A crônica de uma queda anunciada

Em 17 jogos – ainda resta uma rodada, são três vitórias, cinco empates e nove derrotas,  aproveitamento de 27,5%. Foram 13 gols marcados e 20 sofridos. Saldo negativo de sete gols. Com estes números “frios”, atualizados após a derrota deste sábado, 20, por 1 a 0, para o Oeste (SP), gol de Wanderson, camisa 8, em contra-ataque no segundo tempo, o Tupi consumou a queda antecipada para a Série D em pleno Estádio Municipal Radialista Mário Helênio. Apenas 397 torcedores pagaram ingresso, na despedida melancólica de uma temporada que se antecipava de muitas alegrias, no ano do centenário do clube de Santa Terezinha.

Com apenas 14 pontos em 51 disputados, a partida da tarde de sábado apenas demonstrou, para tristeza do torcedor, o que foi a campanha do time na competição: equipe fraca, sem padrão de jogo, alguns atletas longe do melhor condicionamento físico, e, o que para a grande maioria é imperdoável: um time incompatível com a tradição de garra do centenário clube carijó. Sem alma.

O Toque de Bola realizou cobertura especial da partida, abrindo a transmissão pela rádio web com antecedência para tentar entender os motivos de uma trajetória tão decepcionante no segundo semestre, e ouviu torcedores e dirigentes do clube, como o presidente Áureo Fortuna e o Vice de Futebol, Cloves Santos.

“Vergonha”, disse o presidente, ao deixar o estádio. “Independente da queda, que era mesmo uma situação difícil, a partida de hoje do Tupi foi uma vergonha”, admitiu Fortuna, abatido.

Breve, mais informações e repercussões de um dia triste para o futebol profissional da cidade, que viveu um conto de fadas no ano passado, coroado com a conquista do título nacional da Série D em 30 de novembro, derrotando o Santa Cruz por 2 a 0 em pleno Estádio do Arruda, diante de mais de 60 mil torcedores, por 2 a 0. Hoje, a volta à realidade é um golpe duro para os fieis torcedores alvinegros.

Na rádio web do Toque de Bola, estão disponíveis as entrevistas com Allan, que lamenta o capítulo da Série C em sua trajetória marcada por muitas alegrias e conquistas, e Rodrigo, que admitiu terem ocorrido muitos “problemas extra-campo”. Também na rádio web, estão o agradecimento de Cloves, antes da entrevista coletiva após a partida, ao técnico Antônio Carlos Roy. “Poucos aceitariam entrar numa situação como aquela” , e uma análise do próprio Roy, que chegou para tentar livrar a equipe do rebaixamento, sem sucesso. “Não fujo da responsabilidade, tenho sim minha parcela de culpa. Se amanhã o clube me fizer uma proposta, por um trabalho mais a longo prazo, com tempo para a formação de um bom elenco, estamos dispostos a ouvir. Sabemos que no início haverá uma desconfiança, por eu não ter conseguido salvar o time do rebaixamento, mas tenho uma carreira vitoriosa, com trabalhos a longo prazo, e gostaria de vencer num futebol fora do do meu estado, o Rio de Janeiro”.

A diretoria não anunciou como pretende montar a Comissão Técnica e o planejamento para o Campeonato Mineiro, no primeiro semestre de 2013. O time ainda cumpre tabela sábado, 27, diante da Chapecoense, em Chapecó (SC), pela rodada final da fase de classificação da Série C. No Grupo B, do Tupi, Macaé e Oeste já estão classificados. Lutam contra a queda Brasiliense e Santo André.

[wpfootball id_league=7 id_template=2]

Deixe seu comentário