Quenianos dominam a Meia Maratona de JF

A equipe Luasa, de Taubaté (SP), dominou a Meia Maratona de Juiz de Fora, realizada neste domingo, 10 de junho. A corrida teve um atrativo especial: a presença dos quenianos Kiprop Mutai e Tecla Chebet, ambos integrantes do time paulista. Os africanos não deram chances aos adversários e foram os primeiros a completar os 21 km. Kiprop marcou o tempo de 1h06min56, enquanto Tecla foi a melhor entre as mulheres, com 1h25min33.

Clique aqui para conferir a entrevista exclusiva dos quenianos ao Toque de Bola.

Na prova dos 10km, Francisco Ribamar de Souza (32min32), também da Luasa, cruzou em primeiro. Entre as mulheres, Andreia de Lima, de Formiga (MG), venceu com o tempo de 39min10. Cerca de mil corredores alinharam para a largada, sendo que parte deles ainda teve a opção de participar da Fun Running, percurso de 5 km para ser completado correndo ou a pé.

Resultados extra-oficiais

A Secretaria de Esporte e Lazer enviou ao Toque de Bola o resultado extra-oficial da prova.

Confira, nos anexos abaixo:

GERAL MASCULINO 21KM (1)

GERAL FEMININO 21 KM

FAIXA ETÁRIA MASCULINO 21 KM

FAIXA ETÁRIA FEMININO 21 KM

GERAL MASCULINO 10 KM

GERAL FEMININO 10KM

FAIXA ETÁRIA MASCULINO 10 KM

FAIXA ETÁRIA FEMININO 10KM

 

Francisco Ribamar vence nos 10 km

Francisco Ribamar conquistou a primeira vitória do dia para a equipe Luasa

Os dois quenianos não foram as únicas feras que vieram de outra cidade para competir em Juiz de Fora. Francisco Ribamar, que em 2012 acumula o título da Corrida Flex Pé, em Mogi das Cruzes, e foi terceiro na Meia Maratona de Parati e na Corrida da Paz do Morro do Alemão, comenta a estratégia que utilizou. “Foi a minha primeira vez em Juiz de Fora. A prova foi muito bem organizada, com um percurso excepcional. Procurei acompanhar o grupo até a metade do percurso. Depois, imprimi um ritmo mais forte e deu tudo certo”, disse o atleta da equipe Luasa.  Wellington Douglas Nascimento e Marcelo José de Paula chegaram em segundo e terceiro, respectivamente.

Andréia de Lima: correndo de olho nas adversárias

Nos 10 km feminino, Andréia de Lima, corredora “avulsa”, disse que chegou à vitória em razão dos treinamentos. “Foi uma prova boa. O tempo ajudou bastante. Ver quais são as adversárias e repetir o que é feito nos treinamentos é muito importante. É preciso saber quem está correndo 10 km e 21 km para não acompanhar a atleta errada”, explicou. Márcia Aparecida cruzou em segundo, com Viviany Anderson completando o pódio e sendo bastante aplaudida.

Dificuldade para acompanhar os quenianos

Edson do Nascimento ficou feliz com a terceira colocação nos 21 km

Nos 21 km, o juiz-forano Flávio Carvalho, vencedor da Meia Maratona da Saúde, chegou na segunda colocação. Ao final da prova, ele comentou como foi disputar uma prova de nível tão alto. “É difícil competir com queniano. Depois da largada, fui com ele até os 18 km, quando abriu para ganhar a prova. Considero o meu resultado muito bom. Consegui correr forte”, avaliou Carvalho. O terceiro a completar o percurso foi Edson do Nascimento. “Tive que sair com bastante cautela para não colocar tudo a perder.  O resultado foi ótimo. Pelo nível da prova, queria ficar entre os cinco primeiro. Cheguei em terceiro”, disse Nascimento.

Kátia Altomere: "não deu para ter Tecla no visual"

Na meia maratona feminina, Kátia Altomare, que é de Juiz de Fora, mas mora no Rio de Janeiro, onde é capitão da Marinha, também comentou como foi competir com uma atleta de ponta como Tecla Chebet. “Gostei muito da prova. O percurso foi ótimo. Em relação à queniana, não deu nem para tê-la no visual. Mas ela vive para isso. Para mim, correr é um hobby”.  Tânia Vilaça completou o pódio, e ficou satisfeita com o resultado. “Estou treinando para a Maratona do Rio de Janeiro e para os 50 km de Mangaratiba. Essa prova acabou sendo um treino de ritmo”, disse Tânia.


Correndo aos 81 anos

Geraldo garante que não tem segredo

Um dos participantes mais aplaudidos ao cruzar a linha de chegada foi Geraldo Gomes Primo, que correu os 10 km. “Seu” Geraldo, como é conhecido, treina três vezes por semana na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e em avenidas da Cidade Alta. “Não tem segredo. Depois de começar, não para mais”, relatou, dizendo não ter nenhuma restrição alimentar para continuar correndo.

Avaliação

Para o organizador da prova e vice-presidente do Convention &  Visitors Bureau, Carlos Roberto Zanini, a avaliação da Meia Maratona de Juiz de Fora foi bastante positiva. “A festa foi bonita. Para os próximos anos, possivelmente vamos ajustar algumas coisas.  A cidade ganha muito com provas deste nível. Em 2013, a Meia Maratona já está marcada para o dia 9 de julho, integrando o calendário nacional. Nosso próximo passo será confederar a prova junto à Confederação Brasileira de Atletismo. Tentaremos trazer mais atletas de ponta, até mesmo para qualificar os nossos atletas”, expôs Zanini.

Cerca de mil corredores largaram na Meia Maratona

O evento contou com o apoio da Secretaria de Esporte e Lazer, que esteve representada por vários profissionais, entre eles o secretário Renato Miranda, que enalteceu a iniciativa. “Esse tipo de movimento esportivo é uma característica das cidades que procuram promover a saúde através do esporte. Mais importante que o resultado é a mobilização dos participantes. A vida urbana necessita deste tipo de desafio, que desperte a consciência para o exercício físico. É melhor consumir saúde que remédio”, destacou Miranda.

Texto e fotos: Thiago Stephan

Este post tem 2 comentários

  1. Erika neves

    parabéns pela cobertura desse site, tudo em primeira mão.

  2. Jorge Júnior

    Parabéns ao Toque de Bola pela cobertura. Único da cidade que já postou informações do evento. Ótima matéria Thiago.

Deixe seu comentário