão Brasileiro? Afinal, Paulo Marcos e Marcus também corriam por fora quando venceram pela primeira vez.

“Pretendo, no mínimo, repetir o desempenho do ano passado, quando fiquei entre os dez primeiros. Mas, quem sabe não consigo realizar o sonho de ser campeão brasileiro individual?”, comenta Brunno, que adota postura ofensiva quando joga.

Marcus viaja em nome da paixão pelo esporte e pelas amizades

Por que enfrentar 900 km de viagem?

Dirigir por cerca de 900 km, gastos com combustível, pedágios, hospedagem, alimentação… A despesa pode ser ainda maior se a opção for o transporte aéreo. Tudo isso sem nenhum tipo de apoio financeiro. O que move esses abnegados? Com a palavra, Marcus Motta: “Só mesmo duas coisas: a paixão pelo esporte e as amizades. Afinal, jogo botão há 25 anos, fiz muitos amigos em diversas partes do Brasil, e os campeonatos são as ocasiões para rever esses amigos”, afirma, acrescendo que a ausência desses sentimentos seriam fatais para a modalidade.

Paulo Marcos pensa de maneira semelhante, e pede maior apoio ao esporte. “São vários motivos, como o convívio com amigos de vários estados, amor ao esporte e a vontade de representar nossa cidade em nível nacional, mas seria muito importante que a nova administração da Prefeitura, em parceria com o Tupi, nos oferecesse o suporte para as competições. Os resultados poderiam ser ainda melhores. Atualmente, todos os gastos são por conta do botonista”, expõe.

Os resultados dos botonistas juiz-foranos no 25º Campeonato Brasileiro Individual de Futebol de Mesa você confere, no início da próxima semana, no Toque de Bola.

Texto: Thiago Stephan

Deixe seu comentário