Com um pé na Série D: Tupi perde por 2 a 1 e agoniza no Brasileirão

“Quem sabe o que pode acontecer amanhã?”. Foi ponderando sobre o futuro que o técnico Antônio Carlos Roy deixou o gramado do Estádio Serejão após a derrota do Tupi para o Brasiliense por 2 a 1. O resultado praticamente rebaixa o Carijó para a Série D um ano depois de conseguir a ascensão para a Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro. O fio de esperança carijó, sentido na frase do treinador, reside na tentativa de vencer os dois próximos jogos e ainda torcer contra Santo André, Madureira e Brasiliense. O torcedor carijó que acredita em milagre tem à sua frente um momento oportuno para renovar a fé.

Foi debaixo de chuva que o Tupi entrou em campo para enfrentar o Brasiliense. A equipe carijó começou bem a partida, arriscando chutes de fora com Alexandro e Léo Salino. Mas, quando a maré não é boa, a situação fica mais complicada. O Jacaré estava com o bote armado. Aos 24 minutos, quando o Tupi estava melhor no jogo, o Brasiliense abriu o placar. Rafael foi lançado em profundidade e, já na linha de fundo, deu um balão para a área. Frontini ganhou pelo alto e tocou de cabeça para o fundo da rede. Rodrigo ainda foi na bola, mas não conseguiu alcançar a redonda.

Na saída para o intervalo, o técnico Antônio Carlos Roy demonstrou toda a sua insatisfação com a equipe. “Avisei durante toda a semana que o único jogador que não poderia ficar sozinho era o Frontini. Deixaram ele sozinho. É um absurdo”, diz o treinador ao repórter Marco Aurélio, da Rádio Globo.

O Tupi voltou pra o segundo tempo com o discurso de que era possível reverter a situação. Bruno foi para o jogo no lugar de Michel Cury. Até que o Carijó chegou perto do gol, mas foi novamente castigado aos seis minutos. Frontini fez o pivô e rolou para Andrade encher o pé e ampliar: 2 a 0.

Em seguida, foi a vez de Cassiano entrar na partida. Jean saiu. A mexida foi boa e o time respondeu em campo. A esperança carijó se renovou  aos 30 minutos. Após levantamento de Glauber, a bola foi desviada no primeiro pau e sobrou para Silvio, de cabeça, fazer 2 a 1.

Na reta final da partida, o Carijó bem que tentou buscar o empate. Mas, o que se viu foi um time desorganizado, que deixou o campo cabisbaixo após o apito final. Um dia nebuloso na centenária história do Tupi.

No caminho para o vestiário, Roy lamentou mais uma derrota, segundo ele, novamente por “erros individuais”. Apesar da dificuldade, ele ainda não jogou a toalha: “Temos que acreditar. Fazer o que? Está ficando cada vez mais difícil. Temos que continuar trabalhando”, afirma.

Resultados não ajudam

Para piorar a situação, os resultados da décima sexta rodada da Série C não foram nada bons para o Tupi. No jogo que mais interessava ao Tupi, o Madureira venceu o Vila Nova por 3 a 1. Em Macaé, o time da casa fez 2 a 1 no Duque de Caxias. Na sexta-feira, o Oeste recebeu e derrotou a Chapecoense por 1 a 0.

Finalizando a rodada, Caxias e Santo André empataram em 0 a o neste domingo, 14, em Caxias do Sul.O melhor resultado para o carijó seria a derrota da equipe paulista.

Texto: Thiago Stephan

[wpfootball id_league=7 id_template=2]

Deixe seu comentário